Se você é do tipo que dorme com o seu celular ao lado do travesseiro e não cai no sono antes de dar uma última olhadinha nele, cuidado: você pode ser um sério candidato ao “sleep texting”, um curioso comportamento que leva a pessoa a enviar mensagens pelo aparelho enquanto dorme.

Os relatos do fenômeno têm aumentado tanto que o assunto já virou alvo de estudos. De acordo com a professora Elizabeth Dowdell, da Universidade de Villanova, nos Estados Unidos, o problema atinge principalmente o público jovem, o mais adepto à comunicação via SMS, Twitter, WhatsApp, Facebook Messenger, entre outros.

Dowdell decidiu investigar o sleep texting depois de ouvir a história de um aluno que tinha o hábito de enviar e responder mensagens durante o sono, mas não se lembrava de nada ao despertar. O estudante só percebia o que tinha feito algum tempos depois, ao consultar o histórico de mensagens enviadas de seu aparelho.

A partir daí, a professora fez uma pesquisa com 300 estudantes para ter uma noção mais precisa do fenômeno. Ela ficou espantada ao descobrir que entre 25 e 35% já haviam enviado mensagens pelo celular enquanto dormia e que pelo menos 50% deles admitiram que o aparelho já interferiu em seu sono de alguma maneira.

Elizabeth Dowdell constatou que há um comportamento padrão: além de a pessoa normalmente não se lembrar de ter enviado mensagens, seu texto costuma ter vários erros de escrita e, muitas vezes, não tem nexo algum. Também, pudera: este é praticamente um estado de sonambulismo. Duvida? Então pesquise por #sleeptexting no Instagram e se divirta!

#sleeptexting
#sleeptexting

Em geral, as mensagens não passam disso, de uma situação cômica. A professora descobriu, por exemplo, que os jovens do sexo masculino são mais propensos a enviar mensagens referentes a comida – “estou com fome”, “vamos comer uma pizza” e assim por diante. É claro que há algumas situações constrangedoras: uma aluna teria ficado desesperada ao descobrir que respondeu ao ex-namorado enquanto dormia com mensagens que sugeriam que ela não estava nem um pouco conformada com o status de “ex”.

Se as mensagens não significam nenhum problema importante, por outro lado, o fenômeno em si preocupa alguns especialistas, pois sugerem que a qualidade de sono do indivíduo está prejudicada, situação que pode afetar a sua capacidade cognitiva durante o dia e, combinando com outros fatores, facilitar um estado de ansiedade que causará problemas mais significativos no futuro.

Trata-se mesmo de um problema dos tempos modernos. De modo geral, não medimos o uso da tecnologia e ficamos constantemente de prontidão para receber informações novas: mantemos o e-mail aberto durante todo o expediente, verificamos prontamente qualquer notificação emitida pelo smartphone – mesmo quando não há – , checamos nossas redes sociais trocentas vezes por dia, enfim. O resultado deste estado de alerta constante são, quando leves, fenômenos bizarros como este.

Se o “sleep texting” acontece com você, talvez seja o caso de se esforçar para ficar longe do celular. Para isso, vale largá-lo longe da cama, desativar a rede de dados e, em casos extremos, até desligá-lo durante a noite. Ter em mente que se alguma coisa for importante você vai ficar sabendo de uma forma ou de outra e que a maioria dos assuntos não precisa de uma resposta imediata sua também ajuda 😉

Com informações: Business Insider

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados