Nvidia passa Intel e se torna fabricante de chips mais valiosa dos EUA

Valorização na bolsa americana fez Nvidia ter mais valor de mercado do que Intel

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 2 anos e 6 meses
Nvidia EGX A100

Esta semana marca um feito inédito para a Nvidia: a companhia conseguiu superar a rival Intel em valor de mercado e, com isso, passou a ser a empresa de semicondutores mais valiosa dos Estados Unidos. Para você ter ideia, a companhia encerrou o pregão da última quarta-feira (8) com capitalização de US$ 248 bilhões contra os US$ 246 bilhões registrados pela Intel.

Pode parecer inapropriado considerar as duas empresas rivais, afinal, o principal negócio da Intel é o mercado de CPUs enquanto a Nvidia tem maior foco sobre GPUs. No entanto, ambas disputam espaço em segmentos como inteligência artificial, soluções para datacenters e tecnologias para veículos autônomos.

Temos que lembrar também que a Nvidia produz chips gráficos acessíveis que rivalizam com as GPUs integradas da Intel. Além disso, esta última trabalha na Xe Graphics, linha de GPUs dedicadas que promete balançar o mercado (pelo menos um pouco).

Apesar de os esforços da Intel não serem desprezíveis, a Nvidia vem inovando mais nos últimos anos. Produtos como a família GeForce RTX e os avanços em áreas como aprendizagem profunda e computação de alta performance tornaram a companhia bastante interessante para investidores.

Prova disso está no fato de as ações da Nvidia terem registrado valorização de 68% em 2020 — e olha que estamos apenas no começo do segundo semestre do ano. A pandemia parece ter contribuído para esse desempenho, pois o aumento das atividades remotas refletiu em maior demanda por aplicações baseadas nas nuvens (ou seja, executadas a partir de datacenters).

Intel Core de décima geração

A Intel, por outro lado, viu suas ações se desvalorizarem em algo entre 3% e 5% neste ano. O avanço da AMD em processadores, os efeitos da pandemia sobre a produção de chips e os custos relacionados ao desenvolvimento de CPUs de 10 nanômetros estão entre os fatores que podem estar pesando contra a empresa. Para piorar, os chips Intel irão deixar de equipar a linha Mac.

Embora o momento não seja favorável, não dá para dizer que a Intel está crise. É inegável, no entanto, que a Nvidia está em situação muito mais confortável. Não é por sorte que, nesta sexta-feira (10), a capitalização de mercado da companhia estava em quase US$ 256 bilhões. Enquanto isso, a Intel registrava algo próximo a US$ 250 bilhões.

Com informações: Reuters.

Relacionados