Tokens de ações da Apple e Microsoft serão negociados na Binance

Corretora de criptomoedas Binance passa a oferecer ações tokenizadas da Apple e Microsoft; reguladores investigam legalidade

Bruno Ignacio
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
Loja da Apple em Hong Kong (Imagem: Alexandr Bormotin/Unsplash)
Apple terá ações tokenizadas pela Binance (Imagem: Alexandr Bormotin/Unsplash)

A Binance, uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo, anunciou nesta segunda-feira (26) que irá disponibilizar tokens de ações da Apple, Microsoft e Microstrategy. Tratam-se de versões tokenizadas dos ativos negociados na bolsa de valores Nasdaq e que se tornaram alvo de controvérsia envolvendo órgãos reguladores.

Os novos tokens serão lançadas gradualmente ao longo desta semana. Hoje, as ações tokenizadas da Microstrategy (MSTR), serão disponibilizadas, enquanto as da Apple (AAPL), serão liberadas na quarta-feira (28) e as da Microsoft (MSFT) na sexta-feira (30).

Assim, a Binance passa a oferecer no total cinco tipos de tokens, uma vez que já lançou ativos digitais equivalentes a ações da Tesla (TSLA) e da Coinbase (COIN) ao longo de abril. A corretora é uma das poucas no mundo que oferece esse tipo de criptoativo, além das exchanges Bittrex Global e da FTX.

O que são tokens de ação?

O novo tipo de criptoativo foi lançado na Binance no dia 12 de abril, oferecendo inicialmente um token lastredo no desempenho das ações da Tesla. Essencialmente, esses ativos digitais equivalem a uma ação de determinada empresa negociada na bolsa de valores. Contudo, devido a restrições legais, sua oferta é proibida nos Estados Unidos, China, Turquia e outros países, mas é permitida no Brasil.

Tanto o preço quanto os benefícios que envolvem a ação original são repassados para o token, fazendo que seu dono também tenha direito a dividendos e demais vantagens vinculadas ao ativo original, exceto direito de voto. A Binance explicou em uma publicação no blog da exchange que esse novo derivativo permite a negociação de ações fracionadas, trazendo maior liquidez para o mercado e permitindo investimentos iniciais menores.

Ações da Apple, por exemplo, podem agora ser adquiridas indiretamente como criptoativos através da Binance. Esses tokens de ações são negociados com a stablecoin nativa da exchange, a Binance USD (BUSD), que é lastreada no dólar. A corretora afirma ainda que não são cobradas comissões nas transações, o que oferece uma alternativa para se entrar na bolsa de valores pagando menos taxas.

Ações tokenizadas geram controvésia regulatória

O Financial Times noticiou na semana passada que após a Binance começar a negociar ações tokenizadas, órgãos reguladores europeus começaram a investigar se a exchange de criptomoedas estaria cumprindo as regras de valores mobiliários com o lançamento dos novos criptoativos.

A Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA) disse em um comunicado ao Financial Times que está “trabalhando com a empresa para entender o produto, os regulamentos que podem se aplicar a ele e como ele é comercializado”. O órgão também acrescentou que “as empresas e as suas equipes de gestão sênior são responsáveis ​​por determinar se os seus produtos e serviços se enquadram nas competências da FCA”.

A Binance respondeu que seus tokens de ações são um produto oferecido através da CM-Equity, um grupo regulamentado de investimentos da Alemanha e, portanto, seguem as regulamentações estabelecidas pela Autoridade de Supervisão Financeira Federal (BaFin) e pela Diretiva de Mercados de Instrumentos Financeiros da União Europeia (MiFID).

Com informações: CoinDesk, Financial Times

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Bruno Ignacio

Bruno Ignacio

Ex-autor

Bruno Ignacio é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cobre tecnologia desde 2018 e se especializou na cobertura de criptomoedas e blockchain, após fazer um curso no MIT sobre o assunto. Passou pelo jornal japonês The Asahi Shimbun, onde cobriu política, economia e grandes eventos na América Latina. No Tecnoblog, foi autor entre 2021 e 2022. Já escreveu para o Portal do Bitcoin e nas horas vagas está maratonando Star Wars ou jogando Genshin Impact.

Canal Exclusivo

Relacionados