Minas Gerais lança rede blockchain para serviços governamentais

Rede blockchain estadual de Minas Gerais (MG) será usada inicialmente para controlar a produção de carvão vegetal, mas deve ser expandida para outras aplicações

Bruno Ignacio
Por
• Atualizado há 2 anos e 7 meses

O governo do estado de Minas Gerais (MG) lançou na última sexta-feira (08) uma rede blockchain para o compartilhamento de informação de serviços governamentais. A tecnologia deve trazer “confiabilidade, descentrabilidade e rastreabilidade” para o registro de ativos e dados, sendo inicialmente aplicada para controlar de forma eletrônica todas as etapas da cadeia de produção de carvão vegetal no estado mineiro.

Conforme revelado pelo governo estadual de Minas Gerais em comunicado, a rede blockchain foi criada para funcionar como um sistema de registro descentralizado e deve ser expandida com a participação de mais órgãos e entidades governamentais.

Blockchain de MG será expandido para outros órgãos

Roberto Reis, diretor-presidente da Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais (Prodemge), explica que a rede mineira deverá se tornar mais robusta “quanto mais nós se integrarem”.

A companhia estatal inaugurou os primeiros nós do novo blockchain em seu data center, enquanto a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) deverá ser o próximo órgão governamental a expandir e usar a rede.

Segundo Reis, a Prodemge está estimulando e apoiando o desenvolvimento do projeto em outras instituições para fazê-lo crescer rapidamente. “Essa ferramenta é uma aliada fundamental na busca pela transformação digital do Estado”, afirmou o executivo.

Conforme revelado em comunicado, a infraestrutura digital criada para a rede blockchain foi desenvolvida para comportar a segmentação lógica de dados. Isso significa que a mesma rede pode ser utilizada por diferentes sistemas e para uma diversidade de aplicações.

Além disso, o governo de Minas Gerais destaca que o projeto e a tecnologia apoiam novos modelos de uso e criptografia de dados, trazendo maior segurança para o compartilhamento de informação de serviços estaduais.

Rede é usada inicialmente na produção de carvão

A primeira utilização prática do blockchain mineiro será para controlar eletronicamente todas as etapas da cadeia de produção de carvão vegetal no estado. Assim, o sistema MG Florestas será o primeiro a participar da rede em uma iniciativa conduzida pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) em conjunto com a Prodemge, a Semad e a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag).

O governo estadual acredita que o projeto deverá garantir a “imutabilidade dos registros, aumentar a transparência das ações que impactam o meio ambiente, potencializar a fiscalização e valorizar o produto legal por meio da tecnologia.”

Relacionados