Nubank ganha investimento em Tesouro Direto com aplicação a partir de R$ 30

Fintech expande as suas opções de investimento; atualização permite que os usuários apliquem em títulos do Tesouro Direto diretamente pelo app do Nubank

Bruno Gall De Blasi
Por
Logotipo do Nubank
Nubank (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Nubank expandiu as opções de investimento pelo seu aplicativo nesta segunda-feira (6). Além dos CDBs, fundos de investimento e bolsa de valores, os usuários podem optar pelo Tesouro Direto para guardar o suado dinheirinho com mais segurança e sem abrir mão de um rendimento maior. Para aderir à nova modalidade, é preciso fazer aplicações de R$ 30 ou mais.

A estreia expande o portfólio de produtos da fintech. Dessa forma, os clientes não precisam recorrer a outras plataformas caso queiram fazer investimentos com títulos públicos, que garante os seguintes benefícios: segurança, acessibilidade, liquidez diária e variedade.

Estas vantagens estão atreladas à origem dos títulos: o Tesouro Nacional. Afinal, ao fazer o investimento, o correntista está emprestando dinheiro aos cofres da União.

Já o retorno é ancorado em indicadores que flutuam menos do que as alternativas de renda variável, como a inflação (IPCA) e a taxa de juros (Selic).

Mesmo assim, isto não significa que não haverá perdas no investimento.

Afinal, se você opta por um título que varia de acordo com a taxa de juros e o indicador apresenta queda ao longo do tempo, por exemplo, este valor sofre o risco de ficar defasado até o vencimento do título.

Felizmente, é possível vender o título no futuro caso a opção se torne uma desvantagem ao investidor.

Fachada do Nubank
Fachada do Nubank em São Paulo (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

Quais títulos públicos estão disponíveis?

Ao todo, quatro categorias serão oferecidas. A começar pelo Tesouro Selic, voltado para quem busca mais segurança, pois o rendimento é atrelado à Selic, agregando baixa volatilidade ao produto e rendimento diário.

Mas a instituição financeira alerta em seu blog: “apesar de ter pouca oscilação no preço, o Tesouro Selic pode sim apresentar retorno negativo em determinados momentos” devido ao deságio.

Tesouro IPCA+ é atrelado à inflação com remuneração pós-fixada. Segundo o Nubank, este produto permite que o investidor mantenha “o seu poder de compra, pois esse investimento oferece uma rentabilidade real”.

Já o Tesouro IPCA+ com juros semestrais segue a filosofia do anterior, mas oferece um pagamento antecipado e proporcional dos juros a cada semestre. Além disso, a quantia é depositada na conta do cliente já com o Imposto de Renda quitado.

Também há o Tesouro Prefixado, acompanhado da variante com juros semestrais. Neste caso, o investidor sabe quanto o título vai render no vencimento.

Por fim, há o título RendA+, voltado para quem quiser fazer investimentos de longo prazo, como uma previdência complementar. ” Quem investir no Tesouro Direto RendA+ pode receber 240 parcelas mensais (equivalente a 20 anos), com valores corrigidos pela inflação”, explicaram.

Nubank ganha opção para investir em Tesouro Direto (Imagem: Divulgação)
Nubank ganha opção para investir em Tesouro Direto (Imagem: Divulgação)

Como aplicar no Tesouro Direto pelo Nubank?

Apesar do anúncio, a novidade ainda não está disponível a todos. Em nota à imprensa, a instituição financeira disse que a atualização está sendo liberada “de forma gradual” e “ao longo das próximas semanas”.

Mas se você já recebeu a novidade, saiba como fazer o investimento diretamente pelo app do Nubank:

  1. Abra o aplicativo e toque no ícone de “$” na porção inferior da tela;
  2. Acesse a opção “Investimentos” e, em seguida, entre em “Explorar produtos”;
  3. Aperte o botão “Tesouro Direto”.

Agora é só escolher o título desejado para fazer a aplicação. Mas não se esqueça de que só é possível fazer os aportes e os resgates nos dias úteis (segunda à sexta) das 9h30 às 18h.

Ou seja, se vai precisar do dinheiro para o fim de semana ou à noite, se programe! Especialmente porque o dinheiro é enviado à conta em até um dia útil.

E se for o RendA+, existe um período de carência de 60 dias.

“Os preços e as taxas podem ser checados no momento da transação”, ressaltaram.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi

Ex-autor

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Escreveu para o TechTudo e iHelpBR. No Tecnoblog, atuou como autor entre 2020 e 2023.

Canal Exclusivo

Relacionados