Nubank, iFood e Loggi não exigem diploma universitário para contratar

Nubank, iFood, Loggi e várias outras empresas não exigem formação universitária para diversos cargos; experiência ou habilidades específicas pesam mais

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Nubank - escritório

Formação universitária é essencial para diversas profissões, mas, dependendo da função, outras qualidades podem ser mais decisivas para a obtenção de um cargo. Um levantamento recente mostra que, no Brasil, empresas como Nubank, iFood e ThoughtWorks frequentemente não exigem diploma de ensino superior.

A pesquisa foi realizada pela Love Mondays a pedido da Época Negócios. Várias empresas consultadas responderam que, para determinados cargos, a formação superior não é obrigatória.

No Ebanx, por exemplo, o diploma não é exigido para desenvolvedores. A Movile, que controla empresas como iFood e Maplink, afirma não pedir o documento para praticamente nenhuma posição. Na ThoughtWorks, que costuma oferecer diversas vagas para desenvolvedores, designers de experiência e afins, formação superior não faz parte dos requisitos. O mesmo vale para os cargos de auxiliar e analista de logística da Loggi.

CEO da Love Mondays, Luciana Caletti dá duas explicações para esse cenário. Uma é a necessidade de ter um ambiente de trabalho mais diversificado. “Se o corte na seleção dos currículos for feito pelo nome da faculdade que o candidato fez, fica difícil gerar diversidade na empresa”, diz.

Outra é necessidade de atender a certos aspectos técnicos. Luciana Carvalho, responsável pela área de recursos humanos da Movile, explica que poucas graduações preparam as pessoas para o que a companhia precisa. “Tirar essa barreira do diploma facilita a contratação de pessoas que realmente possuem talento e não só um certificado”, afirma.

Isso não quer dizer que o diploma universitário é perda de tempo. O Nubank, por exemplo, não exige formação superior para cargos como engenharia de software e analista de negócios, mas o diploma continua sendo importante para a área jurídica.

iFood + Movile

O que diversas companhias têm feito — incluindo o Nubank — é olhar para o curso superior como referência, não fator de decisão. Assim, se o candidato a uma vaga tiver experiência profissional ou habilidades alinhadas às necessidades da empresa, a falta de um diploma não vai excluí-lo da seleção.

Mas o candidato vai ter que mostrar as suas aptidões. Normalmente, isso é feito por meio de testes rigorosos. No Nubank, o pretendente a uma vaga é exposto até a situações reais para ser avaliado.

Esse não é um comportamento típico apenas de startups ou empresas de médio porte. Um levantamento feito pela plataforma de empregos Glassdoor em agosto mostra que Apple, Google, IBM e outras 12 grandes companhias norte-americanas adotam a mesma estratégia.

Esse fenômeno, por assim dizer, parece ser mais comum entre empresas de tecnologia. Se exigissem formação superior para todos os cargos, elas certamente teriam mais dificuldade para preencher vagas que exigem habilidades específicas.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados