Início » Telecomunicações » Mais cinco estados terão nono dígito no celular a partir de domingo

Mais cinco estados terão nono dígito no celular a partir de domingo

Lucas Braga Por
5 anos atrás

Tudo muda para quem mora nos estados do Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará e Roraima. A partir de domingo, quem realizar uma ligação para celular terá que incluir o dígito 9 antes do número que deseja discar. A medida compreende os DDDs 91, 92, 93, 94, 95, 96, 97, 98 e 99.

Durante um período, as ligações com oito dígitos ainda serão completadas, mas as chamadas serão interceptadas com uma mensagem informando sobre a mudança. Após o período, as chamadas para números de oito dígitos não serão completadas. A Anatel publicou uma cartilha que esclarece as mudanças para a população:

cartilha-anatel-9digito

Não houve problemas nos estados onde o nono dígito foi implementado. O maior trabalho para os clientes seria de alterar toda a agenda para incluir o nono dígito, mas graças a aplicativos, toda essa tarefa é resumida em um clique. Lembro que usei o aplicativo da Vivo (App Store e Google Play) para corrigir os contatos e tudo funcionou muito bem – é gratuito e não é necessário ser cliente da operadora para utilizar.

Considerando as mudanças nos outros estados, usuários do WhatsApp não deverão fazer nada, uma vez que o serviço deve atualizar automaticamente os números com o nono dígito. O Tecnoblog entrou em contato com o Viber e o Telegram para entender como será a mudança nos serviços, mas ainda não obteve resposta.

O cronograma da Anatel prevê que todo o Brasil tenha nove dígitos em números celulares até dezembro de 2016, com o objetivo de expandir a capacidade numérica, permitindo o crescimento das linhas telefônicas. A próxima leva será nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraíba, Pernambuco e Piauí, que receberão o nono dígito em dezembro de 2015. Em dezembro de 2016 a Anatel completa o cronograma, levando o nono dígito para todos os estados das regiões Centro-Oeste e Sul.

Mais sobre: