Depois de bronca, Samsung proíbe funcionários de usar ChatGPT no trabalho

Semanas depois de pedir que empregados tivessem cuidado com uso do ChatGPT como assistente, fabricante proíbe o uso de IAs em seus dispositivos

Felipe Freitas
Por
Código em Python escrito pelo ChatGPT (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Funcionários da Samsung estão proibidos de usar o ChatGPT na empresa (Imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A Samsung proibiu os seus funcionários de utilizar o ChatGPT e outras IA generativas em dispositivos da empresa. A decisão foi tomada para impedir que os empregados divulguem informações sigilosas em conversas com as inteligências artificiais. Para funcionários que usam dispositivos próprios em home office, a recomendação é que não utilizem as IAs como assistentes em tarefas que envolvem segredos empresariais.

O banimento do uso das IAs generativas vem semanas depois da fabricante dar um “puxão de orelha” nos empregados. Na ocasião, alguns funcionários da Samsung divulgaram dados confidenciais enquanto pediam auxílio do ChatGPT para a realização de algumas atividades. A medida deve acelerar a produção da inteligência artificial própria da empresa.

Samsung proíbe o uso de IAs generativas em seus computadores

A proibição do uso do ChatGPT e outras IAs nos computadores, smartphones e tablets de propriedade da Samsung foi informado em um memorando. O bloqueio não foi só nos dispositivos “da firma”, mas também na rede — nada de trazer notebook de casa para usar o ChatGPT. Outras divisões da Samsung já proibiam o uso de IAs generativas, agora o cenário é expandido para toda a companhia.

Robô humanoide sentado e segurando tela
Inteligências artificiais generativas estão proibidas em todos os dispositivos de trabalho da Samsung (Imagem: Andrea De Santis / Unsplash)

O jornalista Mark Gurman, da Bloomberg, confirmou com a empresa o envio do documento e banimento das inteligências artificiais.  No memorando, a fabricante sul-coreana relata estar preocupada com o armazenamento de suas informações sigilosas em servidores externos, dos quais ela não pode ter acesso para recuperar e remover os dados. Além de que as informações podem ser reveladas para terceiros.

Em uma pesquisa interna, 65% dos funcionários entrevistados afirmaram que consideram as IAs um risco de segurança. Agora que ChatGPT, Bing Chat e Bard foram banidos, a Samsung deve acelerar a produção da sua própria inteligência artificial generativa. A desenvolvimento dessa IA surgiu durante os “puxões de orelha” em março.

A inteligência artificial da Samsung, pelo pouco que se sabe até agora, será de uso interno. O papel dela será de uma assistente virtual, mesma função dada ao ChatGPT pelos seus funcionários.

Com informações: Bloomberg e The Verge

Relacionados