Tecnoblog
Início » Ciência » Por que você deveria usar o filtro de luz azul no celular

Por que você deveria usar o filtro de luz azul no celular

Night Shift, filtro de luz azul, Conforto dos Olhos, Modo Noturno; recursos reduzem luz azul emitida por telas e que impacta o sono

Usar o celular durante a noite pode prejudicar a qualidade do seu sono ou até inibi-lo. Isso porque a luz azul emitida pela tela dos celulares ou computadores interrompe a produção de melatonina, o hormônio responsável pelo sono. Optar por usar um filtro de luz azul (aqueles que deixam as telas em um tom mais quente, amarelado), pode ajudar nesse quesito. Saiba mais sobre a importância desse recurso presente nos smartphones atuais.

Por que o filtro de luz azul é importante?

Você já deve conhecer as três cores primárias, que formam os pixels da maioria dos displays: verde, azul e vermelho. Apesar de serem emitidas juntas, elas não são absorvidas pela nossa córnea (e posteriormente, pelo cérebro) do mesmo jeito.

As diferentes tonalidades de cor são absorvidas por vários tipos de fotorreceptores, células que captam a luz que chega à retina e transmitem impulsos nervosos sobre essas luzes para o cérebro. A luz azul, em especial, é absorvida por um fotopigmento chamado melanopsina, encontrado em um fotorreceptor da retina.

Só que a melanopsina, quando sensibilizada pela luz azul, envia uma mensagem para o cérebro parar de produzir a melatonina, o hormônio que controla o sono. É um processo natural: com a quantidade de luz azul recebida durante o dia (pelo céu e radiação solar), nosso corpo entende que ainda não é hora de dormir.

No entanto, conforme o sol vai se pondo, o corpo começa a produzir melatonina para indicar que é hora de dormir. Então você já deve imaginar o que a combinação de celular e cama faz: devido a alta quantidade de luz azul na tela de seu smartphone, muito maior que a de luz incandescente, seu cérebro entende que a hora de dormir ainda não chegou, embora o ritmo circadiano (o famoso “relógio biológico”) tente dizer o contrário.

Essa combinação não é nada saudável. Uma pesquisa aponta que quase metade dos brasileiros usam o smartphone antes de dormir, a secreção de melatonina é significativamente atrasada e você tem normalmente uma hora a menos de sono por dia.

Na descrição do aplicativo f.lux, conhecido por aplicar um filtro de luz azul na tela de computadores, é dito que “durante o dia, as telas de computador são confortáveis de olhar — elas são feitas para parecer o sol. Mas, às 21h, 22h ou 3h da manhã, você provavelmente não deveria estar olhando para o sol”.

Os médicos recomendam que as pessoas evitem o computador e outros eletrônicos por pelo menos uma hora antes de dormir. E é sempre bom dormir direito. O doutor Dan Siegel, da Escola de Medicina da UCLA na Califórnia, disse ao Business Insider que, se você dormir menos que sete a nove horas por dia, as células da glia não limpam direito as toxinas geradas pelos seus neurônios.

Isso influi na produtividade, uma vez que sua atenção, memória e capacidade de resolver problemas ficam debilitadas. Siegel diz que até a insulina, que ajuda a regular o metabolismo, não funciona muito bem. Sem a insulina funcionando corretamente, você fica mais suscetível a ganhar peso porque você tende a comer mais sem necessidade. Quanta coisa pode dar errado, né?

Para isso serve o filtro de luz azul

As versões atuais dos sistemas operacionais, seja de computadores ou dispositivos móveis, já oferece uma opção para reduzir a luz azul emitida pelas telas. Seja em Android, iOS, macOS ou Windows, as fabricantes adotaram a ferramenta para tornar o uso dos dispositivos menos prejudicial pelas pessoas durante a noite.

O que esse filtro de luz azul faz é aumentar a temperatura das cores da tela com o passar do tempo, em uma transição suave para que o usuário não sinta uma mudança brusca. A maioria se ajusta de acordo com o horário de nascer e por do sol, deixando a tela mais amarelada durante à noite e no tom natural, durante o dia.

No iOS (iPhone, iPad e iPod touch) e macOS o recurso é conhecido como Night Shift. No Android, dependendo da fabricante, pode variar: a Samsung chama simplesmente de “filtro de luz azul”; “Conforto dos Olhos” é o nome escolhido pela Huawei; “Night Light” é como é encontrado no Google Pixel; já “Modo Noturno” é como a Motorola nomeia o recurso. No Windows, o filtro está como “luz noturna”.

A maioria pode ser configurada e personalizada (nível da temperatura da cor) nas configurações da Tela/Visor/Monitor, algumas fabricantes também colocam um atalho para o recurso na Central de Notificações.

Filtro de luz azul em todas as plataformas

Alguns aplicativos foram desenvolvidos com o único propósito de aplicar o filtro de luz azul no sistema, mesmo que o dispositivo que o usuário use não tenha essa funcionalidade.

É o caso do f.lux (citado acima), disponível para Windows, macOS e Linux e do Twilight, disponível para Android. Ainda que as fabricantes tenham adotado a ferramenta de forma nativa nos sistemas, alguns aparelhos podem ser incompatíveis com a atualização do sistema operacional, ficando sem receber essa “proteção” para os olhos dos usuários.

Os dois são oferecidos de forma gratuita e permitem uma personalização da intensidade das cores e do horário de funcionamento da transição da temperatura.

Colaborou: Jean Prado.

Comentários da Comunidade

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação