PIX vai ser obrigatório para bancos com mais de 500 mil contas

Sistema de pagamentos instantâneos PIX vai ser lançado em novembro pelo Banco Central

Emerson Alecrim
Por
• Atualizado há 8 meses
DInheiro / conta mei

16 de novembro de 2020. Essa é a data que o Banco Central escolheu para colocar em funcionamento o PIX, sistema de pagamentos instantâneos que valerá para todo o Brasil. Os critérios já começaram a ser definidos. Um deles determina que, obrigatoriamente, todas as instituições financeiras com mais de 500 mil contas ativas ofereçam o PIX a seus clientes.

Essa contagem considera conta corrente, conta poupança e conta de pagamento pré-paga. Isso porque, além dos tradicionais bancos de varejo, o novo sistema está sendo desenvolvido para contas digitais, como as que são operadas por diversas fintechs.

Tamanha diversidade não é surpresa: o Banco Central deixou claro em ocasiões anteriores que, com o PIX, pretende estimular a competitividade no setor financeiro do país.

“Por meio desse critério, teremos cerca de 30 instituições, entre instituições financeiras e instituições de pagamento, representando mais de 90% das contas transacionais ofertadas no Brasil, que deverão ser participantes obrigatórias do PIX”, explica João Manoel Pinho de Mello, diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central.

O novo sistema promete várias vantagens aos cidadãos, entre elas, realização de pagamentos e transferências de dinheiro em poucos segundos, além de funcionamento 24 horas por dia, incluindo fins de semana e feriados.

Trata-se de um avanço considerável na comparação com os já clássicos sistemas TED (Transferência Eletrônica Disponível) e DOC (Documento de Ordem de Crédito), que funcionam apenas em dias úteis e podem levar até duas horas para concluir as operações.

Até pagamentos de tributos poderão ser facilitados: o Banco Central afirma ter fechado um acordo com o Tesouro Nacional para permitir que o PIX seja usado para recolhimentos ao governo federal.

Outro avanço esperado é a compatibilidade do PIX com transferências e pagamentos instantâneos via QR Code, modalidade que deverá estar disponível já na estreia do novo sistema. Em fase posterior, transações via tecnologia de aproximação (NFC e MST) também deverão ser suportadas.

Com informações: Agência Brasil.

Relacionados