Tesla é processada em US$ 2 bilhões por startup de caminhões Nikola

Paulo Higa
Por
• Atualizado há 1 mês
Nikola One

Duas empresas do mesmo setor e com nomes bem peculiares estão brigando na justiça: a Nikola, uma startup de caminhões movidos a hidrogênio, e a Tesla, montadora de automóveis e sistemas elétricos de Elon Musk. Nesta terça-feira (1º), a Nikola abriu um processo nos Estados Unidos contra a Tesla por supostamente infringir patentes no caminhão autônomo Semi: ela quer uma indenização de US$ 2 bilhões.

Entre os produtos da Nikola estão os caminhões Nikola One e Nikola Two, que prometem ser mais leves, mais rápidos e mais seguros que os movidos a diesel (assim como o Tesla Semi). Recentemente, a Nikola abriu uma divisão batizada de Nikola Energy com o objetivo de dominar a indústria de energia solar (assim como a Tesla Energy).

Tesla Semi

A Nikola diz que o Tesla Semi tem várias similaridades com os caminhões Nikola One e Nikola Two, incluindo detalhes dos pára-lamas dianteiros, pára-brisas que envolvem a cabine, portas de entrada intermediárias e fuselagem aerodinâmica com coeficientes de arrasto parecidos. Além disso, a Nikola diz que a Tesla tentou contratar seu engenheiro-chefe alguns meses após ter anunciado o caminhão movido a hidrogênio.

Quando as primeiras imagens do Tesla Semi vazaram na internet, a Nikola percebeu a semelhança e chegou a pedir para que a empresa de Elon Musk adiasse seu evento de lançamento até que a questão fosse resolvida, mas nunca houve resposta. E, como a Nikola perdeu parte de seus investidores e parceiros para a Tesla, esta última estaria causando uma “confusão no mercado”, gerando prejuízos de US$ 2 bilhões.

Em nota ao The Verge, a Tesla diz ser “obviamente óbvio que não há mérito nesse processo”.

Nikola Tesla não deve estar nem um pouco feliz com essa história.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Ex-editor executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. No Tecnoblog, atuou como editor-executivo e head de operações entre 2012 e 2023. Viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. Foi coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Canal Exclusivo

Relacionados