O que é um teclado mecânico e qual a diferença para o de membrana?

Saiba quais são as diferenças entre um teclado mecânico e um de membrana, e conheça as vantagens e desvantagens

Ronaldo Gogoni
Por

O teclado mecânico está ficado cada vez mais popular devido a sua vantagem em relação ao de membrana, modelo mais tradicional. Neste artigo, você vai aprender as diferenças entre eles, além de conhecer os pontos fortes e de atenção de cada um. Continue comigo e veja se faz sentido você investir em um.

Teclado mecânico
O teclado mecânico é muito usado por quem joga pelo PC. (Imagem: John Petalcurin/Unsplash)

Teclado mecânico

Os teclados mecânicos são os preferidos da comunidade gamer de PC, e também são bastante procurados por outros perfis de usuários, como escritores.

Eles são mais duráveis e bem menos propensos a erros, graças à ativação individual de cada uma das teclas.

Isso acontece porque cada tecla possui um switch, um mecanismo que controla o toque e o contato com a placa de circuito através de uma mola. Existe mais de um tipo de switch, que varia conforme a resistência que a mola oferece no clique: alguns são mais suaves, enquanto outros, mais duros. Há também os switches silenciosos, enquanto outros fazem barulho ao clicar.

Switches em teclado mecânico
Switches em teclado mecânico. (Imagem: InBox Dicas/Unsplash)

Há uma série de fabricantes de switches, dentre os quais a alemã Cherry que virou uma referência da categoria: a linha Cherry MX conta com modelos variados, separados por cores, entre mais e menos resistentes, silenciosos ou barulhentos.

Confira algumas vantagens do teclado mecânico:

  • Resposta mais rápida aos comandos;
  • Imunidade ao ghosting — termo usado quando um teclado não consegue responder a comandos simultâneos, ou seja, quando você pressiona várias teclas ao mesmo tempo e alguns caracteres falham;
  • Alta durabilidade já que os switches podem ser adquiridos e substituídos pelo próprio usuário, na maioria dos casos

Entre as desvantagens, estão a dificuldade em escolher qual tipo de switch é o mais adequado e o preço: um teclado mecânico de ponta pode custar mais de R$ 1 mil.

Teclado de membrana

Os teclados de membrana são os mais comuns. O acionamento das teclas é feito através de uma membrana de três camadas, feita de silicone e borracha, que fica entre a placa de circuito e as teclas, a responsável por enviar os comandos do usuário.

Ao apertar uma tecla, você faz pressão nas camadas, que tocam umas às outras e fecham o circuito, enviando o comando à placa, e esta ao computador.

A vantagem do formato do teclado de membrana é obviamente o preço: um bom teclado de membrana, razoavelmente bem construído pode custar menos de R$ 200, excluindo os básicos para usuários comuns; tais acessórios atendem as necessidades da maioria dos consumidores, e de outros perfis menos exigentes.

Como desvantagem, o tapete de silicone é responsável pelo ghosting, o motivo pelo qual aqueles que jogam no PC fugirem de tais teclados: como uma única membrana é responsável pelo acionamento de todas as teclas, esses periféricos teclados falham em reconhecer muitos comandos em um curto período de tempo, como é o procedimento padrão em jogos de estratégia, ou MOBAs. Assim a digitação, mesmo para casos onde o usuário não está jogando, fica muito propensa a erros.

Teclado de membrana
Teclados de membrana são mais baratos que teclados mecânicos. (Imagem: Jan Loyde/Unsplash)

Qual o melhor: teclado mecânico ou de membrana?

Depende do caso de uso. Para um usuário comum, que não digita muito ou não joga no PC, um teclado mecânico pode ser um desperdício de dinheiro, e mesmo os modelos de membrana mais simples poderão suprir suas necessidades básicas.

Para um gamer, ou para alguém que produz conteúdo para a internet, ambos casos onde se digita bastante, um teclado mecânico pode ser uma melhor opção, tanto pela velocidade na resposta aos comandos, quanto na minimização de erros. No fim, cabe ao usuário decidir o que quer de um teclado e quanto está disposto a pagar por isso.

Ronaldo Gogoni

Ronaldo Gogoni é formado em Análise de Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia da Informação pela Fatec (Faculdade de Tecnologia de São Paulo). No Tecnoblog, fez parte do TB Responde, explicando conceitos de hardware, facilitando o uso de aplicativos e ensinando truques em jogos eletrônicos. Atento ao mundo científico, escreve artigos focados em ciência e tecnologia para o Meio Bit desde 2013.

Relacionados

Relacionados