Robô da Tesla prende e machuca funcionário em fábrica nos EUA

Robô ficou ligado durante configuração e causou ferimentos nas costas e no braço de engenheiro. Tesla é criticada por questões de segurança no trabalho.

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 4 meses
Logo da montadora de carros autônomos Tesla (Imagem: Ivan Radic/Flickr)
Tesla tem número de acidentes de trabalho acima da média (Imagem: Ivan Radic/Flickr)
Resumo
  • Incidente: Um engenheiro da Tesla foi capturado por um robô na Giga Texas, resultando em lesões nas costas e no braço em 2021.
  • Contexto: O incidente aconteceu durante a programação dos equipamentos. Um robô responsável por peças de alumínio permaneceu ativo, levando ao ocorrido.
  • Intervenção: Um colega usou botão de emergência para interromper a máquina, após o engenheiro cair e se ferir.
  • Riscos Laborais: A unidade Giga Texas registra índices de acidentes de trabalho acima da média nacional dos EUA.

As garras de um robô da Tesla prenderam um trabalhador da empresa em uma fábrica do Texas (EUA). O engenheiro teve ferimentos nas costas e no braço, deixando um rastro de sangue no local, segundo testemunhas. O episódio é mencionado em um relatório enviado para autoridades regulatórias. Ele aconteceu em 2021, na fábrica Giga Texas, da Tesla, que fica na cidade de Austin.

O funcionário é um engenheiro, que trabalhava na programação do software de controle dos robôs. Dois deles estavam desativados, mas um terceiro, responsável pelo manuseio de peças de alumínio recém-fundidas, ficou ligado e causou o acidente. O robô fez os movimentos normais, mas como o trabalhador estava próximo, ele acabou sendo agarrado pela máquina.

Tesla Model Y (Foto: divulgação/Tesla)
Tesla Model Y é um dos modelos fabricados na Giga Texas (Foto: Divulgação/Tesla)

Outro funcionário precisou apertar um botão de emergência para suspender a operação da máquina. Segundo duas testemunhas ouvidas pelo site The Information, o engenheiro conseguiu se soltar das garras, mas caiu alguns metros adiante, em uma rampa para coletar sucata de alumínio, deixando um rastro de sangue no chão.

Apesar disso, a Tesla diz, no relatório, que o engenheiro não precisou ficar afastado do trabalho devido aos ferimentos. Segundo o Daily Mail, que teve acesso aos documentos, nenhum outro acidente envolvendo robôs aconteceu em 2021 e 2022.

Tesla tem frequência de acidentes maior que a média

Não são só os carros da Tesla que causam polêmica quando o assunto é segurança — as próprias fábricas da empresa são alvo de críticas. Em 2021, um funcionário que trabalhava na construção da Giga Texas morreu de insolação.

Segundo a reportagem do The Information, um a cada 21 funcionários da fábrica Giga Texas da Tesla se feriu durante o trabalho em 2022. O número indica uma frequência maior que a média dos EUA, que é de um a cada 30.

Os dados de acidentes graves também mostram esta mesma tendência. Um a cada 26 funcionários da Tesla teve ferimentos sérios no trabalho em 2022. Em outras grandes montadoras dos EUA, este número é menos frequente: um a cada 38 trabalhadores.

Com informações: Daily Mail, The Independent, Sky News

Receba mais sobre Tesla na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Relacionados