O que é proxy e qual a diferença para a VPN?

Saiba o que é proxy, o serviço intermediário entre o usuário e a internet que esconde a sua identidade, e que é parecido com a VPN

Ronaldo Gogoni
Por

Muita gente confunde o que é proxy com a definição de uma VPN. Embora ambos sirvam para mascarar o seu IP e impedir que você seja identificado na internet, a forma como atuam é bem diferente. Neste texto vamos explicar como um proxy funciona.

O que é proxy? (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
O que é proxy? (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Um proxy é um serviço que age como um intermediário entre o usuário e a internet, recebe e repassa todas as suas requisições ao site que você está acessando. Dessa forma, o IP registrado nessas páginas acessadas é o do proxy e não o seu. Assim, sua identidade não fica exposta na rede, dificultando que você seja rastreado.

Além da proteção à identidade, um usuário pode adotar o proxy para: 

  • Evitar restrições de navegação estatal ou institucional: governos, escolas e outras organizações podem usar firewalls para limitar o acesso dos usuários à internet. Nesse caso, o proxy ajudará a pessoa a contornar a restrição e acessar o que deseja;
  • Hospedar firewall: usado como um sistema de segurança, o firewall pode ser hospedado em proxy para aprovar ou bloquear o tráfego de entrada antes que ele chegue à rede.
  • Bloqueio de conteúdos: pense na escola do exemplo anterior —  ela também  pode usar um proxy, mas de uma outra forma. Ao usar proxies com regras de filtragem de conteúdo, ela consegue bloquear o acesso dos alunos a sites como Facebook e Instagram, por exemplo.

Tipos de servidores proxy

Pelos exemplos acima, já deu para perceber que existem diversos tipos de proxies e cada um se adapta a uma situação. Veja abaixo mais detalhes sobre cada um:

  • Proxy transparente: com ele, o site que estiver acessando ainda vai saber quem é você. Ou seja, ele passa seu endereço IP para o servidor web, além de mostrar que está usando um proxy. Ele normalmente é usado por escolas e bibliotecas para filtragem de conteúdo.
  • Proxy anônimo: nesse caso, ele se identifica como um proxy, mas fornece um IP falso para o site. Assim, você pode parecer estar em um local diferente do que está e conseguir acessar conteúdos que na sua região está bloqueado, por exemplo. Assim como no transparente, ele também mostra que o usuário está usando um proxy;
  • Proxy de alto anonimato: esses proxies disfarçam seu uso, ou seja, não permitem que detectem que o usuário está usando um proxy. Além disso, alteram com frequência o endereço IP apresentado a um site dificultando o rastreamento de tráfego.

Qual a diferença entre proxy e VPN?

Neste ponto, muita gente pensa que um proxy e uma VPN são a mesma coisa, pois ambos possuem a mesma função, que é proteger a identidade do usuário na internet — mas, não é bem assim.

Embora uma VPN (Virtual Private Network) também possa ser usada para acessar serviços de outros países, e mascarar seu IP, ela cria uma rede privada criptografada, blindando totalmente os dados entre o computador do usuário e o servidor VPN. Já o proxy é apenas um intermediário entre você e a internet e não criptografa nada.

Por isso mesmo, é normal utilizar mais de um proxy para realizar uma conexão realmente anônima, com cada servidor escondendo o IP do servidor anterior, dificultando o rastreio do usuário.

Proxy e VPN são coisas diferentes. (Imagem: Ed Webster/Pexels)
Proxy e VPN são coisas diferentes. (Imagem: Ed Webster/Pexels)

Pago ou gratuito?

Assim como as VPNs, existem as versões pagas dos serviços de proxies, desenvolvidas por empresas confiáveis e que são mais seguras. Há também as versões gratuitas, mais vulneráveis a ataques e que podem acessar e repassar seus dados a terceiros, bem mais facilmente do que uma VPN gratuita, dada a falta de criptografia. Por isso, tome muito cuidado com qual serviço você vai usar e proteja bem os seus dados.

Com informações: Avast e Cloudfare

Ronaldo Gogoni

Ronaldo Gogoni é formado em Análise de Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia da Informação pela Fatec (Faculdade de Tecnologia de São Paulo). No Tecnoblog, fez parte do TB Responde, explicando conceitos de hardware, facilitando o uso de aplicativos e ensinando truques em jogos eletrônicos. Atento ao mundo científico, escreve artigos focados em ciência e tecnologia para o Meio Bit desde 2013.

Relacionados

Relacionados