Vendas de computadores caem pelo quarto trimestre consecutivo

Tombo de cerca de 30% leva indústria de computadores ao pior resultado desde 2019, antes da pandemia; Apple tem pior retração entre empresas do top 5

Giovanni Santa Rosa
Por
MacBook Pro M1 Max (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
MacBook Pro M1 Max (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O sinal de alerta está ligado para a indústria de computadores. De acordo com consultorias, houve uma queda de cerca de 30% nas vendas no primeiro trimestre de 2023 em comparação com o mesmo período de um ano anterior. Com isso, o setor chega a um ano inteiro de resultados negativos.

As informações são das empresas de análise de mercado IDC e Canalys. A primeira apontou uma queda de 29%, e a segunda, de 33%. A Canalys também aponta que 54 milhões de unidades foram despachadas no primeiro trimestre de 2023.

Os resultados ruins de 2022 vieram após ótimos números em 2020 e 2021. Durante a fase mais crítica da pandemia de COVID-19, muita gente precisou ir trabalhar de casa e trocou de computador por isso.

Com isso, muitos consumidores têm computadores relativamente novos. Como observa o TechCrunch, laptops tendem a funcionar bem de três a cinco anos, e desktops, de três a oito. Então, um número considerável de usuários não tem por que trocar de equipamento agora.

Outro fator se soma: a crise econômica. A inflação está em alta, e as grandes demissões em massa de empresas de tecnologia representam bem as dificuldades do período atual. Nessa situação de incerteza, os consumidores geralmente evitam fazer gastos de alto valor.

Mesmo assim, um dado chama a atenção: as vendas no primeiro trimestre de 2023 ficaram abaixo do mesmo período de 2019. Em outras palavras, a indústria está abaixo do nível pré-pandemia.

Apple leva tombo após lançamento do M1

Do top 5 de maiores vendedoras de computadores, a Apple teve as maiores quedas. Segundo a IDC, o resultado negativo foi de 40,5%; já a Canalys aponta para uma retração de 45,5%.

Uma parte da queda se explica pela “ressaca” após a chegada dos primeiros chips próprios da empresa da maçã.

O lançamento dos primeiros computadores com M1 deu um empurrãozinho nas vendas durante 2021 e 2022. Passada essa onda de novidades, a retração natural veio maior que as concorrentes.

Além disso, os computadores da Apple são mais caros. Como mencionado, gastos mais altos ficam em suspenso durante períodos de incerteza econômica.

O top 5 de vendedoras é composto por Lenovo, HP, Dell, Apple e Asus. Todas tiveram quedas. A maior foi a da Apple, como mostramos. Entre as outras quatro, a HP foi quem teve o menor tombo, com 24,1%, segundo a Canalys. Já o maior foi o da Asus, que encolheu 38,8%.

Mesmo assim, as duas consultorias consideram que 2024 deve ser melhor. Quem trocou de PC no pior momento da pandemia, entre 2020 e 2021, já estará com um computador entrando na “velhice” e pode começar a considerar uma troca

Com informações: TechCrunch

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados