Tempestade solar afetou internet da Starlink e tratores controlados por GPS

Além de auroras visíveis na Europa, Argentina e Chile, entre outras regiões, fenômeno também causou pequenos problemas em alguns sistemas de comunicação

Giovanni Santa Rosa
Por
Aurora boreal
Tempestade solar causou auroras boreais e austrais como esta, vista em Vermont (EUA) (Imagem: Nicholas Erwin / Flickr)

A tempestade solar que atingiu a Terra entre sexta-feira (10) e sábado (11) não gerou apenas belas imagens — ela também causou problemas em tratores controlados por GPS e na internet da Starlink, entre outros transtornos.

No sábado, a Starlink alertou seus usuários sobre uma queda de qualidade no serviço por causa da tempestade geomagnética, a maior a atingir a Terra em duas décadas. Elon Musk — dono da SpaceX, que administra a Starlink — usou a rede social X (antigo Twitter) para informar que os satélites da companhia estavam sob intensa pressão, devido ao fenômeno solar.

Outras empresas também tiveram problemas. Segundo o site 404 Media, a John Deere alertou agricultores dos Estados Unidos para problemas na precisão dos tratores controlados por GPS. Os sistemas estavam “extremamente comprometidos”, disse a companhia em mensagens de texto. Por causa disso, agricultores que plantaram durante estes períodos poderão ter problemas na hora da colheita.

Segundo o Departamento de Agricultura dos EUA, dados de 2023 apontam que mais de 50% das plantações de milho, algodão, arroz, sorgo e trigo de inverno do país usam “orientação automatizada”.

Além destes dois exemplos, o Verge menciona também relatos no Reddit de problemas em frequências usadas por radioamadores.

Tempestades solares podem causar danos

Uma tempestade solar é causada por ejeções de massa coronal ou erupções na superfície do astro, disparando partículas em alta velocidade. Caso elas atinjam a Terra, podem causar perturbações no campo magnético do planeta.

Esta não é a primeira vez que uma tempestade solar (também chamada tempestade geomagnética) causa pequenos transtornos na Terra. Em geral, elas representam riscos para comunicações e transmissão de energia.

Em 2022, a mesma Starlink perdeu 40 satélites de internet por causa de um episódio do tipo. Em 2003, uma tempestade solar causou quedas de energia na Suécia e danificou transformadores na África do Sul. Em 1989, o fenômeno causou um blecaute na província de Quebec, no Canadá, deixando milhões de pessoas sem luz.

O evento da última sexta causou auroras boreais visíveis na Europa e auroras austrais visíveis na Argentina e no Chile. Ele recebeu a classificação G5, a mais alta da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) dos EUA.

Em 1859, uma tempestade solar foi muito além disso, causando auroras visíveis até mesmo em regiões de México, Cuba, Austrália, Japão e China. Conhecido como Evento Carrington, o fenômeno também interrompeu as linhas de telégrafo.

Com informações: 404 Media, Reuters, The Verge

Receba mais sobre Starlink na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados