Windows e Xbox despencam, mas Microsoft lucra US$ 18 bilhões no início de 2023

Divisões de serviços e nuvens ajudaram Microsoft a registrar lucro líquido de US$ 18,3 bilhões nos três primeiros meses de 2023

Emerson Alecrim
Por
Microsoft
Microsoft (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Nesta terça-feira (25), a Microsoft divulgou os resultados financeiros referentes ao primeiro trimestre de 2023. No período, a companhia obteve receita de US$ 52,9 bilhões e lucro líquido de US$ 18,3 bilhões. São números bons, mas eles seriam melhores se as divisões de Windows e Xbox não tivessem decepcionado.

A receita de US$ 52,9 bilhões representa um aumento de 7% em relação ao mesmo período de 2022 (US$ 49,6 bilhões). Nesse comparativo, o lucro líquido aumentou 9%, pulando de US$ 16,7 bilhões (2022) para US$ 18,3 bilhões (2023).

Divisões Windows e Xbox sofreram

Contudo, as vendas de PCs permaneceram desaceleradas depois de experimentar uma grande demanda nos meses mais críticos da pandemia. Como consequência, a receita da Microsoft com o Windows no mercado OEM (licenças fornecidas a fabricantes de PCs) caiu 28% na comparação ano a ano.

A queda na demanda por PCs também teve efeito sobre a divisão de dispositivos da Microsoft. Os portáteis Surface (não comercializados oficialmente no Brasil) e as linhas de acessórios (como teclados e mouses) da companhia tiveram queda de 30% nas vendas em relação ao primeiro trimestre de 2022.

Na divisão Xbox, a receita com consoles também despencou 30% no ano a ano. Já a receita com jogos para a plataforma teve queda de 4%. Pelo menos a área de serviços Xbox registrou alta de 3% na receita. Isso sugere um aumento no número de assinantes do Xbox Game Pass, embora a Microsoft não tenha revelado o tamanho atual dessa base.

Dell Inspiron 13 com Windows 11 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Dell Inspiron 13 com Windows 11 (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Áreas de nuvens e serviços foram bem

Os resultados das áreas de nuvens e serviços evitaram um trimestre desastroso para a Microsoft. Os destaques vão paras as divisões Dynamics 365 e Azure, que tiveram aumento de receita ano a ano de 25% e 27%, respectivamente.

A divisão Microsoft 365 (inclui as ferramentas do Office) foi outro destaque. Aqui, a receita no primeiro trimestre de 2023 aumentou 14%. Isso é efeito, em grande parte, do crescimento da base de usuários, que pulou de 63,2 milhões de assinantes no final de 2022 para 65,4 milhões no último trimestre.

Até o LinkedIn teve um trimestre positivo. A receita da rede social, que pertence à Microsoft desde 2016, cresceu 8% no período.

Outra divisão que teve resultado positivo foi a de busca e anúncios, com aumento de receita de 10%. Aqui, é possível que a integração com o ChatGPT tenha servido para elevar o número de usuários do Bing. Resta saber se o bom desempenho será mantido nos próximos meses.

O relatório financeiro está no site da Microsoft. O documento diz respeito ao terceiro trimestre fiscal da Microsoft, que corresponde ao período encerrado em março de 2023.

Relacionados