Início » Ciência » A comunicação por cabos óticos poderá ficar ainda mais rápida com este novo material

A comunicação por cabos óticos poderá ficar ainda mais rápida com este novo material

Material opera numa velocidade 10 vezes mais rápida que as tecnologias de comunicação ótica atuais

Jean Prado Por

Um novo material desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, pode fazer cabos e outros dispositivos que usam comunicação ótica transmitirem informações dez vezes mais rápido que as tecnologias atuais, como a fibra ótica.

O material é um tipo de nanopartícula plasmônica, feito de óxido de zinco dopado com alumínio (AZO). A partir de suas propriedades óticas, é possível controlar a reflexão da luz em 40% consumindo menos energia do que outros tipos de semicondutores. Esse controle é importante porque assim os dados podem ser transmitidos e codificados, segundo o pesquisador Nathaniel Kinsey.

O menor consumo de energia para a transmissão de dados em alta velocidade também é conveniente, uma vez que a dissipação de calor também é baixa. Caso isso não aconteça, "o material vai esquentar muito e derreter quando você impulsionar [pulsos elétricos] em alta velocidade", acrescenta Kinsey.

Pesquisadores ainda conseguiram fazer o material operar no espectro infravermelho, padrão usado para comunicações óticas. Assim, ele se encaixa no padrão semicondutor metal-óxido complementar (CMOS) da indústria e tem mais chances de chegar ao mercado num futuro não tão distante.

Também foi possível, com o material, criar um transístor ótico que usa a luz em vez da eletricidade para amplificar sinais e controlar energia. Atualmente, os transístores são normalmente feitos de silício.

O que essa evolução significa? Em suma, o ciclo de transferência de elétrons nas bandas de valência dos semicondutores fica bem rápido: as películas de AZO completaram este ciclo em 350 femtossegundos (1x10-15 segundo), o que é 5.000 vezes mais rápido que o silício cristalino. Esse tempo é semelhante ao que a luz leva para atravessar uma folha de papel e surpreendeu os pesquisadores da universidade.

Com informações: Purdue University, Engadget.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Adriano Barbosa
Toda hora tem vídeo do Degrasse pedindo para o governo americano aumentar o investimento em pesquisas. Investimento ESTATAL. Concordo plenamente com o fato de que há muita burocracia que emperram as pesquisas científicas, mas não é deixando de colocar dinheiro estatal nelas que atingiremos um patamar mais elevado nessa área.
G. C.
Vamos por partes: - Vc está confundindo socialismo com comunismo. Socialismo é o meio de se chegar ao comunismo, ao fim dos governos e do Estado. Seria a forma mais pura de liberdade. É a mesma proposta do anarquismo, que usa outros métodos pra chegar lá. Se isso é viável ou não não importa na discussão. - Sim, nossa economia é fraca, em razão da falta de liberdade econômica, mas também em razão do sistema tributário e da falta de investimento em pesquisa e desenvolvimento, tanto da iniciativa privada, quanto do Estado. - Existe sim thatcherismo, assim como existe stalinismo e tantos outras ideologias. São pessoas que adaptaram a sua maneira uma teoria, mesmo que deturpando. Thatche, por exemplo, não tinha o menor interesse em questões sociais. Ela mesmo falou que se o desemprego está alto, os índices de violência só sobem ou as pessoas tem dificuldade em se manter na universidade, não é problema do Estado. É um neoliberalismo muito diferente do implementado pela Dinamarca, por exemplo, que fez grande reformas que possibilitaram ser um dos países com maior liberdade econômica e ao mesmo tempo sem deixar o Estado assistir à sociedade. - Veja novamente o gráfico.
Felipe
Caro G.C. ta havendo um grande desencontro ae nas coisas que ambos estao falando, pra comecar minha critica incial era a regulacao estatal excessiva aqui no Brasil, e controle do estado na economia, trazendo amarras ao desenvolvimento economico e à acumulaçao real de riqueza para seus cidadaos. Agora vc entrou em pontos que são complexos e nao vou ficar me alongando...isso que voce falou que o marxismo prega o fim do estado, isso é uma grande falacia vc ha de concordar, nunca aconteceu nem vai acontecer, todos os estudiosos do marxismo tem essa mesma questão: Como Marx proproe maximizar o estado ao maximo, englobando todas as areas da sociedade e depois simplismente depois dizer que o estado vai acabar ? Na pratica, antes de haver a sociedade "classless, stateless", ele proproe estatizar tudo, e de fato todos os regimes marxistas/comunistas aumentam mto o controle do estado sobre a economia e sociedade. A questao do neoliberalismo realmente nao prega o fim do estado, geralmente NEOliberalismo vem com os sociais-democratas, esquerda caviar, eles sao tarados num welfare-state mesmo. Eu sou adepto do ideario liberal, concordo com vc quando diz "Ou seja, liberdade econômica não significa menos Estado..." mas vc há de concordar que a ideia estatista,coletivista mto frequentemente vem com ideias de controle da economia pelo estado, isso atravanca muito, voce ve pelo Brasil, nosso economia é mto fraca comparada aos U.S. Nao existe Thatcherismo, nem Reaganismo, nem MiltonFriedmismo, o que há é Liberalismo Economico, essas pessoas ai de cimas foram adeptas desta ideia, e a Thatcher é a coisa mais longe que voce vai pode encontrar do comunismo cara, não faz essa sacanagem com ela nao. Europa 36% das verbas vem do estado, quem dera que aqui fosse assim, aqui é o dobro ou mais, ou melhor so há pesquisa dentro de UF´s, e não se inventa NADA de revolucionário, Universidades brasileiras são rios e rios e rios e rios de $$$ jogados fora. Os US nao investem tanto do orçamento publico so em Universidades Estatais (como aqui), la o modelo é bem diferente, voce sabe que é, no mais é so.
G. C.
Países europeus em grande maioria tem grande intervenção social, não econômica. Foi o que eu falei e está escrito ali. O neoliberalismo não prega o fim do Estado. Quem pede isso é o comunismo e o anarquismo. Pra colocar em prática os ideais neoliberais não significa esquecer da sociedade, de uma seguridade social, da saúde pública e universal e muito menos do investimento em educação, pesquisa e desenvolvimento. Na Europa, cujos países estão em primeiro em liberdade econômica, 36% do investimento em pesquisa e desenvolvimento vem do Estado. Ou seja, liberdade econômica não significa menos Estado. Significa sim menos Estado interferindo na economia, não na sociedade. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Nem mesmo os EUA, que vc citou, faz isso, muito pelo contrário, é um dos que mais investem dinheiro público em pesquisa.
Felipe
Caro, entenda a diferença entre senso comum e fato observavel, o que eu disse dos U.S. é fato, ponto, eles trouxeram a trazem avanços insubstituiveis na area de ciencia / tecnologia, senso comum é o que voce diz sobre os paises escandinavos terem grande intervenção estatal na economia, ISSO NÃO É VERDADE, eles tem uma alta carga tributária, MAS TEM A ECONOMIA DESREGULADA, tipica nao de neo-liberalismo mas de economia liberal classica, essa falacia deles serem "socialistas" na economia, isso sim é senso comum. http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=632 "3 - Liberalismo e neoliberalismo econômico tem relação com a economia, não com outros segmentos da sociedade" Isso que voce afirma esta totalmente errado, economia liberal é um approach economico,, MAS TEM IMPACTO OU SEJA SE RELACIONA COM TODAS AS AREAS DA SOCIEDADE, uma vez que os os efeitos dele sao vistos em todas as areas das vidas dos cidadãos.
G. C.
Você está confundindo as coisas. Investimento estatal em educação, pesquisa e desenvolvimento tem relação direta com desenvolvimento científico e social. Isso é uma área da sociedade, distinta da economia. Se pegar esse mesmo ranking de liberdade econômica, vai perceber que quem está em primeiro são países que aplicam o neoliberalismo econômico, mas sem relação com outras áreas da sociedade. Os países europeus estão em primeiro em liberdade econômica, assim como são primeiro no investimento estatal em ciência.
G. C.
Isso é um monte de senso comum.
Ricardo - Vaz Lobo
Nos USA, as pesquisas interesse militar, antes do científico.
Felipe
Super, isso que voce observa nao é o problema, e sim ja as consequencias dos verdadeiros problemas, e um dos principais no Brasil é a economia estatista, o centralismo estatal saca, o Brasil NAO é um pais capitalista, não há espaço para a livre iniciativa, tudo esta ou vai para as maos do governo, no Economic Freedom Index o Brasil esta la em baixo, não ha verdadeiro liberalismo economico aqui, o chamado modelo Nacional-Desenvolvimentista emperra tudo que há de bom.
X-Tudãoᴳᴼᵀ

O problema que vejo no brasil é que as UF's são para ricos e os pobres fazem faculdade particular porque não tem base educacional ou tem que mesclar trabalho e estudo.

Supersonic
O problema que vejo no brasil é que as UF's são para ricos e os pobres fazem faculdade particular porque não tem base educacional ou tem que mesclar trabalho e estudo.
João Cagnoni
Errado. Os americanos são ótimos em tomarem crédito por aquilo que não inventaram, faça uma breve pesquisa e verá que muita coisa que você tinha certeza que foram criadas por americanos foram na verdade criados por outras nações.
Felipe
Não conheço esta instituição que monta este index, mas o que pude ver ali é que esse ranking é do ano passado, 2014, como tinha lhe dito na ultima resposta, eu falo sobre inovação ao longo do tempo, nos ultimos 300 ou 400 anos, a América é sem dúvida a nação que mais trouxe invenções e beneficios à humanidade, carros, motores, luz eletrica, computadores, telefone e internet, tudo foram eles que trouxeram, não há nem margem para dúvidas, e todas estas invenções com certeza nao sairam de verbas estatais pra faculdades publicas, pode ter certeza, saiu da livre-iniciativa e do liberalismo economico.
G. C.
Ranking de inovação. EUA aparece em 6º, muito aquém do que poderia fazer com tanto recursos e população com potencial: https://www.globalinnovationindex.org/content.aspx?page=data-analysis Como falei, os EUA poderiam ser muito mais inovadores, mas seu sistema de patentes e direitos autorais prejudicam as pesquisas.
Felipe
“E infelizmente os EUA não estão entre os mais inovadores do mundo.” Ta de brincadeira né amigo, em que mundo você vive? Pegue as 200 principais invenções da humanidade nos últimos 300 anos e veja de qual lugar do planeta a grande maioria saiu. Essa por exemplo que vc esta usando, Internet, foi desenvolvida pelos US, e pior, pelo exército dos U.S., a instituição mais odiada por esquerdistas de todos os matizes, ideólogos coletivistas, e brasileiros invejosos também.
Exibir mais comentários