Padrão de casa conectada une Alexa, Siri e Google Assistente

Projeto em desenvolvimento desde 2019 muda de nome; “Matter” terá mais detalhes apresentados no Google I/O 2021

Ana Marques
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Lâmpadas com certificação Matter (Imagem: Reprodução/Connectivity Standards Alliance)
Lâmpadas com certificação Matter (Imagem: Reprodução/Connectivity Standards Alliance)

Amazon, Apple e Google são apoiadores de uma aliança fundada em 2019 que irá certificar dispositivos domésticos inteligentes a partir deste ano. Renomeado para “Matter”, o projeto integrar aparelhos em um único ecossistema de casa conectada com a criação de um padrão que funcione em dispositivos compatíveis com a Alexa, Google Assistente e Siri, entre outros.

De acordo com Tobin Richardson, executivo da Connectivity Standards Alliance (antes Zigbee Alliance), a ideia é que o padrão possibilite a comunicação de dispositivos em redes cada vez mais complexas, para que todos os aparelhos “falem a mesma língua”, independentemente da marca.

Desse modo, os consumidores poderão ficar tranquilos para comprarem lâmpadas, câmeras, fechaduras ou qualquer outro produto inteligente, sem se preocupar com a compatibilidade de tudo isso.

“Os planos de casa inteligente não podem crescer se cada fabricante de dispositivos tiver que desenvolver produtos que funcionem para cada protocolo de ecossistema”, afirmou Kevin Ho, gerente de produto sênior do Google Nest, o que demonstra por que é importante que as empresas estejam unidas para tornar o projeto realidade.

Um novo nome para projeto CHIP, lançado em 2019

Matter é um novo nome para o projeto CHIP (Connected Home over Internet Protocol), criado em 2019, que foca em segurança e visa aumentar a compatibilidade entre os diversos ecossistemas de smart home. A mudança foi anunciada em um evento que contou com líderes de smart speakers da Amazon e do Google, do Samsung SmartThings, Signify (antiga Philips Lighting) e Comcast.

O padrão Matter vem sendo desenvolvido em projeto de código aberto livre de royalties no GitHub. Para além da facilidade de uso, as empresas também têm o desafio de torná-lo seguro e confiável. “Ainda temos um longo caminho pela frente em termos de construção de confiança”, disse Richardson. “Você tem que merecer isso.”

O Google irá detalhar mais sobre a Matter durante sua conferência anual para desenvolvedores, Google I/O, que está marcada para o dia 18 de maio.

Com informações: CNET

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados