Início » Comportamento » Os mapas mentais podem ser uma boa ideia para estudar para as provas

Os mapas mentais podem ser uma boa ideia para estudar para as provas

Por
2 anos atrás

Aos estudantes: como vocês estão de semestre aí no Brasil? Por aqui, outubro é uma época bem conturbada. É o mês das midterms, provas de meio de semestre que são aplicadas pelo resto do mês. Também é uma época bem simbólica para eles, em que os efeitos do outono começam a ser visíveis e o tempo começa a esfriar.

  • Guia ABNT 2018: formatar trabalho acadêmico dentro das normas

Aqui em Victoria o frio não é tão presente que nem em outras cidades do Norte. Na verdade, é uma das cidades mais quentes por aqui. Com direito a mínima de 8 ºC e máxima de 12 ºC, mas poderia ser pior. Mas o tempo começa a esfriar, as chuvas começam a ficar mais frequentes e todo mundo fica meio que desanimado. Ainda bem que eu gosto desse clima.

Imagino que aí no Brasil algumas pessoas estejam em época de prova na faculdade, ou prestes a começar. Aqui tenho prova todas as semanas do mês. Com esse gancho, qual técnica vocês costumam usar para estudar para prova? Ler de novo o que você já estudou não é muito eficiente, segundo uma pesquisa feita por dois psicólogos da Universidade de Washington.

Uma das táticas proposta por eles para aprender o conteúdo é desenhá-lo de forma visual: com você criativamente reproduzindo o conteúdo e colocando de uma forma que você mesmo entendeu, parece que fixa mais. Tem algumas técnicas para isso, como a criação de mapas mentais para entender conteúdos mais densos.

Um mapa mental mais bonitinho (Flickr/jeanlouis_zimmermann)

Um mapa mental mais bonitinho (Flickr/jeanlouis_zimmermann)

Mapa mental é como chamamos esse outro tipo de diagrama para organizar pensamentos, que pode ser usado tanto para estudos quanto para solução de problemas e brainstorming. Para começar, você escreve o assunto principal no centro e vai ligando com outros tópicos, que consequentemente vão se ligar com mais tópicos ainda. É legal usar diferentes cores aqui, bem mais fácil se você estiver fazendo isso em um computador como o Inspiron — não precisa ter um monte de canetas de cores diferentes bagunçadas dentro de um estojo.

Por exemplo, na matéria de teoria política estou estudando alguns autores que têm teorias sobre como a sociedade deveria ser organizada politicamente. Isso inclui Hobbes e o Leviatã, John Locke e a liberdade individual, Rousseau e o contrato social, John Rawls e o véu da ignorância e Marx com o manifesto comunista.

São autores de várias épocas diferentes, com algumas convergências, mas também divergências sobre várias áreas de estudo. É legal pegar um assunto em comum e apontar as principais diferenças entre eles. Escolhi o estado de natureza e relacionei o que vários autores pensam sobre isso.

Eu sei, minha letra não é das melhores. O importante é aprender, né? :-P

Eu sei, minha letra não é das melhores. O importante é aprender, né? 😛

Como você pode ver na imagem acima (ou não, porque a minha letra não é das melhores), usei o Inspiron e o OneNote para fazer um rascunho. Coloquei o Inspiron no modo tablet e como ele é bem fino e leve não ficou desconfortável de usar. Aí usei a stylus que vem com o aparelho para desenhar os mapas e entender melhor o conteúdo.

Foi uma abordagem bem simples, mas você pode estender isso para vários gráficos maiores e fazer diagramas, fluxos de pensamento ou qualquer outra coisa que te ajude a fixar o conteúdo.

Conteúdo oferecido pela Dell. Este post é o décimo de uma série de artigos sobre como a tecnologia pode ser uma grande aliada nos estudos e nas viagens. Confira os outros!