Intel Pentium Silver

A gente logo pensa nos chips Core quando o assunto é Intel, mas a companhia continua marcando presença — ou pelo menos tentando — em segmentos que exigem processadores mais acessíveis, como notebooks ou tablets de entrada. Duas novas linhas foram anunciadas pela Intel visando esses dispositivos: os novos chips Pentium Silver e Celeron.

No mês passado, a Intel renomeou as suas linhas de processadores acessíveis para torná-las mais organizadas (ou confusas?). Temos, desde então, os processadores Pentium Gold e Pentium Silver, além de novos chips que continuam sendo batizados como Intel Celeron.

Pelo menos por enquanto, os chips Pentium Gold são aqueles que integram a família Kaby Lake, como os modelos Pentium G4560, G4600 e G4620. Já os processadores baseados na nova microarquitetura Gemini Lake (14 nanômetros) estão sendo classificados como Pentium Silver e Celeron.

Seis processadores Gemini Lake foram revelados para esta primeira leva, todos com 4 MB de cache, suporte a até 8 GB de memória DDR4/LPDDR4 e número de threads igual ao de núcleos:

  • Pentium Silver N5000: quad-core de 1,1 GHz (até 2,7 GHz em burst), GPU UHD Graphics 605 de até 750 MHz, TDP de 6 W;
  • Pentium Silver J5005: quad-core de 1,5 GHz (até 2,8 GHz em burst), GPU UHD Graphics 605 de até 800 MHz, TDP de 10 W;
  • Celeron N4100: quad-core de 1,1 GHz (até 2,4 GHz em burst), GPU UHD Graphics 600 de até 700 MHz, TDP de 6 W;
  • Celeron N4000: dual-core de 1,1 GHz (até 2,6 GHz em burst), GPU UHD Graphics 600 de até 650 MHz, TDP de 6 W;
  • Celeron J4105: quad-core de 1,5 GHz (até 2,5 GHz em burst), GPU UHD Graphics 600 de até 750 MHz, TDP de 10 W;
  • Celeron J4005: dual-core de 2,0 GHz (até 2,7 GHz em burst), GPU UHD Graphics 600 de até 700 MHz, TDP de 10 W.

Estrategicamente, a Intel está dando mais destaque para o clock em burst dos processadores. Trata-se de uma característica que ativa automaticamente uma frequência mais elevada quando a demanda de processamento é alta. É uma técnica que lembra muito o modo boost dos chips Core, mas com algumas diferenças, como só funcionar por curtos intervalos de tempo.

De acordo com a Intel, os chips com a letra ‘J’ na identificação são direcionados a desktops. Já os modelos que levam a letra ‘N’ são voltados a dispositivos móveis como tablets e laptops de baixo custo.

Pentium Gold, Pentium Silver

É bom que, dentro daquilo que se espera para a categoria de cada dispositivo, os chips Gemini Lake se saiam bem, afinal, a concorrência tem avançado com força nos últimos meses — até laptops com processadores ARM e Windows 10 estão a caminho, vale lembrar.

Pois bem, ainda que sem entrar em detalhes, a Intel afirma que os novos chips podem ser até 58% mais rápidos em tarefas básicas do que processadores de baixo custo lançados há quatros anos, como o Pentium J2900.

A companhia destaca ainda o suporte à tecnologia Local Adaptive Contrast Enhancement (LACE), que melhora a visualização da tela em ambientes fortemente iluminados, e ao padrão Gigabit Wi-Fi, que tem como base as especificações 802.11ac 2×2 com canais de 160 MHz (em teoria, é um padrão até duas vezes mais rápido do que o 802.11ac “normal”).

Se as previsões da Intel estiverem certas, os primeiros equipamentos baseados nos novos processadores serão lançados no primeiro trimestre de 2018.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados