Início » Mobile » Moto Z2 Force: resistente, mas não muito atraente

Moto Z2 Force: resistente, mas não muito atraente

Por
08/11/2017 às 14h51
8

Prós

  • Bom desempenho e RAM de sobra
  • Efeitos de profundidade na câmera dupla funcionam bem

Contras

  • Bateria com duração medíocre
  • Design com bordas grandes
  • Sem entrada tradicional para fone de ouvido

O Moto Z2 Force é o dispositivo premium da Motorola para 2017: ele tem especificações de sobra, incluindo um processador potente e 6 GB de RAM, que não fazem feio em relação à concorrência. Além disso, ele se destaca pela tela ShatterShield, que não trinca nem estilhaça.

A Motorola também colocou aqui um corpo feito de alumínio resistente, e uma câmera dupla para efeitos de profundidade, e que consegue tirar fotos preto-e-branco.

A empresa ainda aposta forte no conceito de módulos: você pode encaixar uma bateria extra, projetor, caixa de som ou outros acessórios compatíveis (e vendidos à parte).

Será que isso é o suficiente para disputar espaço entre os smartphones premium? A câmera dupla cumpre o que promete? E a bateria relativamente pequena, aguenta o tranco? Testamos o Moto Z2 Force por algumas semanas; confira as respostas a seguir em nosso review.

Em vídeo

Design

O Moto Z2 Force mantém os principais elementos de design da Motorola para 2017: a câmera traseira fica em um módulo circular, o leitor de digitais está na parte frontal, e as bordas continuam grandes.

Claro, os conectores magnéticos para módulos seguem presentes: um dos diferenciais na linha Moto Z são os Snaps, que permitem ampliar as funcionalidades do aparelho com projetores, câmeras 360 graus e gamepads.

Enquanto o Moto Z de primeira geração tem metal e vidro na traseira, o Z2 Force adota uma superfície de alumínio série 7000, mais resistente. O aparelho dá uma sensação sólida mas não parece pesado na mão; ele tem 143 g. São apenas 6 mm de espessura, mas as bordas chanfradas têm uma boa pegada e não escorregam.

Ao contrário do Moto Z2 Play — que tem a mesma espessura — ele não inclui uma entrada tradicional 3,5 mm, apenas a porta USB Type-C. O Z2 Force vem acompanhado por um fone de ouvido com conector P2 — e um adaptador, é claro. Eu sou dono de um Moto Z e estou acostumado: tenho um fone para o computador, e outro para o celular que vive com o adaptador. Claro, isso pode ser inconveniente.

Temos aqui apenas um alto-falante: ele é usado para ligações e para áudio em geral, e emite som um pouco mais baixo do que eu gostaria. O leitor de digitais fica na parte inferior (mais sobre ele a seguir).

A lateral direita abriga os botões de volume e liga/desliga; enquanto a parte superior tem a bandeja híbrida — você pode usar dois chips, ou um chip e o cartão de memória. Por dentro, há um nanorrevestimento que repele água, mas o aparelho não é à prova d’água.

Tela

A tela do Moto Z2 Force tem 5,5 polegadas com resolução Quad-HD, com as cores vivas que você esperaria de um painel OLED. Trata-se aqui da tecnologia POLED, feita de plástico em vez de vidro para não quebrar.

Relatos iniciais diziam que essa tela “inquebrável” riscava com facilidade: ela sofria pequenos danos permanentes até mesmo se você passasse a unha, porque o plástico era muito macio e flexível. Parece que a Motorola amenizou esse problema, pelo menos em minha unidade de testes.

Eu tentei deixar arranhões com a unha, mas não consegui. Não surgiram marcas na tela nas primeiras semanas, mas agora consigo notar algumas por cima do logotipo, próximo ao leitor de digitais. Elas não ficam muito perceptíveis no uso diário, mas se você quiser se prevenir, é melhor usar uma película (não inclusa com o aparelho).

Duas coisas me irritam, no entanto. A superfície da tela é ligeiramente elevada em relação ao restante do aparelho, ou seja, seu dedo vai “raspar” nas bordas toda vez que você acessar algo nas extremidades da interface.

Isso também é um problema para usar os gestos de navegação no leitor de digitais: você poderia ver os apps recentes deslizando para a direita, ou voltar deslizando para a esquerda, por exemplo. No entanto, seu dedo vai ficar raspando nas bordas do sensor — algo tão inconveniente que eu desisti de usar.

Outro problema é o “jelly scrolling”, isto é, um efeito estranho que estica e condensa os elementos da interface durante a rolagem. Por exemplo, quando eu leio uma notícia no Tecnoblog ou em qualquer outro site, o espaço entre as linhas parecia crescer à medida que eu descia no texto; e voltava ao normal quando eu parava. Isso era bastante perceptível nos primeiros dias, mas eu acabei esquecendo disso com o tempo.

Software

Não há muitas surpresas no software do Moto Z2, o que eu prefiro. A experiência é bem próxima do Android puro: ele roda Nougat 7.1.1 com atualização confirmada para Oreo, e os apps pré-instalados são quase todos do Google (Gmail, suíte Docs, Duo).

A exceção fica para o app Moto. Ele tem três partes principais: a Moto Tela exibe notificações na tela de bloqueio, e permite configurar o modo noturno, que reduz a luz azul à noite.

Por sua vez, as Moto Ações permitem girar o aparelho duas vezes para abrir a câmera; fazer o movimento de “corte” para ligar a lanterna; entre outros gestos que você já conhece. Aqui, ao passar a mão por cima do dispositivo, a tela se acende sozinha; no entanto, isso está menos sensível que no Moto Z de primeira geração.

E, com a “navegação em um toque”, você pode usar o leitor de digitais para substituir os botões Voltar/Home/Multitarefa do Android. No entanto, como eu expliquei acima, isso é desconfortável por causa da tela elevada: você vai raspar o dedo nas bordas do sensor o tempo todo — então preferi não usar.

Por fim, o Moto Voz se tornou algo separado do Google Assistente. O recurso é ativado ao dizer “me mostra”; você não pode mais configurar seu comando personalizado. Basicamente, é possível apenas ver sua agenda (“me mostra meu dia”), a previsão do tempo (“me mostra o clima agora”), e abrir um app (“me mostra o Gmail”).

E ele não entende comandos mais complexos, como “me mostra a previsão do tempo no Rio de Janeiro” — ele só exibe as condições para sua cidade atual. O Moto Voz funciona mesmo com a tela desligada, mas sinceramente, eu meio que me esqueci dele.

Ainda é possível usar o “OK Google” com a tela desligada indo em Configurar > Segurança > Smart Lock > Voz de confiança. No entanto, você precisará permitir que sua voz desbloqueie o aparelho, o que não é muito seguro.

É um retrocesso em relação ao que tínhamos desde o primeiro Moto X, lançado em 2013; mas confesso que mantenho esse recurso desativado no meu Moto Z (por consumir muita bateria nele).

Câmeras

A Motorola decidiu colocar uma câmera dupla no Z2 Force: são dois sensores de 12 megapixels com abertura f/2,0; um deles é colorido, e o outro é monocromático. A ideia é melhorar o alcance dinâmico e a nitidez das fotos.

Em especial, o sensor duplo permite usar o “modo profundidade”, para borrar o plano de fundo. Felizmente — e ao contrário do Moto G5S Plus — este recurso funciona bem na maioria das vezes. Aqui temos nosso modelo profissional Paulo Higa; repare como o algoritmo detectou bem o plano de fundo (exceto pelo apoio da cadeira).

Aqui estou eu de volta ao Parque Ibirapuera, e desta vez a câmera me reconheceu perfeitamente:

Ela também conseguiu identificar corretamente esta placa:

E se saiu bem até em condições mais difíceis, identificando com alguma precisão este marreco nadando no lago:

Claro, a câmera pode errar às vezes: aqui ela cortou um pedaço de mim. Eu recomendo tirar pelo menos duas fotos de profundidade, para garantir que você consiga uma imagem boa; o Z2 Force é rápido em fazer o processamento.

Graças ao sensor monocromático, você também pode tirar fotos preto-e-branco sem aplicar filtros:

Voltando a atenção para os modos tradicionais da câmera, temos aqui um aparelho que tira fotos muito boas quando há iluminação o suficiente; mas acaba trazendo resultados meio borrados em pouca luz.

Eu gostei da nitidez das fotos com boa iluminação:

oi bb

tchau bb

As cores são um pouco mais vivas que no mundo real, especialmente no modo HDR:

Com HDR

Sem HDR

Como não há estabilização óptica de imagem, a câmera aplica um filtro de sharpening para deixar as fotos mais nítidas, sem prejudicar sua qualidade:

À noite ou sob pouca luz, você pode tirar fotos boas se tiver paciência. O Z2 Force é capaz de tirar fotos nítidas, mas geralmente não na primeira tentativa. Se você capturar mais de uma imagem, pode acertar no foco. Eis alguns exemplos:

A câmera frontal de 5 megapixels tem abertura f/2,2 e tira fotos boas quando há iluminação suficiente. Sob pouca luz, as selfies costumam sair borradas; o flash LED duplo às vezes ajuda, mas pode deixar o brilho estourado.

Desempenho e bateria

O Moto Z2 Force tem processador octa-core Snapdragon 835, que garante um desempenho rápido na maior parte do tempo. Você não terá problemas com jogos mais pesados, como ShadowGun, Real Racing 3 e Batman: The Enemy Within. No entanto, eu reparei em pequenos engasgos em transições na interface, talvez devido ao throttling do processador; é algo raro, mas como o desempenho é geralmente fluido, isso se torna algo perceptível.

O aparelho esquenta sob tarefas mais intensas, como jogos. Você vai sentir isso nas bordas inferiores e especialmente nos conectores magnéticos dos Moto Snaps. Ele não fica impossível de usar nem fecha apps automaticamente, mas também é algo perceptível.

É possível manter vários apps abertos com os 6 GB de RAM. O armazenamento interno é de 64 GB, que você pode expandir com um cartão de memória de até 2 TB — você terá que escolher entre dois chips ou um chip e um cartão microSD.

Pontuação no AnTuTu 6.2.7, Geekbench 4.1.3 e 3DMark

A bateria tem 2.730 mAh, o que é pouco se comparado a outros flagships atuais, como o Galaxy S8 e o LG G6. Ela durava cerca de 22h com uso moderado: navegando na web, batendo papo no WhatsApp e Telegram, usando o Google Maps, ouvindo música no Spotify e jogando de vez em quando.

À noite, o Z2 Force geralmente estava em cerca de 20%. Ele cumpre a promessa da Motorola de “bateria que dura o dia inteiro”, mas você precisa mesmo carregá-la diariamente — e ela pode acabar mais rápido se você quiser jogar ou tirar muitas fotos.

Claro, para esse problema há uma solução: usar o Snap de bateria. O Moto Power Pack tem capacidade de 2.200 mAh, mas oferece carga efetiva de apenas 1.100 mAh — o restante é perdido na transferência para os conectores.

O Z2 Force vem com um carregador TurboPower de 15 watts, que leva a bateria a 100% em cerca de uma hora. O carregamento do Snap de bateria, no entanto, é mais lento.

Vale notar aqui que a Motorola decidiu não incluir sequer uma capinha Style Shell para esconder os conectores da traseira: se você quiser uma, precisa comprá-la à parte. (O Moto Z vinha com uma capinha de couro.)

Conclusão

O Moto Z2 Force talvez seja o aparelho ideal para um tipo bem específico de consumidor: que quer um aparelho premium com a experiência pura do Android e não quer lidar com importação; ou que realmente gosta dos Moto Snaps.

Se você não se importa em ter o Android puro, o Galaxy S8 é claramente uma opção melhor. Tudo nele é superior, incluindo design, câmera e bateria — e o preço é bem semelhante. Além disso, a Samsung costuma atualizar a linha Galaxy S por duas gerações do Android (tal como a Motorola faz com seus tops de linha). Até mesmo o Galaxy S7 é um forte concorrente.

Mas se você realmente precisa do Android puro, ou dos Moto Snaps, há uma opção que eu recomendaria mais: o Moto Z2 Play. O desempenho é excelente, a bateria é um pouco maior, e a entrada de fone de ouvido segue presente. Você não terá os efeitos de profundidade na câmera, mas dá para viver sem eles. Fora que o preço é bem menor!

O Moto Z2 Force não tem o bastante para se destacar entre os smartphones premium de 2017. O design repleto de bordas está ultrapassado, a câmera é muito boa mas não excelente, a bateria dura pouco, e não há resistência contra água e poeira. O desempenho é bom, só que a concorrência oferece mais pela mesma faixa de preço — ele foi lançado por R$ 2.999.

Como comprar com desconto?

testador-cupons-checando

Você pode utilizar a nova extensão do Tecnoblog para economizar alguns caraminguás na hora de trocar de aparelho. Ela tem um módulo Testador de Cupons que busca e aplica o maior desconto disponível na internet no seu carrinho de compras. É tudo automático, então qualquer um consegue utilizar, e é completamente grátis!

ta-caro

Outro recurso muito legal é histórico de preços. Quando você acessar a página de um smartphone, por ex, a gente já consegue te dizer se ele está com um preço legal. Esse recurso te ajuda a não cair em nenhuma "promoção", dessas que oferecem tudo pela "metade do dobro". Tenho certeza que vai ser muito útil em datas especiais, como na Black Friday.

Curtiu? Então clique aqui para instalar. ;)

Especificações técnicas

  • Bateria: 2.730 mAh;
  • Câmera: 12 MP + 12 MP na traseira e 5 megapixels na frente;
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11ac, Bluetooth 4.2, NFC, GPS, GLONASS, USB Type-C;
  • Dimensões: 155,8 x 76 x 5,99 – 8,39 mm (na câmera)
  • GPU: Adreno 540 de 670 MHz;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 2 TB;
  • Memória interna: 64 GB (45 GB livres);
  • Memória RAM: 6 GB;
  • Peso: 143 gramas;
  • Plataforma: Android 7.1.1 Nougat;
  • Processador: octa-core Qualcomm Snapdragon 835;
  • Sensores: impressões digitais, acelerômetro, giroscópio, proximidade, luminosidade, bússola;
  • Tela: P-OLED de 5,5 polegadas com resolução de 2560×1440 pixels e Moto ShatterShield.

Notas Individuais

Design
7
Tela
9
Software
8
Câmera
8
Desempenho
9
Bateria
7
Conectividade
8
  • Mickey Sigrist

    Os pontos contra, na minha opinião, são MUITO contras. Bateria ruim e falta de entrada física pra fones: deal-breaker total.

    • Nicolas Gleiser

      headfone Bluetooth ajuda no caso da entrada P2, mas deve dar uma fodida na questão bateria

      • Diogo

        Dizem que o Bluetooth atualmente consome muito menos bateria do que antes… não sei como é o consumo em números.

        • Nicolas Gleiser

          mesmo consumindo menos bateria, ainda é um consumo extra ali …
          se bem que pra dar “energia” ao fone, tbm tem um consumo
          Sei la …. vou pesquisar aqui

      • Mickey Sigrist

        Eu to buscando um fone sem fio pra uso geral (em smartphone e notebook, basicamente). Você usa? Tem alguma recomendação pra fazer de modelo com preço razoável?

        • Nicolas Gleiser

          tenho o Philips Shb3060 , o preço dele flutua bastante, mas não é impossivel acha-lo a uns 200 pilas, Ele tem uma qualidade de um fone de uns 100~150 reais com fio pra uso geral é otimo, eu uso ele no smartphone vindo pro trabalho e no trabalho tbm usando o bluetooth do notebook
          Bateria nesse nivel de uso ( 4 hrs no celular e umas 6~7 hrs no notebook) dura o dia inteiro

        • bruno vieira

          Cara, tenho esse da philips do link abaixo, muito bom porque fica confortável na orelha por ficar ao redor dela, o famoso over the ear

          https://www.philips.com.br/c-p/SHB7250_00/fones-de-ouvido-sem-fio-bluetooth

        • Maicon Bruisma

          Eu recomendo o Meizu EP51, simplesmente incrível, e mesmo se comprar de revendedor do ML sai mais barato que muitos por aqui que são bem inferiores

  • A review inteira ‘elogia’ o aparelho… menos basicamente na bateria (e bordas?)…
    E traz um título totalmente bombástico kkkk

    Porém durar o dia inteiro não é o bastante? Quem no mundo não carrega o telefone todo dia?
    Reclamável seria se ele descarregasse na volta para casa… ou antes das 18h
    .

    • Nicolas Gleiser

      eu fico o dia inteiro fora de casa( das 7:00 as 00:00), e não faço esse uso moderado que faz com que o aparelho segure o “dia” inteiro, pra mim tenho certeza que iria dar ruim antes das 20:00 …
      e conheço uns nego que tão na mesma condição de uso

      • Bom… eu acho muito subjetiva a definição de intensidade…

        Eu já passei da época de chegar em casa 0h kkkk agora chego ás 20h. (mas chego com mais de 30%)

        E o Z Play de 3510mAh me atende mais do que bem… nem sequer carrego durante o dia…

        Mas considerando que toda a linha Z tem o carregador turbo que leva aos 100% em praticamente 1h, basta arranjarmos um momento para colocar ele na tomada e ficar mais várias horas.

  • Será q é só eu q sente falta de um video review?

    • Felipe Ventura

      breve #breve

  • rocarmo

    Aguardamos ansiosamente o review do Moto X4. Alguma previsão?

    • Felipe Ventura

      Sai ainda esta semana!

  • tuts

    Qual o problema de bordas? Vocês são doentes? Querem um iPhone x e seus dentes, ou o s8 que é muito estranho e feio?

    • Bordas pra mim, tbm é bobagem, acredito que são até mais confortáveis no uso, até pq tenho as mãos grandes, atendem bem meu gosto. Uso um moto G5 plus

    • pedroca

      Para seu conhecimento nao existe somente os dois aparelhos “sem bordas”. E sim, bordas sao horriveis, vide a linha da sony!
      Se vc nao gosta blz, é só usar um aparelho de 2015/2016.
      Nubia z17s

      https://uploads.disquscdn.com/images/e882ccb8d95364c2ef2cddabd2bdedf67902700492910b45eb328ac42eddfe2a.jpg

      • Roberto Ronilson

        Resumindo ! Não compro.
        Só se a bateria for um dia para 4.000 Mah de bateria.

      • Roberto Ronilson

        Vou comprara o LG G6 mesmo.

    • Júlio César

      > S8 estranho e feio… gosto é que nem c* mesmo.

    • Meninão Bobo

      Se chama tendência de mercado, meus pais adoravam quebra vento do Gol e Parati, era util para N situações e hoje não existe mais, pois era tendência.

  • Ed. Blake

    “Outro problema é o jelly scrolling” – Até pouco tempo eu fuçava até quase quebrar o compiz pra ter esse efeito no Ubuntu. Este bug seria aprovado como feature pra mim, desde que eu pudesse ativá-lo e desativá-lo quando quisesse. =)

    “tal como a Motorola faz com seus tops de linha” – O pessoal do Moto X Plus de 2015 – ainda rodando Android Marshmallow – que o diga! A Motorola hoje no quesito atualização é tão boa quanto a Asus ou LG. Demora a liberar atualização e quando libera vem zicada e isso já não é mais novidade. Basta olhar as comunidades e forums dos aparelhos Moto. Sem falar que ainda nem liberou os sources do kernel do Z2 Play. Fora o primeiro G5 Plus, o thread do Z2 Play e de todos os outros 37 3 modelos do Moto G no XDA são um deserto. Se a Moto der pra trás, esqueça o biscoitinho recheado no seu telefone.

    “Além disso, ele se destaca pela tela ShatterShield, que não trinca nem estilhaça.” – Mas o painel AMOLED abaixo do display ainda é o mesmo usado na geração passada = Fragil. Numa queda vai ser o painel preto mais não-estilhaçado da assistência técnica. E prepare-se pois a peça custa o mesmo de um Moto Z2 Play novo.

    Sobre a camera eu queria ver um comparativo com a geração passada pois fiquei bastante impressionado com as fotos que recebi de uma festa de casamento à noite feitas num Z Play de um amigo. Definitivamente os reviews não fizeram jus à qualidade que eu percebi na prática.

    “A bateria tem 2.730 mAh” – “É uma piada! É tudo uma piada!” – Comediante, AKA Eu.

    Sobre custo-benefício: Um Galaxy S7 Edge hoje sai mais em conta que um Moto G5s Plus.

    • Mickey Sigrist

      Sobre o comentário do Galaxy S7 Edge, você quis dizer em termos de CxB, e não de valor total da compra, né?

      • Ed. Blake

        Sim. Se você pegar o valor stock do G5s Plus que é de R$1400, sim. Um amigo comprou estes dias por R$1650 por um S7 Edge. Mais barato que Z2 Play, pouca coisa mais caro que o G5s Plus e infinitamente superior aos dois.

        • Mickey Sigrist

          Eu to muito tentado a comprar um S7 Edge já tem um tempo. Assisti alguns vídeos/reviews dele rodando o Nougat 7.1 e achei o desempenho muito superior à rom original de fábrica (Marshmallow 6.0). O preço está ficando convidativo mas não queria pagar mais do que R$1.700,00. Aguardando a Black Fraude pra ver se consigo algo abaixo disso.

          • Ed. Blake

            Por incrível que pareça desde o S6 as melhores ROMs para aparelhos flagship da Sammy parecem ser apenas modificações do firwmare original com otimizações da comunidade.

    • Jack Souza

      O que vem a ser ”Moto x plus 2015″? Tenho um G4 plus e está no 7.0.

      Outra coisa Amoled? Apesar da garantia cobrir não sei se é o mesmo display e se for se é frágil assim, pq o x force tacavam de tudo quanto é jeito e não acontecia nada. Agora derruba um borda infinita…

      Aliás meio ridículo pq pensa bem, boa parte das pessoas usa capinha e película, eu incluso nessa, daí vem gente falar de design. É igual andar com colar de diamantes por baixo da blusa. Pelo menos esse você pode por só película de quiser.

      CxB o S7 é um dos melhores mesmo.

      O legal é a câmera 360, se eu fosse rico…

      • Ed. Blake

        “O que vem a ser ”Moto x plus 2015″?”
        Era o Moto X Style. My bad.
        Esse ainda tá agarrado no Marshmallow até hoje.

        Sobre AMOLED: No primeiro modelo (Moto X Force), que era grande e grosso (ui) a Motorola parece ter caprichado na proteção da tela em relação à absorção de impacto. No Z Force, o qual a prioridade era ser bonitinho, não percebi isso. Tanto é que não vi vídeos aos quatro cantos da fabricante de pessoas o jogando no chão como no X Force. Outra coisa é que garantia pode ser de 15 anos, se cair no chão te devolvem um “A garantia só cobre erro de fabricação”.

        Eu gosto de telefones bonitos pois não uso capa nem película. O que é a vida sem adrenalina, afinal? =)

  • Tenente Figueiredo

    O único da motorola que tá valendo a pena é o Z2 play.
    Já vi várias vezes em promoção por 1500 com snap de bateria.

  • Gustavo75

    Olá Felipe;
    Também sou proprietário de um moto z. A tela do meu apresentou com quase 11 meses de uso (outubro/17) aquele problema de burn-in, sendo que ele não sofreu nenhuma queda e nem teve contato com água. Tanto os botões virtuais voltar-home-multitarefas quanto a barra de status ficam aparecendo no fundo (efeito fantasma) quando estou assistindo vídeo por exemplo. Vou ter que enviá-lo para assistência técnica pois a garantia está vencendo, mas não pretendo ficar com ele quando voltar da assistência, vou vendê-lo. Estava esperando o review do moto z2 force para decidir a compra, mas estou com dúvida entre ele e o samsung s8. O que vai decidir é a qualidade da câmera, e no review você prefere a câmera do s8. A samsung tem fama de ter fotos com cores muito saturadas, fora da realidade, é uma característica que eu não gosto. As fotos do S8 apresentam essa saturação?

    • Felipe Ventura

      Confira as fotos do Galaxy S8 em nosso review: https://tecnoblog.net/212845/galaxy-s8-review/

      Mas adianto: “Em boas condições de iluminação, o Galaxy S8 tira de letra qualquer foto. O pós-processamento da Samsung está equilibrado, as cores ficam muito bonitas e o nível de detalhes é sensacional.”

    • Diegomarianocsz

      Esse problema de burn-in é algo inerente aos aparelhos com tela OLED, não à toa que Motorola e Samsung, que estão entre as que fazem maior uso uso dessas telas, costumam dar muito problema de tela, e também por isso algumas marcas, apesar das vantagens que essas telas apresentam, resistem em adotá-las.

  • evefavretto

    “Vale notar aqui que a Motorola decidiu não incluir sequer uma capinha Style Shell para esconder os conectores da traseira: se você quiser uma, precisa comprá-la à parte.” e viraram um pesadelo pra comprar no Brasil, nem no site da Motorola tem mais.

    E de novo eu bato na tecla de que deviam ter usado o sensor monocromático pra melhorar a performance em pouca luz, mas enfim.

  • Jean Vieira betetto

    “Tudo no s8 é superior” exceto processador, memória ram, e o fato do s8 quebrar tanto a tela quanto a parte de traz, a camera na minha opinião se equiparam, apesar do s8 ter resultados melhores, o moto z2 force tem mais efeitos, e as fotos apesar de n serem iguais do s8 n deixam muito a desejar. (Fora flash frontal que pra mim sinceramente é inútil mas tem que gosta, nos meus testes não estourou em nenhum momento, pra mim isso é mito, todo mundo falava que flash frontal estourava luz comigo aconteceu nem nos testes com esse nem com o moto z)

    • Caroline Mendes

      O S8 também possui Snapdragon 835 no Brasil. Ele vem com Exynos na Europa e EUA, se não me engano.

      • Jean Vieira betetto

        Pois é, se for pra considerar versões externas o moto z2 force tem 128 GB (partes da Europa e Ásia) sem contar que se levar em consideração versão s8 6gb, no Brasil moto z2 force acaba saindo mais barato. Geralmente não inclui aparelhos internacionais devido a falta de garantia.

      • Henrique Mello

        É o oposto. Nos EUA que usam o Snap 835 (por causa do modem CDMA). Resto do mundo (incluindo o Brasil), é Exynos.

  • Paulo Cesar Oliveira

    Bateria do S8 melhor????? É sério isso produção???

    • Leonardo D Monkey

      ganha do s7 e s8 em video playback, web browsing quase igual, perde em 3g talk time e standby . *gsmarena

      • Paulo Cesar Oliveira

        Valeu, fui conferir lá……

  • Thiago Braga Izidoro

    Nossa. A câmera é excelente.

  • Michel Rafael

    Galaxy s7 é um bom concorrente eu não escutei isso . Em vários reviews internacionais a bateria do Z 2 Force tem um rendimento melhor que do S8 e isso sem Snaps kkkkkkkk . Esse aparelho é muito superior que o Galaxy s7 nem tem comparação . Alias em Fluidez ele coloca o S8 no bolso e dá risada kkkkkkkkkk . Então acho que vai do gosto e do que cada um procura !!! .

  • Michel Rafael

    Outra coisa ele não é feito de açúcar como o S7 e o S8 que qualquer tombo esfarela . Fala das ” bordas grandes ” mas não fala da robustes do produto e da tela que não ” quebra nunca ” …

    • Leonardo D Monkey

      O vidro da tela não quebra , mas os componentes internos da tela sim, veja a quantidade de reclamações do force 1 , pessoal achou que o aparelho era “inquebrável” não usava capinha , algumas quedas e a tela fica preta mas intacta, Motorola não cobre a garantia …kkk coitados que pagaram quase 3 contos no aparelho para durar +-1 ano… Meu amigo ficou com tanta raiva depois de alguns meses brigando com a garantia da motorola, destruiu o aparelho , só faltou cagar em cima dele …O force 2 se tivesse uma bateria melhor por 2k até pensaria em pegar ele.

  • Fernando Jose

    Eu passei 5 meses com o s8, e troquei pelo z2 force. A duração da bateria é a mesma do s8, que ele fica aí elegiando, e ainda tem a snap de bateria. A usabilidade dele é muito melhor, muito mais rápido que o s8, que é bem lerdo comparado a ele.

  • Vitor

    Incrível, os caras tem tara por smartphone fino. Tiram 2mm do aparelho mas mata uma funcionalidade básica, que é manter ele ligado o dia todo, reduzindo a bateria.

    Na real engenheiros da Motorola, bateria de 4000 mah vai bem, dura o dia todo para 90% das pessoas.

    De qualquer modo é melhor um smartphone mais gordinho do que andar com um powerpack o dia todo no bolso.

  • pedroca

    a foto do Higa parece que aumentou a cabeça dele na edição kkkkkkkkkkkkkk

  • Meninão Bobo

    Aparelho bom e bonito para 2015, hoje com S8 e S8 + com borda infinita nem Iphone X chega perto em beleza, infelizmente a realidade é essa, isso pq eu tinha Moto Maxx e achava muito TOP…

  • Cássio Amaral

    3 mil paus num smartphone. E eu comprei um Zenfone 3 Max 5.5″ (3GB de RAM) por 800 recentemente e estou morto de satisfeito rsrs, pra mim já é mais do que suficiente. Não tenho inveja, só acho muita coragem dar 3 fuc*ing mil reais num celular, é dinheiro demais! Na boa, acho dar mais que 1500 num smartphone absurdo, por melhor que seja.

  • Bruno Da Trindade Brum

    Achei bem bosta esse rewiew, destacou umas coisas nada a ver, sei lá, acho que tem fabricante metendo uma graninha no site. É esse jornalismo no Brasil cada vez mais perdendo a credibilidade.

  • Willian Nobuo

    eh a cara do rockr e2!

  • Sidney Piesco

    É uma pena essa bateria.