Seu celular pode ter o dobro dos germes de um vaso sanitário

Estudo descobre que metade dos smartphones estão "altamente contaminados". Maioria dos entrevistados diz usar aparelho no banheiro.

Giovanni Santa Rosa
Por
Boneco de madeira sentado na borda de um vaso sanitário
Entre os entrevistados, 59% disseram levar smartphone para o banheiro (Imagem: Giorgio Trovato / Unsplash)
Resumo
  • Smartphones apresentam, em média, o dobro de germes encontrados em assentos de vaso sanitário, segundo estudo realizado no Reino Unido.
  • Mais da metade dos celulares analisados na pesquisa estavam “altamente contaminados” por micróbios.
  • Entre os entrevistados, 59% admitiram usar o celular no banheiro e 15% disseram não lavar as mãos ocasionalmente antes de manusear seus aparelhos, aumentando o risco de contaminação.
  • Para desinfetar smartphones e reduzir o risco de doenças, recomenda-se o uso de lenços com álcool isopropílico 70% ou álcool etílico, conforme as diretrizes de fabricantes como Apple, Samsung e Motorola, tomando cuidado para não danificar as entradas do aparelho.

Uma pesquisa realizada no Reino Unido descobriu que smartphones têm, em média, o dobro de germes do que é normalmente encontrado no assento de um vaso sanitário. Além disso, mais de metade dos aparelhos analisados no estudo estavam “altamente contaminados” por micróbios, na classificação usada por especialistas.

Um dos aparelhos testados tinha quase seis vezes a média de contaminação de um vaso sanitário, com um nível de germes 558% superior ao encontrado na privada.

Rolo de papel higiênico terminado sobre caixa de vaso sanitário
Aparelhos contaminados podem transmitir doenças (Imagem: Nik / Unsplash)

O estudo foi encomendado pela empresa Initial, que presta serviços de limpeza de banheiros, entre outros trabalhos. A análise foi feita usando 50 celulares, um número relativamente pequeno. Isso pode tornar os resultados menos representativos.

Os aparelhos foram submetidos a testes com swabs e leitura de bioluminescência de ATP, uma molécula usada pelos seres vivos para armazenar e liberar energia. Ele pode ser usado para como indicador de contaminação por micro-organismos.

Maioria usa celular no banheiro

Além das análises de laboratório, a pesquisa ouviu mais de 2 mil pessoas, com perguntas sobre seus hábitos de higiene. Entre elas, 59% admitiram usar o celular no banheiro.

Além disso, 15% confessaram que deixam de lavar as mãos às vezes, o que significa que eles podem contaminar o celular mesmo sem levar o aparelho como companhia na hora das necessidades.

Mãos sendo lavadas na pia
Mãos sujas também podem contaminar celulares, mesmo que eles não entrem no banheiro (Imagem: Clay Banks / Unsplash)

Jamie Woodhall, gerente de inovações tecnológicas da Initial, diz que os celulares se tornaram um depósito de patógenos. “Quando as pessoas usam seus celulares e os colocam próximos da boca durante ligações, elas estão potencialmente aumentando a probabilidade de pegar alguma doença”, alerta o especialista.

A contaminação não chega a ser novidade: há 12 anos, em uma época em que os smartphones nem eram tão populares assim, uma pesquisa já mostrava que 16% dos aparelhos tinham coliformes fecais, como E. coli, que pode causar doenças.

Como desinfetar seu celular

Para evitar a contaminação, o melhor a se fazer é lavar as mãos e não levar seu smartphone para o banheiro. Mesmo assim, se você não resistir à tentação de ter uma telinha para se distrair enquanto faz o número dois, é recomendável desinfetar seu aparelho.

Tanto Apple quanto Samsung dizem, em suas páginas de ajuda, que lenços ou panos com álcool isopropílico 70% ou álcool etílico podem ser usados para desinfetar aparelhos. A Motorola menciona apenas o álcool isopropílico 70%.

Mesmo assim, é preciso ter cuidado para evitar que o produto entre nas portas de carregamento e fone de ouvido. Outra recomendação é desligar o aparelho durante a limpeza. Produtos abrasivos ou alvejantes não devem ser usados, e nem pense em mergulhar o dispositivo na água com sabão ou desinfetante.

Com informações: The Mirror e Daily Express

Receba mais sobre Reino Unido na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados