Ir para o conteúdo.

Início » Hardware e Acessórios » Intel revela arquitetura Haswell, sucessora do Ivy Bridge

A Intel apresentou hoje as primeiras informações oficiais sobre os processadores Intel Core de quarta geração, também conhecidos como Haswell. Os novos chips deverão substituir os atuais Ivy Bridge, passarão pelo mesmo processo de fabricação de 22 nanômetros e vão consumir menos energia, o que deve aumentar a autonomia de bateria dos notebooks.

O anúncio do Haswell, feito em San Francisco durante a IDF 2012, não levou muito tempo. A principal novidade divulgada hoje foi o aumento no desempenho da GPU integrada, que deverá possuir o dobro de performance em relação aos atuais Ivy Bridge e adicionará suporte ao DirectX 11.1, OpenCL 1.2 e OpenGL 4.0. Não será uma GPU para rodar jogos pesados, mas pelo menos acompanhará o avanço das placas de vídeo dedicadas.

Intel Core de quarta geração tem melhorias no gerenciamento de energia

A fabricante de Santa Clara segue um modelo conhecido popularmente como tick-tock. O tick é o encolhimento da plataforma anterior, enquanto o tock traz uma nova arquitetura com grandes melhorias de consumo energético e desempenho. O Haswell é o tock e os processadores dessa arquitetura serão fabricados em 22 nanômetros, assim como os Ivy Bridge.

Os Intel Core de quarta geração têm melhorias no processamento de vídeo: há decodificação por hardware de vídeos MJPEG/MPEG2 e várias funções integradas, como redução de ruídos, estabilização de imagem e desentrelaçamento de vídeo. Além disso, será possível reproduzir filmes com resolução 4K (3840×2160 pixels) com aceleração gráfica.

No estado S0ix, o processador está em standby, mas está ativo

De acordo com a Intel, os processadores Haswell consomem 20 vezes menos energia que os Sandy Bridge quando estão ociosos. Numa apresentação mais técnica, a empresa afirmou que isso foi possível através da inclusão de um novo estado de energia. Os atuais processadores têm dois estados principais: S0 (ativo) e S3/S4 (em espera). Agora existe o S0ix, uma espécie de meio-termo: o sistema operacional acha que o processador está ativo, mas o consumo de energia é menor e a transição entre S0 e S3/S4 será mais rápida.

Ainda não sabemos quando os novos processadores chegarão ao mercado, mas informações vazadas indicam que eles serão lançados entre março e junho de 2013, com novo sistema de cache, regulador de tensão integrado e socket LGA 1150 (ou seja, esqueça a sua placa mãe atual). Com menor consumo de energia, talvez eles comecem a ser interessantes em tablets.

Principais características do Intel Haswell

De qualquer forma, você não deve ficar tão ansioso esperando os Haswell porque acabará não comprando nada. Um passarinho me disse que os processadores Broadwell de 14 nanômetros chegam em 2014 e serão muito bons. Sem contar o Skylake, que chega em 2015 com suporte mainstream aos módulos de memória DDR4, o Skymont de 10 nanômetros em 2016, os chips de 5 nanômetros em 2021…

Com informações: AnandTech.

20 Comentários (Deixe o seu!)

  • Tayler Padilha
    31c

    Sim, mas os Ivy Bridges nem bombaram ainda!
    Seriam os Ivy Bridges apenas uma demonstração? Tipo o WP 7.5, que é uma demonstração do WP 8?

    • Thanara Corrêa
      491c

      Eu estava pensando em comprar um Yvy, porém já descondirei com esse novo lançamento mesmo com a demora para o ano que vem.
      Realmente a possibilidade é essa que teria sido apenas um “aquecimento” para a “obra final” que seria esse novo processador. :)
      Espero que ele seja bom mesmo!

      • Gaba
        1912c

        Exatamente. Eu também estava pensando em comprar um Ivy, mas agora prefiro esperar os novos.

  • Welty
    419c

    “regulador de tensão integrado e socket LGA 1150 (ou seja, esqueça a sua placa mãe atual).” Como sempre…

    • Vinicius Kinas
      1099c

      Bom, as 3 primeiras gerações ficaram no mesmo soquete, não?

      Mas também achei sacanagem. Minha placa mãe já não servirá mais ¬¬

      • Definitivamente, não.

        O soquete de primeira geração é diferente do de segunda, e o de terceira é diferente de ambos.

        Ou seja, o meu Core i5 de primeira geração NUNCA vai poder ser atualizado para um Ivy Bridge ou um Sandy Bridge quaisquer..:( (quem dera se pudesse para um Haswell)

    • Tiago Gabriel
      451c

      Eles vivem mudando 1 pino de lugar, tira, bota, só pra você continuar gastando centenas de $$$. Tenho minhas dúvidas quanto a real necessidade dessas mudanças na pinagem do Socket.

    • TatoGomes
      447c

      Você quis dizer: Obsolescência programada?

      • Turdin
        3346c

        Sempre isso, é assim que o mercado faz para ganhar $$ em cima da gente.

  • Wanderson Lins
    1c

    Não adianta, em matéria de APU, a amd está muito a frente da Intel.

  • Maxwel De Oliveira Figueiredo
    6c

    Na realidade não credito até 2014 e por fim 2021 teremos chips fazendo essa escalada nanométrica, eles vão explorar ao máximo cada pequena mudança na mesma tecnologia de 22n ou um pouco menos, para recuperar cada centavo investido em produção… mesmo porque acelerar isso é aposentar mais cedo os chips de silício, visto que não dá pra diminuir infinitamente e até onde sei não da pra ultrapassar a escala do nanômetro com tecnologia do tempo das cavernas…

    • davi
      165c

      Analfabetismo funcional. :)

      • Maxwel De Oliveira Figueiredo
        6c

        Fui um pouco dramático no final e não conferi a concordância da primeira linha, mas que a indústria tem muito interesse de explorar o máximo de cada nanômetro e não vai avançar até os 5nm até 2021, isso é uma previsão coerente.

    • Adriano Garcez
      2c

      Creio que tenha sido ontem que saiu a notícia dos planos da Intel de diminuírem a litografia dos processadores para 14nm em alguns anos (acho que até 2020), resultando em miniaturização dos circuitos e por consequência uma melhor performance energética.

      [TRIP MODE ON]
      Viajando um pouco: acho que estamos vivendo numa era incrível, onde podemos ver com o passar dos anos mudanças de paradigmas cada vez mais significativas. Estamos naquele ponto da curva onde tudo está mudando rapidamente para daqui alguns anos as pessoas aproveitarem plenamente as tecnologias que estão hoje sendo criadas. Só espero viver tempo o suficiente para vislumbrar com meus olhos um mundo como o de Deus Ex, onde a biotecnologia se tornou realidade e, apesar de alguns tirarem vantagem disso, permitirá o fim de doenças crônicas, degenerativas e recuperação de deficiências.

  • Max
    1c

    ainda tô na primeira geração da Core :S

    • YanGM
      1c

      ainda tô na segunda geração da Core :S

    • Julian Leno
      8c

      somos dois! :s

  • Felipe Duarte
    1c

    Meu i7_870 S1156 já esta ficando velhinho!
    Gosto muito de toda essa evolução da Intel em relação aos procs. mais que chega a ser sacanagem com o consumidor final, pois que estava querendo fazer um upgrade ou até mesmo já o vez para os Ivy bridge pagando caro por isso… só se ferra!
    A AMD pode ser Segundona convicta mas uma coisa ele não fica nesse troca-troca de Socket!

  • Thiago Moraes
    1c

    É um processador pra eficiencia em energia, não para performance ,pense nisso antes de comprar o seu…

  • Alfredo Aguiar
    1c

    Poha tão de sacanagem, a cada respirada um socket diferente, e tá na cara que um processador para ficar no limbo, esperava se processadores com suporte de DDR5, arquitetura de vídeo mais larga e menos integrada, 4K? a indústria fala em 8K. A intel deveria ter uma linha de processadores móveis independentes, esse bagulho deve ser interessante em tablet, quem em sã consciência compra processador top de linha para usar vídeo on-board? Deve ser bom pra vender HP e Dell. O bom disso tudo é os 3a geração devem despencar de preço, vai dar para comprar uma boa 1155 e um I7 até eles lançarem alguma coisa que preste!!!

Deixar comentário:

Leia | Política de Comentários.