Início » Internet » Spotify comemora 20 milhões de usuários pagantes, mas continua sangrando dinheiro

Spotify comemora 20 milhões de usuários pagantes, mas continua sangrando dinheiro

Paulo Higa Por

Poucas semanas antes do lançamento do Apple Music, serviço de streaming de música que chega ao Brasil em 30 de junho, o Spotify está comemorando uma marca importante: nesta quarta-feira (10), o serviço atingiu 20 milhões de assinantes do plano Premium. Eles representam pouco mais de um quarto dos 75 milhões de usuários ativos.

spotify-running

O crescimento do número de usuários pagantes do Spotify foi bastante acelerado no último ano, quando a empresa se expandiu para outros países, como o Brasil. Nos primeiros cinco anos e meio, de 2008 a 2014, o Spotify conseguiu 10 milhões de assinantes. Os outros 10 milhões vieram apenas no último ano — ou seja, houve um novo usuário Spotify Premium a cada três segundos.

Com o aumento da base de assinantes, o Spotify também elevará os royalties pagos para os artistas e compositores. Para um grande artista, entre os dez mais ouvidos no mundo, a expectativa é que os ganhos com direitos autorais sejam de US$ 13,9 milhões nos próximos 12 meses, em média. Desde o lançamento do serviço, em outubro de 2008, foram pagos mais de US$ 3 bilhões em royalties.

O dia do Spotify também foi marcado por um novo investimento. A operadora sueco-finlandesa TeliaSonera anunciou que comprou 1,4% do Spotify por US$ 115 milhões. Fazendo as contas, isso significa que a empresa de streaming de música está sendo avaliada em US$ 8,2 bilhões. Nada mal!

Mas, apesar dos sucessivos investimentos e aumento de pagantes, o Spotify ainda não fechou nenhum ano com lucro. Em 2014, o faturamento foi de 1,08 bilhão de euros, mas o último relatório financeiro, divulgado em maio, indica prejuízo de 160 milhões de euros. A empresa vem sangrando mais dinheiro à medida que a receita e os usuários aumentam: as perdas eram de apenas €93 milhões em 2013 e €80 milhões em 2012.

Mais sobre:

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gabriel
Hahahaha, vim do futuro dizer que tu ta errado
Shyvana
Hahahaha, vim do futuro dizer que tu ta errado
Numa Neto
Spotify rula os outros serviços! Me mostrem ai uma banda que liberou um Album em um serviço de Stream e em outro não ?
E que comece o mi mi mi!
Rodrigo
bom, não acho que a versão free com propaganda fez alguém abandonar os mp3 ilegais, afinal a versão free tem limitações que incomodam. Eu baixei o spotify, usei por 20 minutos e desinstalei, voltei pro mp3 ilegal. Não dá pra depender de um serviço que possui limitações de avanço de faixas e que não garante que um album que esteja disponível hoje, esteja amanhã, por exemplo.
Magnosama
Amo o Spotify. <3
Alpha Delta Victor
Não seria o CEO e sim o diretor financeiro.
Anakin
acho difícil uma empresa não visar lucro, alguma coisa não estou pescando nessa estratégia deles.
Tiago Celestino
Spotify = hipster
Deezer = underground
rdio = underground extreme (eu sou assinante)
Apple Music = hype
Tidal = hype with quality (e mais caro)
Guilherme Carvalho
Se o CEO deles é incompetente, quero que esse profissional incapaz venha trabalhar pra mim.
Guilherme de Oliveira
Se o CEO deles é incompetente, quero que esse profissional incapaz venha trabalhar pra mim.
Vitor Mikaelson
Estava querendo dizer que eles são "menos piores".
Vitor
Não. Claro que eles focam no dinheiro também. O motivo deles terem um plano gratuito é puro "marketing". Na verdade esse plano serve apenas para atrair clientes para o plano pago. O Google Música não faz isso porque ele não precisa de mais esse marketing. Todo mundo com Android e o Play Música mais atualizado (nem precisa ser da última versão) sabe da existência desse serviço. Mesma coisa pro Xbox Music. Abra o aplicativo Música do Windows 8 ou 8.1 e tcharan! Lá estará a publicidade (publicidade bastante que nega a necessidade de um plano gratuito). Apple Music será mesma coisa.

E se um desses serviços, um dia, também liberar acesso gratuito ao acervo será por puro marketing.
Vitor Mikaelson
Depende. Essas grandes empresas que tu citou, lançam para ganhar dinheiro $$$$.
A visão do Spotify, Deezer, por exemplo, é algo mais pessoal com os usuários. Podemos dizer que se importam com os clientes?
Vitor Mikaelson
Acho que foi pressão das gravadoras. Spotify tá mal se segurando com ad, imagine sem?
Anakin
falei o amigo, mas na verdade era tu mesmo que disse haha
então, porque mataram? eles alegaram o que? só quero entender pq o Spotify defende tanto esse modelo.
Anakin
O plano gratuito do Rdio é tão capado que fica perto do Mix Radio ou até mesmo do Apple Music gratis (que é a tal da rádio online) então nem conta.
O Deezer eu não sabia mesmo que tinha esse plano gratuito, mas a pergunta é, dá certo com o Deezer? Estão dando lucro? O amigo ali em baixo citou que o Xbox Music era grátis e agora cobra pra ouvir todo o acervo, Google Music nunca foi grátis, ai lançam o Apple Music que tb não é grátis, porque gigantes como Google, MS e Apple, que tem condições de lançar sem custo não o fazem? Isso que perguntei, tem algo errado nesse modelo? porque lucrativo pela matéria não é tanto, vale a pena "sangrar" tanto assim quando seus concorrentes estão cobrando?
Vitor Mikaelson
Mas antigamente era totalmente gratuito.

http://support.xbox.com/pt-BR/xbox-on-other-devices/windows/free-xbox-music-streaming-retirement-faq
Chicão
Mas ele continua gratuito.
Ele tem agora aquele modo grátis para as músicas que vc envia para o onedrive.
Mas no momento ele só funciona o app metro pra w8 e web. Também tem o app pro WP.
Pra android e ios vai sair em breve.
Vitor Mikaelson
Xbox Music era gratuito, e nem tinha ad, nem limite. Mataram. :(
Vitor Mikaelson
Depende por quais principais você diz.
Deezer, Rdio é gratuito...
ViewtfulJoe
humm...
Leandro Ruel
humm...
Leon
Oh,ok
Cortana ✔
Spotify está com os dias contados, esse é um negócio de baixa lucratividade (ou prejuízo).Streaming de música sobreviverá apenas como serviço agregado.Google Music, Xbox Music e Apple Music serão os únicos sobreviventes no futuro.
Cortana
Spotify está com os dias contados, esse é um negócio de baixa lucratividade (ou prejuízo).
Streaming de música sobreviverá apenas como serviço agregado.
Google Music, Xbox Music e Apple Music serão os únicos sobreviventes no futuro.
Gabriel Tadeu
Torço mais para que o Spotify sirva de exemplo do que abandone o modelo. Pelo menos em números de base e investimento tem se mostrado sólido...

Se hoje ele deixasse de oferecer o free + ads, apenas reforçaria os concorrentes para poderem cobrar mais e a chance das gravadoras quererem mais e mais só aumentaria.

Agora o difícil de mensurar mas que ninguém fala é a quantidade de pirataria que as contas frees devem inibir, com a facilidade de escutar quase qualquer coisa ao troco de uma publicidade aqui outra acolá, creio que muita gente deixou de baixar arquivos em mp3 e em cima desses nem artista, nem gravadora nem ninguém ganhava um tostão.

Se mais players seguissem o modelo do Spotify, muito provável as gravadoras largariam o osso com maior facilidade, permitindo todo mundo ganhar.
Alisson Santos
Spotify é tipo o cara que tem uma casa alugada e mora em outra casa alugada com o aluguel maior. Recebe de um lado e paga de outro, só que com prejuízo.
Alisson Silva
Spotify é tipo o cara que tem uma casa alugada e mora em outra casa alugada com o aluguel maior. Recebe de um lado e paga de outro, só que com prejuízo.
caio
Concordo que o Spotify tem barganha nesse lado, mas eles precisam manter-se no topo. Não é só sentar e esperar a concorrência. Na verdade, ele não foi o pioneiro. Foi fundado primeiro, mas lançado após o Deezer.
caio
Porque?
Chicão
A Apple foi esperta em esperar todo esse tempo para criar uma solução robusta e que pode 'roubar' clientes
A Apple não foi nada inteligente em ter deixado esse tempo passar. A verdade é essa.
Chicão
Vamos aguardar o que eles vão criar para bater de frente com atuais concorrentes (Rdio, Deezer, Lastfm, Tidal) e com a vinda do Apple Music.
Na verdade temos que aguardar o que Rdio, Deezer, Tidal, Apple music e Google music vão fazer para bater de frente com o Spotify, pois este último é que é o pioneiro.
*Lastfm não é concorrente. É outra categoria.
caio
Compreendi agora o que você explicou. Como comentei para Anakin, os 55 milhões de usuário gratuitos do Spotify gera valor de mercado para ela. Gera dados e esses dados podem ser vendidos de várias maneiras, que a gente sabe que fere os direitos, mas que as empresas vendem. Gravadoras podem pedir relatórios para futuros insights, e também as gravadoras recebem mais royalties com os free users, o que pode atrair mais gravadoras pela quantidade de usuários. É um ciclo vicioso que para mim funciona até mesmo com prejuízos.
Pelo valor de mercado, acho o prejuízo baixo. Vamos esperar até o final do ano e ver o que acontece com expansão da plataforma + melhoria da infraestrutura da rede móvel + democratização da criação de conteúdo. São tendências que estão a favor do Spotify na minha opinião, e que pode reverter a situação sem mexer no seu modelo de negócio. O que você acha?
Renan™
Sim, mas aí estamos falando de coisas +- diferentes. Qual o modelo do Netflix? Você tem um mês grátis do serviço completo e depois que acaba o seu prazo, você perde o acesso. Não tem nem sequer um "serviço básico".Porém o Spotify não funciona assim. Ele te dá um mês de premium, mas depois você pode continuar usando o serviço com algumas poucas limitações.O problema é que a receita gerada pelos usuários gratuitos não mostram vantagem tão grande. Curiosamente o Netflix, ao divulgar seu balanço, deu a conheceu um lucro de mais de 200 milhões...A realidade de uma empresa e outra parece ser extremamente controverso em termos financeiros.
Renan
Sim, mas aí estamos falando de coisas +- diferentes. Qual o modelo do Netflix? Você tem um mês grátis do serviço completo e depois que acaba o seu prazo, você perde o acesso. Não tem nem sequer um "serviço básico".

Porém o Spotify não funciona assim. Ele te dá um mês de premium, mas depois você pode continuar usando o serviço com algumas poucas limitações.
O problema é que a receita gerada pelos usuários gratuitos não mostram vantagem tão grande. Curiosamente o Netflix, ao divulgar seu balanço, deu a conheceu um lucro de mais de 200 milhões...
A realidade de uma empresa e outra parece ser extremamente controverso em termos financeiros.
caio
Acredito que devemos pensar que hoje estamos em uma batalha por 'informação'. As empresas são avaliadas pela quantidade de usuários e dados que elas têm armazenados. A próxima batalha será de conteúdo contextualizado, vide Siri, Google Now, e inteligência artificial. Para o Spotify ter prejuízos constantes pode significar tolice, porém se tem aumentado o número de usuários, o seu valor de mercado só cresce. Mesmo com prejuízos, vimos que ela tem recebido propostas de compra de ações. Acho que ela está bem, mas concordo contigo que ela deve pensar melhor no modelo de negócio. Ouvi dizer que ela vai investir em vídeos, etc. Vamos aguardar o que eles vão criar para bater de frente com atuais concorrentes (Rdio, Deezer, Lastfm, Tidal) e com a vinda do Apple Music.
caio
Renan, mas o Spotify já possui essa política. O Premium você pode testar por 30 dias gratuitamente.
Acredito que é arriscado sim, ter esse modelo de negócio. É preciso uma leitura melhor do mercado, principalmente agora com a entrada do Apple Music na rodada. O iTunes tem 800 milhões de usuários e para eles pagarem 10 dolares por mês, significaria, em termos, comprar um álbum por mês (em troca de 'quase todo o catálogo' da plataforma). A Apple foi esperta em esperar todo esse tempo para criar uma solução robusta e que pode 'roubar' clientes, pelo menos do iOS no começo. Ela tem planos de lançar um app para Android, ou seja, abocanhar mais usuários.
Como disse, acho que o Spotify deve continuar com o modelo de negócio gratuito para se diferenciar do Apple Music e outros streaming services. Porque afinal de contas, é o que tem feito eles crescerem.
Ouvi rumores que eles vão expandir para vídeos tbm o que pode abrir portas para mais receitas. Porém, quando você faz o que não é o seu core business, pode-se perder totalmente o foco. É difícil ser empresa pato hoje em dia.

Mas pela experiência de mercado que eles têm, acredito que irão tomar decisões planejadas. É o esperado.
Renan™
Concordo com você. Afinal, se o Spotify não tem liquidez suficiente para continuar fornecendo os planos gratuitos, demonstra que é tolo ao não rever seus conceitos e implantar uma política mais austera.Talvez o mais adequado fosse fazer como o Netflix. Conceder 1 mês grátis para os usuários decidirem se gostam ou não do serviço. Se gostarem, contratarão!Nesse ritmo, a Empresa está cavando a própria sepultura.
Renan
Concordo com você. Afinal, se o Spotify não tem liquidez suficiente para continuar fornecendo os planos gratuitos, demonstra que é tolo ao não rever seus conceitos e implantar uma política mais austera.
Talvez o mais adequado fosse fazer como o Netflix. Conceder 1 mês grátis para os usuários decidirem se gostam ou não do serviço. Se gostarem, contratarão!
Nesse ritmo, a Empresa está cavando a própria sepultura.
Anakin
Eu acho legal o plano grátis com comercial, mas vale a pena isso? Não seria hora de rever esse modelo de negócios, qual outro serviço de streaming tem plano gratuito? e porque os principais não o tem?
Alpha Delta Victor
Alguém dessa companhia precisa ser demitido e entrar no lugar vago um profissional competente.