Nintendo receberá US$ 2,4 milhões de criadores de emulador

Emulador Yuzu fechou acordo com a Nintendo para encerrar processo. Criadores do Yuzu encerraram distribuição do código-fonte e de atividades ligadas ao emulador

Felipe Freitas
Por
Nintendo Switch encaixado na dock (Imagem: Murilo Tunholi/Tecnoblog)
Emulador de Nintendo Switch é encerrado dias depois da empresa processar os criadores (Imagem: Murilo Tunholi/Tecnoblog)

A Nintendo mal abriu o processo contra os criadores do emulador Yuzu e já saiu vencedora. A empresa de jogos receberá US$ 2,4 milhões (R$ 11,8 milhões) do grupo responsável pelo Yuzu. A ação judicial, aberta no fim de fevereiro, acusava a Yuzu de violar propriedade intelectual e estimular a pirataria.

Com o acordo, a equipe do Yuzu encerrou a distribuição do código-fonte do emulador e a divulgação de tudo relacionado ao programa — como propaganda, hospedagem do serviço ou qualquer transação financeira ligada ao Yuzu. O comunicado do acordo e do fim do emulador foi divulgado pelos criadores no servidor do Discord. O finado site do Yuzu possui uma nota informando o encerramento do emulador.

Yuzu adiantou derrota pelo cansaço

Foto de uma mão segurando um Nintendo Switch
Para a Nintendo, a propriedade dos jogos é para jogar no Switch e apenas isso (Imagem: Lupa Charleaux/Tecnoblog)

Independentemente do que se discute na internet sobre o Yuzu estar certo ou não (ainda mais com o histórico Sony vs. Bleem), a verdade é que os criadores do programa provavelmente perderiam a disputa devido ao alto custo financeiro. A Nintendo tem dinheiro para estender a batalha judicial por meses e anos, enquanto os US$ 30 mil mensais que o Yuzu recebia via Patreon não bancariam os melhores advogados da área por um mês.

Logo, o acordo adiantou a inevitável derrota do emulador. A dúvida é saber como a equipe dele pagará o resto da indenização. No caso do hacker Gary Bowser, condenado a uma multa de US$ 10 milhões (R$ 49,4 milhões), a Nintendo receberá 25% de seu salário até o valor ser pago — sim, Bowser morrerá antes de quitar a dívida.

Criadores do Yuzu reconhecem pirataria

Na nota publicada no antigo site do Yuzu, a equipe reconhece que o projeto foi usado erroneamente para pirataria. No texto, os criadores dizem perceber que a tecnologia do emulador pode ser usada para rodar jogos em consoles não autorizados. Na teoria, o usuário pode emular um hardware se tiver a propriedade do dispositivo e dos jogos.

Porém, como quase tudo existe na internet, é possível encontrar chaves piratas do Switch. Esse era um dos pontos usados pela Nintendo em sua acusação. No processo, a empresa destacou também o papel do Yuzu no vazamento do The Legend of Zelda: Tear of the Kingdom.

Yuzu morreu, mas por ser um projeto de código aberto, não demorou um dia para esbarrarmos numa fork do emulador enquanto fazíamos a apuração deste texto.

Mais Nintendo: no vídeo abaixo, descubra se o Nintendo Switch Lite vale a pena

Com informações: Ars Technica (1 e 2)

Receba mais sobre Yuzu na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados