A Netflix abriu as portas para o mercado de streaming, reunindo mais de 100 milhões de assinantes ao redor do mundo, e por isso também atraiu diversos concorrentes, incluindo Hulu e Amazon Prime Video. Desta vez, ela terá que lidar com uma antiga parceira.

A Disney — dona da Marvel Studios, da Lucasfilm e da Pixar — anunciou que vai criar um serviço de streaming próprio, a ser lançado em 2019 nos EUA. Ele deve estrear com títulos como Toy Story 4, Frozen 2 e o filme live-action de O Rei Leão, além de oferecer séries exclusivas.

O serviço vai demorar um pouco para existir porque, em 2012, a Netflix firmou um acordo para ser o único serviço de assinatura a oferecer filmes novos da Disney nos EUA. Isso inclui títulos da Marvel, Lucasfilm e Pixar. O acordo começou a valer em 2016, e se estenderá até 2019.

Bob Iger, CEO da Disney, diz que ainda não decidiu se os filmes da Marvel e da Lucasfilm serão exclusivos para o novo serviço, ou se serão licenciados. E quanto às séries originais da Marvel na Netflix, como Defensores? Pode ficar tranquilo: elas permanecerão lá mesmo depois de 2019.

Além disso, a Disney planeja lançar um serviço de streaming da ESPN no início de 2018, também nos EUA. Ele vai transmitir 10 mil eventos esportivos por ano, e não exigirá uma assinatura de TV paga. Resta ver como as operadoras vão reagir a isso.

Para criar esses serviços de streaming, a Disney planeja adquirir uma participação maioritária da BAMTech por US$ 1,58 bilhão. Ela já é dona de um terço da empresa, que realiza transmissões online para a HBO Now, League of Legends, e para ligas esportivas de beisebol, futebol americano e outros.

Com informações: Disney, The Next Web, io9.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João

Não seria mais barato assinar uma VPN e mandar ver no torresmão? Hehheheeh.

Joaomanoel
Não seria mais barato assinar uma VPN e mandar ver no torresmão? Hehheheeh.
Arthur Soares
Eu tenha acesso a duas telas simultâneas no Netflix, como só uso uma, eu passo a minha senha caso alguém me passe uma senha de acesso ao HBO GO.
Ilson Patricia
Como funciona...aplicatibvo HBO?
Arthur Soares
Troco senha do Netflix por senha do HBO GO.
Theo Queiroz
Eu assinava Crunchyroll e desisti por causa disso. Só 50% dos animes que eu assistia estavam lá, os outros eu tinha que recorrer ao torrent mesmo, porque eu que não vou assinar trocentos serviços de streaming ao mesmo tempo. Solução: cancelei a assinatura do CR e continuo assistindo tudo.
Tutti Quintella
Bom, em muitos países o download de pirataria é considerado crime sério e as pessoas não tem coragem de baixar (eu sou uma dessas), então ainda não vejo solução senão assinar todos os serviços de streaming que tem conteúdo que me interessa (já assinei Netflix, NowTV e DisneyLife ao mesmo tempo, fazer o que...).
Michael Felipe
Mas por outro lado, essa concorrência pode nos dar o que muitos gostariam de ter ao assinar uma operadora de TV a cabo, poder escolher e pagar apenas pelos canais de sua preferência.
Rod
Pois é. Concorrência as vezes pulveriza demais, e acaba desincentivando o consumo.
DumbSloth87
Tbm assino Netflix, porém minha listinha do torrent é um "pouquinho" maior: https://uploads.disquscdn.com/images/abc84257fe5c5b2910b5b06961d3246635c0d7cc8c99a47f59330cd087e27af1.png
LekyChan
o crunchroll já vende os animes deles pela steam
LekyChan
logo vai acabar surgiundo uma "tv paga" para estes sites kkk
Ed. Blake
Obrigado por comentar antes exatamente o que eu ia dizer! Toma meu like.
Renan
O excesso de serviços de streaming pode resultar na compra avulsa de mídias. Será possível adquirir apenas Game of Thrones, por exemplo. No final das contas, o crescimento desse mercado resultará em uma nova forma de pay-per-view.
Jacques
Isso é uma situação que está acontecendo nesse exato momento com a scene de sites de streaming voltado pra animes. Antigamente tínhamos alguns gatos pingados e a Funimation com a Crunchyroll, dessas duas empresas a primeira era focada apenas em países de língua inglesa como os states, o canada e o reino unido. Já a Crunchyroll sempre que deu, expandiu territórios pra oferecer o máximo de conteúdo legalizado ao máximo possível de clientes. De uns tempos pra cá a queridinha Netflix resolveu fazer o mesmo, começou a pegar alguns animes de forma exclusiva, coloca lá o selo de "Netflix original" sendo que no máximo eles fizeram algumas dublagens, coisa que o povo que gosta desse tipo de conteúdo não liga. Atualmente eles tão com 2 títulos muito importantes dessa temporada, sendo um deles o Fate Apocrypha e já anunciaram que só vão lançar de forma oficial depois que terminar a exibição no japão, ou seja, 3 meses depois que passou na TV. Por causa desse título eles conseguiram até que um fansub, que tinha encerrado suas atividades a uns 2 anos atrás devido a grande cobertura do serviço legalizado, voltasse a suas operações pra esse anime, afinal, a turma nesse segmento quer o episódio o menor tempo possível depois que ele foi exibido na televisão japonesa. Nesse meio tempo, a Amazon começou a querer trazer títulos também e fez uma parceria com um bloco específico na TV japonesa (noitamina) que sempre passa alguns animes interessantes, além desse bloco eles sempre pegam agora algum título ou outro Só que, o problema real mesmo foi uma publisher americana que ficou bem salgadinha (Olá Sentai) pelo fato da Crunchyroll se unir com a Funimation e resolveu fazer algo que deixou muita gente extremamente irritada: fez uma parceria com a Amazon e criou um sub canal chamado Anime Strike, onde é disponível apenas nos states e requer que você pague mais 5 usd e só pode assinar se for assinante da amazon prime, ou seja, um double paywall. Isso fez com que a oferta de títulos pro Canadá e america latina fosse drasticamente reduzida, pois eles não deixam nem a Crunchyroll ficar com esses títulos nessas regiões. A solução deles foi criar um novo site de streaming chamado Hidive, que só deixa acessar as séries novas que tem no Anime Strike se você não estiver nos states. Além dessa variedade de sites de streaming aparecendo, ainda temos um sério problema com esses novos concorrentes (Amazon/Anime Strike/Hidive): A legenda português sempre atrasa bastante, tanto na amazon quanto no Hidive e sua qualidade é bem duvidosa, muitas vezes o português é misto entre o ptPT e o ptBR sem contar nos erros de tradução e uma adaptação bem ruim, a legenda em inglês não atrasa, mas também ouço falar muito em delays e quase nunca lança nos horários que eles colocaram. A tradução em inglês também fica muito a desejar. Outro problema bem recente também é que alguns videos possuem parte da legenda hardcoded (vulgo hardsub), maior parte dos consumidores desse tipo de material não gosta desse tipo de coisa. Resumindo: Se você tá no Brasil você precisa assinar pra assistir o máximo possível legalmente: Crunchyroll, Amazon Prime Video, Hidive e Netflix. Se você tá nos states você precisa assinar: Crunchyroll, Amazon Prime, Anime Strike e Netflix Dessas opções o que lança mais rápido e em melhor qualidade é a Crunchyroll, Amazon e suas variantes sempre possuem atraso e a adaptação da legenda pode deixar muito a desejar, sem contar com erros introduzidos e tem a Netflix, que não sabe o que é um simulcast, e só prejudica o mercado segurando release por meses, você esperaria meses pra ver a série do momento? Eu acho que não.
Exibir mais comentários