SBT, Record e RedeTV também ficarão de fora da Vivo

Vivo era a única grande empresa de TV por assinatura que ainda transmitia os três canais

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 2 meses
Imagem: Divulgação/Simba Content

As emissoras SBT, Record e RedeTV também deixarão de ser transmitidas pelo serviço de TV por assinatura da Vivo. Segundo o Convergência Digital, a operadora enviou um comunicado aos assinantes informando que não conseguiu chegar a um acordo com as emissoras e, portanto, vai interromper a distribuição dos canais de TV no dia 10 de junho.

A Vivo era a única das grandes operadoras que ainda mantinha negociações e transmitia os três canais. Com o fim do sinal analógico, os serviços de TV por assinatura não têm mais a obrigatoriedade da distribuição gratuita dos canais abertos. Por isso, SBT, Record e RedeTV formaram uma joint-venture, a Simba, para cobrar pelo sinal que distribuem às operadoras. Mas ninguém topou a ideia.

Com o fim da distribuição pela Vivo, os canais da Simba deixam de ser transmitidos pelas quatro maiores empresas de TV por assinatura, que juntas detém mais de 97% do mercado de 18,9 milhões de clientes. No primeiro trimestre de 2017, a Claro/NET tinha, sozinha, fatia de 51,6%, seguida por Sky (29,6%), Vivo (8,8%) e Oi (7,2%), de acordo com os dados do Teleco.

Enquanto isso, SBT, Record e RedeTV estudam alternativas para depender cada vez menos das empresas de TV por assinatura. Elas já planejam fornecer conteúdo na Netflix e no Amazon Prime Video, além de criar um serviço de streaming próprio com formatos de conteúdo exclusivos.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados