Lucro da TIM cai 43,5% em 2022 após compra da Oi Móvel

Operadora vê lucro cair quase pela metade em 2022, mas conseguiu crescer receitas em 19%; TIM cancelou 5 milhões de linhas inativas da Oi Móvel

Lucas Braga
Por
Celular com logo da TIM
TIM (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A TIM Brasil divulgou os resultados financeiros do 4º trimestre de 2022. A operadora encerrou o ano com lucro de R$ 1,67 bilhões, queda de 43,5% no comparativo anual. Apesar da desaceleração, a companhia viu aumento na receita líquida.

TIM — Resultados financeiros de 2022

Confira abaixo os principais indicadores financeiros da TIM Brasil no ano de 2022 e o comparativo com o ano anterior:

Indicador20222021Diferença
Receita líquidaR$ 21,53 bilhõesR$ 18,06 bilhões+19,2%
Lucro líquidoR$ 1,67 bilhãoR$ 2,95 bilhões-43,5%
Custo de operaçãoR$ 11,48 bilhõesR$ 8,59 bilhões+33,5
Capex (investimentos)R$ 4,73 bilhõesR$ 4,38 bilhões+8%
Total de linhas móveis (clientes)62,48 milhões52,06 milhões+20%

Ao tratar apenas do 4º trimestre de 2022, a TIM teve alta de 21,4% na receita líquida e queda de 47% no lucro líquido normalizado.

TIM cancelou 5,1 milhões de linhas da Oi Móvel

O serviço de telefonia móvel continua sendo o carro-chefe da TIM Brasil, sendo responsável por R$ 16,34 bilhões de toda a receita líquida normalizada.

A base de clientes móveis da TIM saltou 20% no comparativo com o ano de 2021, graças à incorporação de clientes adquiridos da Oi Móvel.

No período, a TIM também viu sua base de assinantes móveis encolher 9,2%, ocasionado principalmente pela desconexão de clientes inativos (limpeza de base). A tele recebeu 16,4 milhões de linhas da Oi Móvel, mas 5,1 milhões já foram canceladas.

Loja da TIM
Loja da TIM (Imagem: Lucas Braga / Tecnoblog)

No pós-pago, que gera maior receita e recorrência mensal, a TIM aumentou sua base de clientes em 19,2% — novamente, é importante considerar que muitos acessos são oriundos da Oi Móvel. O segmento representa 36,7% de toda a base de assinantes.

Por outro lago, o segmento pré-pago cresceu 20,7% no comparativo anual e representa 56,4% da base de clientes. Ao longo do ano, a TIM viu significativa queda na receita média por usuário do pré-pago (ARPU) após a incorporação da Oi Móvel, mas comemora a recuperação para R$ 13,7 — eram R$ 13,4 em 2021.

Em relação à cobertura, a TIM encerrou 2022 com rede 4G disponível em 5.370 municípios brasileiros. A operadora se comprometeu a levar sinal em 4G para todos os municípios do Brasil até o final de 2023.

TIM deve concluir migração da Oi Móvel em abril

A TIM já considera os clientes da Oi Móvel em seus dados operacionais, mas uma parcela usuários ainda não foi 100% integrada na plataforma da nova operadora e continuam utilizando os sistemas da Oi — inclusive para atendimento e cobrança.

Segundo a TIM, 74% do processo de integração já foi realizado. A operadora já migrou 95% dos clientes com plano pré-pago e 82% com pós-pago, e prevê a conclusão até abril de 2023.

De qualquer forma, todos os clientes adquiridos da Oi Móvel já podem utilizar a rede móvel da TIM via roaming. A operadora também passou a utilizar o espectro adquirido para ampliar a capacidade da rede.

Banda larga via fibra da TIM cresceu pouco em 2022

No segmento de serviços fixos, a TIM continua tímida. A operadora encerrou o ano com 716 mil clientes de banda larga fixa, alta de 4,7%.

Até o final de 2022, o serviço TIM Ultrafibra estava disponível para 6,06 milhões de domicílios em 42 cidades. O serviço chegou a 5 novos municípios ao longo do ano, e mais de 77% da base de clientes utiliza planos com velocidades superiores a 100 Mb/s.

Com cobertura limitada, a TIM nunca conseguiu avançar no mercado de banda larga por fibra óptica quando comparada com Claro, Vivo, Oi e até mesmo provedores regionais como Algar e Brisanet.

Isso pode mudar: no final de 2022, a TIM firmou um acordo de longo prazo com a V.tal para expansão do serviço TIM Ultrafibra; com isso, a operadora poderá utilizar a mesma rede neutra que sustenta a Oi Fibra para vender internet de até 1 Gb/s.

Com o modelo de negócio asset light, a TIM conseguirá vender internet por fibra óptica sem investir na construção de rede. As primeiras operações com a V.tal já começaram no Paraná, com disponibilidade de contratação para mais de 2 milhões de domicílios.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Canal Exclusivo

Relacionados