Apple apresenta resultado financeiro com queda de 31% nas vendas de Macs

Empresa da maçã divulgou balanço do primeiro trimestre do ano; receitas caíram 3%, puxadas por queda nas vendas da linha Mac, mas setor de serviços diminui baque

Felipe Freitas
Por
Logotipo da Apple
Apple supera expectativas no Q1 2023 (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Nesta quinta-feira (4) a Apple divulgou seu resultado financeiro referente aos três primeiros meses do ano (Q1 2023). Como especulavam algumas empresas de análise do mercado financeiro, a fabricante dos iPhones teve uma queda na receita. Porém, a Apple superou os resultados esperados pelos analistas, caindo apenas 3% na comparação com o Q1 2022.

A gigante de Cupertino fechou o trimestre com US$ 94,8 bilhões (aproximadamente R$ 472 bilhões) de receita, contra US$ 97,2 bilhões (R$ 484 bilhões) no mesmo trimestre de 2022. A Refinitiv, empresa do ramo de análise de mercado, publicou um relatório especulando a receita da Apple no Q1 2023 fechando em US$ 92 bilhões (R$ 458 bilhões).

Lembrando que os comparativos seguem, na maioria das vezes, o mesmo período do ano anterior, já que cada trimestre possui suas peculiaridades. Por exemplo, o último trimestre do ano engloba Natal e Black Friday, datas que elevam as vendas. Logo, não faria sentido comparar o resultado financeiro do Q4 2022 da Apple com o primeiro trimestre de 2023.

Vendas do Mac caíram mais de 30% neste trimestre

Vendas do Mac tombaram para trás no primeiro trimestre do ano (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Vendas do Mac tombaram para trás no primeiro trimestre do ano (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A queda nas vendas dos dispositivos da linha Mac foi de aproximadamente 31%, parte do motivo da queda nas receitas. As vendas saíram de US$ 10,4 bilhões (Q1 2022) para US$ 7,1 bilhões no último trimestre. O mal desempenho das vendas dos Macs não surpreendeu a Apple, investidores e analistas. Computadores estão “empoeirando” nas prateleiras.

Depois do crescimento nas vendas de laptops e desktops durante a parte mais grave da pandemia, fabricantes de computadores estão perdendo as vendas. O grande público que comprou um notebook ou PC depois de março de 2020 não está precisando de um upgrade por agora.

Para piorar esse segmento, a alta da inflação pelo mundo e temor com pioras na economia (puxada também pela Guerra da Rússia contra Ucrânia) faz o consumidor segurar a troca de computador.

A venda de tablets também caiu, mas foi uma queda modesta: chegou em US$ 6,6 bilhões, contra 7,6 bilhões do Q1 2022. Vestíveis, acessórios e produtos da divisão Casa, que envolve o HomePod e o Apple TV, teve uma variação pequena: US$ 8,7 bilhões no Q1 2023 — saindo de US$ 8,8 bilhões no ano passado.

iPhone tem crescimento modesto e serviços batem recorde

iPhone e serviços bateram recordes no início deste ano (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
iPhone e serviços bateram recordes no início deste ano (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O iPhone, carro chefe da Apple, vendeu US$ 51,3 bilhões nos primeiros três meses do ano. No Q1 2022, o smartphone da empresa da maçã gerou US$ 50,5 bilhões. As vendas de iPhone no Q1 2023 foi o melhor desempenho da história nesta época do ano

Mesmo com o mercado de celulares diminuindo, a Apple cresceu. Isso se deve a recuperação na cadeia de produção e fim dos lockdowns nas fábricas chinesas.

Mas o motivo de comemoração da Apple é a divisão de serviços, que envolve seus produtos por assinatura, carteira e outros métodos de pagamento. O setor atingiu a maior receita da sua história, fechando o Q1 2023 com US$ 20,9 bilhões. O valor é US$ 1,1 bilhão maior do que o ano anterior.

Relacionados