Criadores de conteúdo do YouTube começaram a receber hoje um email contendo mudanças nos termos de serviço para parceiros do site. Embora o email deste tipo não seja algo incomum (o YouTube constantemente muda os termos para integrar novos recursos e formas de ganhar dinheiro), o seu conteúdo é. Pela primeira vez o YouTube anunciou oficialmente que planeja lançar a opção de assinatura mensal fixa para usuários que não quiserem assistir propagandas no YouTube.

YouTube

O email diz que o YouTube planeja “oferecer aos fãs uma versão sem anúncios do YouTube por uma taxa mensal. Com a criação de um novo serviço de assinatura, geramos uma nova fonte de receita que complementará sua crescente receita de publicidade”. Esta opção já estava circulando há meses como rumor e apenas agora foi confirmada. A mensagem não diz, entretanto, qual o valor da assinatura mensal que será oferecida.

A mensagem leva a este link que contém as mudanças dos termos e só pode ser visualizado por quem tem uma conta de parceiro do YouTube. Os novos termos também estabelecem como funcionará o compartilhamento dos lucros provenientes de assinaturas:

“Receitas de Assinaturas. O YouTube realizará o pagamento a você de 55% das receitas líquidas totais reconhecidas pelo YouTube decorrentes de taxas de assinaturas que forem atribuídas a visualizações mensais ou horas de visualizações do seu Conteúdo como uma porcentagem das horas de visualizações ou visualizações mensais de todos os conteúdos participantes ou de um subconjunto destes na oferta de assinatura relevante (conforme estipulado pelo YouTube). Se o seu Conteúdo estiver incluído em múltiplas ofertas de assinaturas e for visualizado por um usuário, o YouTube fará o pagamento a você com base na oferta de assinatura que tenha o maior valor de receitas líquidas reconhecidas pelo YouTube, conforme calculado pelo YouTube.”

Ainda nos termos, o YouTube avisa que ele precisa ser aceito até o dia 15 de junho, o que indica que esta será a data em que o serviço passará a oferecer esta opção. Quem não aceitar os termos não poderá mais monetizar seus vídeos, mesmo que só queira continuar com a publicidade.

Atualmente o YouTube se mantém no ar principalmente com venda de anúncios. Embora o site ofereça opções de assinatura de canais pagos e venda e aluguel de filmes, dentre outros, é a publicidade que mais enche os cofres do Google. A estimativa do ano passado da empresa especializada eMarketer era de que ao todo o YouTube geraria US$ 1,13 bilhão em lucros apenas com este modelo de negócios.

Com a nova opção, o YouTube mostra que está aberto a testar o modelo de negócios que já funciona em serviços de streaming de música e outros. Mas como ela será aceita numa época em que o AdBlock já tem uma adoção grande, não há como prever.

O valor da assinatura é o que acabará determinando o sucesso ou fracasso desta nova opção. E só saberemos qual é o valor quando estivermos mais perto do dia 15 de junho.

Dica do Rafael de Almeida no Twitter.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Amanda Silva
Mas agora as propagandas estão interrompendo os vídeos e não tem como pular a propaganda, aí não tem como né. Tá assistindo um vídeo ai do nada entra uma propaganda enorme e não tem como tirar a não ser atualizando a página... :(
Leo Lemos

pergunta? você assiste à TV aberta (ou mesmo as pagas?) se sim, como você faz na hora dos comerciais?? muda de canal, sai da sala ou abaixa o volume deixa a propaganda passar???

(não vale usar decoders com HDD para "gravar" o programa "ao vivo")

Leonardo Lemos
pergunta? você assiste à TV aberta (ou mesmo as pagas?) se sim, como você faz na hora dos comerciais?? muda de canal, sai da sala ou abaixa o volume deixa a propaganda passar??? (não vale usar decoders com HDD para "gravar" o programa "ao vivo")
Leo Lemos

artigo 5º da nossa constituição :D
o direito a liberdade de escolhas e tal...
quase isso ai que falaste acima :D
(isso vai longe...)

Leonardo Lemos
artigo 5º da nossa constituição :D o direito a liberdade de escolhas e tal... quase isso ai que falaste acima :D (isso vai longe...)
Leo Lemos

uai, então não faz os seus app's de "grátis"??? afinal não sou obrigado a assistir propagandas e tal.
"Tempo = Dinheiro", frase sua...

Leonardo Lemos
uai, então não faz os seus app's de "grátis"??? afinal não sou obrigado a assistir propagandas e tal. "Tempo = Dinheiro", frase sua...
Leo Lemos

cuide ai do meu "joinha" :D
você merece :D

Leonardo Lemos
cuide ai do meu "joinha" :D você merece :D
Leo Lemos

mais uma vez... desculpe, mas o "primeiro mundo" só existe como primeiro mundo exatamente por não ter pessoas e idéias como as suas :(

acredito sim que o conhecimento é livre e não tem valor, porém se eu aprendi alguma coisa que será útil para você, eu tenho pleno direito em te cobrar, ou não para te ensinar... e você tem a escolha entre me pagar para aprender, ou tentar aprender sozinho sem me pagar por isso.

conhece uma coisa chamada "propriedade intelectual??" acredito que sim, afinal como disseste, és um programador... já leu algum livro ou estudo sobre ética???

acredito que é errado cobrar 10.000,00 por um CD, mas se eu coloquei esse preço e alguém pagou, uai, vamos vender mais, que mal tem nisso??? mas se você produz uma música, e cobra um preço bastante baixo por isso, custa você pagar por aquilo que te faz bem???

se for assim, que se foda planos de saúde, queremos médicos de graça, que se foda as indústrias, queremos carros de graça, que se foda você, queremos seus apps de graça...

entendeu???

Leonardo Lemos
mais uma vez... desculpe, mas o "primeiro mundo" só existe como primeiro mundo exatamente por não ter pessoas e idéias como as suas :( acredito sim que o conhecimento é livre e não tem valor, porém se eu aprendi alguma coisa que será útil para você, eu tenho pleno direito em te cobrar, ou não para te ensinar... e você tem a escolha entre me pagar para aprender, ou tentar aprender sozinho sem me pagar por isso. conhece uma coisa chamada "propriedade intelectual??" acredito que sim, afinal como disseste, és um programador... já leu algum livro ou estudo sobre ética??? acredito que é errado cobrar 10.000,00 por um CD, mas se eu coloquei esse preço e alguém pagou, uai, vamos vender mais, que mal tem nisso??? mas se você produz uma música, e cobra um preço bastante baixo por isso, custa você pagar por aquilo que te faz bem??? se for assim, que se foda planos de saúde, queremos médicos de graça, que se foda as indústrias, queremos carros de graça, que se foda você, queremos seus apps de graça... entendeu???
Leo Lemos

ok, vou deixar aqui a minha humilde opinião sobre o assunto.

seu eu acesso a rede de um banco e transfiro uma grana para outro banco/conta, esse dinheiro não me pertence, afinal e apesar desse mesmo dinheiro ser "virtual", alguém teve que dispor um outro valor (geralmente ouro) para garantir essa quantia, ok! então se eu "pego" esse dinheiro, significa que eu estou "pegando" o equivalente deixado no banco como garantia para meu próprio uso, sem deixar nada em troca... ok!

então... o mesmo acontece com as músicas (vídeos e derivados também se enquadram aqui). vamos raciocinar da seguinte forma: eu sou um cantor/músico e um belo dia escrevi uma canção... lindo isso, bacana né!...
pois é, mas para que essa música/canção/mídia/etc chegasse até você, eu tive que pagar para que diversos profissionais usassem de seu tempo, conhecimento, esforço e equipamentos para chegar à tal música com o mínimo de qualidade, fazendo com que você gostasse de ouvir e tivesse interesse em ouvir mais vezes... ou seja, comprasse tal "obra" para si e de quebra, me ajudasse a pagar o valor que eu gastei para produzi-la, certo??? pois é... esse seria o valor que eu deixei no banco como garantia de valor para a "moeda" (a tal música) tivesse valor no mercado...

resumindo, se eu "pego" essa mesma música sem pagar, eu estou tirando do seu dono, aquele valor deixado como calção no banco...
em tese, estou roubando uma coisa que não me pertence...

sobre seus app's. que legal, respeito a sua idéia sobre alguém "burlar" o seu esquema de monetização... e se do nada TODOS fizessem isso?? seria legal???

lembre-se, você gastou tempo, conhecimento, dinheiro trocentas outras coisas criando tal app...

e sim, mesmo que "tal" artista fez "tal" música em sua casa, usando seus equipamento, um dia ele teve que pagar por esses mesmos equipamento, todo dia ele tem que pagar para comer, ter energia, água e pelo menos, um certo conforto de vida.

ahhhhh mas spotfy e outro passam músicas de graça, ok! mas os artistas são pagos através de anúncios exibidos de tempos em tempos... ahhhhh mas o youtube é rico... sim, mas servidores, energia e equipamentos não brotam em árvores...

e antes da internet? como você "consumia" músicas??? entrando na loja de discos e copiando os discos escondidos do dono, ou gravando das rádios e/ou daquele disco que você comprou para você (mesmo que emprestado, alguém pagou por ele)

entendeu onde quero chegar???

exemplo mais simples ainda... se eu deixar a minha Ferrari com a chave no contato, estacionada na rua com os vidros abertos, isso te dá o direito de pega-la pra si??

boa noite :D

Leonardo Lemos
ok, vou deixar aqui a minha humilde opinião sobre o assunto. seu eu acesso a rede de um banco e transfiro uma grana para outro banco/conta, esse dinheiro não me pertence, afinal e apesar desse mesmo dinheiro ser "virtual", alguém teve que dispor um outro valor (geralmente ouro) para garantir essa quantia, ok! então se eu "pego" esse dinheiro, significa que eu estou "pegando" o equivalente deixado no banco como garantia para meu próprio uso, sem deixar nada em troca... ok! então... o mesmo acontece com as músicas (vídeos e derivados também se enquadram aqui). vamos raciocinar da seguinte forma: eu sou um cantor/músico e um belo dia escrevi uma canção... lindo isso, bacana né!... pois é, mas para que essa música/canção/mídia/etc chegasse até você, eu tive que pagar para que diversos profissionais usassem de seu tempo, conhecimento, esforço e equipamentos para chegar à tal música com o mínimo de qualidade, fazendo com que você gostasse de ouvir e tivesse interesse em ouvir mais vezes... ou seja, comprasse tal "obra" para si e de quebra, me ajudasse a pagar o valor que eu gastei para produzi-la, certo??? pois é... esse seria o valor que eu deixei no banco como garantia de valor para a "moeda" (a tal música) tivesse valor no mercado... resumindo, se eu "pego" essa mesma música sem pagar, eu estou tirando do seu dono, aquele valor deixado como calção no banco... em tese, estou roubando uma coisa que não me pertence... sobre seus app's. que legal, respeito a sua idéia sobre alguém "burlar" o seu esquema de monetização... e se do nada TODOS fizessem isso?? seria legal??? lembre-se, você gastou tempo, conhecimento, dinheiro trocentas outras coisas criando tal app... e sim, mesmo que "tal" artista fez "tal" música em sua casa, usando seus equipamento, um dia ele teve que pagar por esses mesmos equipamento, todo dia ele tem que pagar para comer, ter energia, água e pelo menos, um certo conforto de vida. ahhhhh mas spotfy e outro passam músicas de graça, ok! mas os artistas são pagos através de anúncios exibidos de tempos em tempos... ahhhhh mas o youtube é rico... sim, mas servidores, energia e equipamentos não brotam em árvores... e antes da internet? como você "consumia" músicas??? entrando na loja de discos e copiando os discos escondidos do dono, ou gravando das rádios e/ou daquele disco que você comprou para você (mesmo que emprestado, alguém pagou por ele) entendeu onde quero chegar??? exemplo mais simples ainda... se eu deixar a minha Ferrari com a chave no contato, estacionada na rua com os vidros abertos, isso te dá o direito de pega-la pra si?? boa noite :D
Lucas C.
Exato, você possui o direito inalienável de não permitir que eu altere a sua obra. Faça isso, implemente estratégias de defesa. Mas eu nao abro mao do meu direito de JAMAIS ver um anúncio, sempre que for possível evitá-lo.
Daniel Lemes
kkkkk Essa é a discussão mais antiga do mundo, e como se diz: seu direito termina onde começa o meu. Se você tem o direito a ver o que quiser, e eu tenho o direito de não permitir que você altere minha obra, é simples, basta trocar de site.
Exibir mais comentários