The Town: cão-robô e drone israelense reforçam a segurança do festival

Festival em São Paulo deve receber 100 mil pessoas por dia. Esquema de segurança conta com centro operacional que monitora todo o perímetro do Autódromo de Interlagos.

Thássius Veloso
Por
Cão-robô amarelo sobre quatro patas
Cão-robô Yellow foi usado no Rock in Rio e retorna ao país para o The Town (Imagem: Divulgação/SegurPro)

O festival The Town chega a São Paulo neste fim de semana com alta tecnologia para a segurança dos participantes. Serão utilizados um drone especial de vigilância e o cão-robô Yellow, que retorna ao Brasil depois de uma bem-sucedida experiência durante o Rock in Rio de 2022.

Todas as informações dos equipamentos tecnológicos e das pessoas que participam da segurança do evento serão enviados ao Centro de Controle Operacional (CCO) da SegurPro, que está instalado diretamente no evento. A empresa afirma que tem condições de saber exatamente o que ocorre em cada posição da Cidade da Música (no Autódromo de Interlagos) a cada instante.

Cão-robô Yellow

Provavelmente você já viu imagens do cão-robô Spot, desenvolvido pela Boston Dynamics, na cobertura de tecnologia. Um equipamento similar irá ajudar no monitoramento da Cidade da Música. Batizado de Yellow, o simpático robô quadrúpede foi usado no Rock in Rio do ano passado para monitoramento dos ambientes. Ele está em uso novamente no The Town, com a proposta de gerar imagens a partir de variadas câmeras.

O Yellow pode ser operado de forma remota, a partir do centro de segurança do evento. A empresa detentora do cão eletrônico explica que ele pode se expor a riscos e até mesmo entrar em confronto, de modo a evitar a exposição de seres humanos em situações de conflito. O modelo tem sensor de temperatura que auxilia na detecção de incêndio. Os dados coletados pelo Yellow podem ser transmitido pela rede 5G, que foi reforçada no Autódromo de Interlagos.

Eu pude interagir com o Yellow durante o festival do Rio de Janeiro. O controle lembra muito um joystick de drone ou de videogame. Os comandos rapidamente são assimilados e o Yellow responde de maneira veloz. Tal qual ocorreu no ano passado, ele não irá operar de maneira autônoma no The Town.

Drone israelense

O drone Albatross tem uma peculiaridade em relação a outros dispositivos aéreos: ele conta com um cabo que o permite ficar no ar por muito mais tempo. A autonomia dura mais de 12 horas, de acordo com a SegurPro, já que não depende de bateria.

Mesmo assim, o equipamento traz boa visibilidade. Ele consegue ficar entre 80 e 100 metros acima do público, com possibilidade de visualizar milhões de metros quadrados. Trata-se de uma tecnologia desenvolvida em Israel. Ele tem condições de operar mesmo na chuva ou neblina.

Drone Albatross sobrevoa o Autódromo de Interlagos
Drone Albatross sobrevoa o Autódromo de Interlagos (Imagem: Divulgação/Marcelo Mucelli/SegurPro)
Maquete 3D de palco ao fundo e multidão de pessoas
Organização prevê a presença de 100 mil pessoas por dia (Imagem: Divulgação/The Town)

A SegurPro explica que o modelo tem zoom ótico de 40 vezes e sensor térmico. O software do Albatross, fruto de parceria entre as empresas Ôguen e Aeroscan, traz inteligência artificial capaz de identificar pessoas e veículos. Também há um mecanismo de detecção de fumaça.

Relacionados