Rússia exige que Apple ajude a bloquear Telegram no país

Felipe Ventura
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses

Em abril, o governo da Rússia ordenou o bloqueio do Telegram em todo o país, depois que o aplicativo se recusou a entregar chaves de criptografia dos usuários.

No entanto, barrar o Telegram é uma tarefa bem difícil. A Roskomnadzor, agência de telecomunicações do governo russo, reconhece que só conseguiu interromper suas operações em 15% a 30%.

Por isso, a agência pediu à Apple que retire o aplicativo da loja para iOS, e que desative as notificações push para os usuários na Rússia. Dessa forma, não seria mais possível baixar o app, e quem tem o Telegram instalado não receberia alertas para novas mensagens.

A Apple tem um mês para responder, e a App Store pode ser banida do país caso a ordem não seja cumprida. O diretor da Roskomnadzor, Alexander Zharov, alega que o Telegram foi usado para planejar ataques terroristas recentes em todo o mundo.

No mês passado, a Apple já havia sido notificada para remover o aplicativo de sua loja, assim como o Google e até o APKMirror. Nenhuma das empresas cumpriu a ordem, no entanto.

O Telegram está sendo banido na Rússia por não entregar as chaves de criptografia de seis usuários acusados de planejar ataques terroristas. O Serviço Federal de Segurança (FSB), sucessor da KGB, quer investigá-los com base em leis antiterrorismo que preveem a quebra de sigilo em apps de mensagens.

Desde então, a Roskomnadzor decidiu banir cerca de 1,8 milhão de endereços IP do Google e da Amazon, afetando diversos serviços na nuvem. Apesar disso, o Telegram continua funcionando na Rússia.

Com informações: AFP, EFE.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Ventura

Felipe Ventura

Ex-editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. No Tecnoblog, atuou entre 2017 e 2023 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados