O Instagram faz de tudo para evitar que você saia do aplicativo. A rede social restringe ao máximo a exibição de links e, quando eles aparecem, são abertos no navegador embutido. Agora, a plataforma também quer que você faça pagamentos na mesma interface.

Já disponível para alguns usuários nos Estados Unidos, o recurso permite registrar cartões de débito ou crédito no perfil. Também é possível configurar um PIN para evitar que outra pessoa faça compras sem a sua autorização.

A plataforma é bem parecida com a que está disponível no Messenger. A diferença é que ela ainda não permite a transferência de dinheiro para um amigo, como ocorre no mensageiro.

Segundo o TechCrunch, neste momento, a ferramenta está sendo usada para fazer reservas em alguns parceiros, incluindo restaurantes e salões de beleza. Ao acessar o perfil do estabelecimento, o app dá a opção de escolher um serviço e marcar o horário. Em seguida, ele exibe o preço e confirma seus dados de contato.

O app deverá permitir em breve a compra de ingressos para o cinema. A tendência é que, em uma próxima etapa, o Instagram libere os pagamentos nativos para marcas de roupas, calçados e acessórios.

Vale lembrar que a rede social já permite o uso de etiquetas com preços sobre os itens mostrados em uma foto. No entanto, é preciso ir ao site da loja para comprar o produto. O novo recurso permitiria que as compras se tornassem mais rápidas, mas exigiria dados adicionais, como o endereço de entrega.

Com informações: TechCrunch.

Receba mais sobre Instagram na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva

Ex-autor

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi autor, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Canal Exclusivo

Relacionados