Toda vez que falamos em “Samsung” e “bateria”, é inevitável lembrar do fiasco do Galaxy Note 7. Mas a coreana já mostrou que consegue fazer smartphones bem-sucedidos e não-explosivos desde então.

Agora, ela está olhando para o futuro. O Instituto Superior de Tecnologia da Samsung (SAIT) usou grafeno para desenvolver uma bateria que, em relação a modelos tradicionais, tem capacidade 45% maior e carrega cinco vezes mais rápido.

Samsung Galaxy On7

As baterias de íons de lítio vêm atingindo limitações em sua capacidade e velocidade de recarga. Desde que foi descoberto em 2004, o grafeno — uma forma de carbono — é visto como um material que pode ajudar, graças à sua elasticidade e condutividade elétrica.

A equipe da Samsung encontrou um mecanismo que usa SiO2, ou sílica, para sintetizar grafeno em uma estrutura tridimensional. O material se expande de forma semelhante a uma pipoca — é a comparação que os próprios pesquisadores fazem no estudo, publicado este mês na revista Nature Communications.

O processo cria bolas de grafeno que são usadas como ânodo e cátodo em uma bateria de íons de lítio. Ela vai de 0% a 100% em doze minutos, contra uma hora para um modelo tradicional sem grafeno. Além disso, ela também funciona a temperaturas de até 60 graus, algo necessário para uso em carros elétricos.

A Samsung patenteou a tecnologia na Coréia do Sul e nos EUA. No entanto, como lembra o analista Kim Young-woo ao Financial Times, “isso é excelente e tem várias aplicações em potencial, mas levará muito tempo para que as baterias baseadas em grafeno sejam produzidas em massa. O importante é quem poderá comercializá-las primeiro”.

Com informações: ZDNet, Financial Times.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gabriel Karikas

DDDDDD

Yago G. Oliveira

féltékeny

Gabriel Karikas

burro

Gabriel Karikas

idiota

LuizF

Ele sumiu

jotapelessa

bolsonaro2018 :)

Jean Carlos
Eu até gosto dos produtos da Samsung, mas essa história de bateria de grafeno é velha viu, na matéria diz que a Samsung não tem previsão de produzir em massa tais baterias de grafeno, se contradizendo com o que informou em 2014, onde anunciou a produção em massa dessas baterias conforme matéria que saiu na mídia naquele ano ( https://www.tudocelular.com/samsung/noticias/n34343/samsung-baterias-de-grafeno.html). Me sinto enganado quando leio essas coisas que ficam apenas na promessa, principalmente pq vejo que se trata apenas de estratégia de marketing, com o intuito claramente de chamar a atenção, sem de fato ter o produto, ou seja, muita fumaça e pouco fogo.
Gabriel Hoffmann de Oliveira
Nem percebi que tava no TB... Achei que aqui era o Gizmodo ?
Ronan Reis
é isso que o Presidente Bolsonaro ta querendo mudar amigo , envez de vender a matéria prima .. trazer essas empresas para o Brasil e exportar o produto final.
Ronan Reis
Digite Bolsonaro grafeno no google que você verá não só sobre esse assunto , mas bem como vários outros relevantes pro país.
Ronan Reis
é só lembrar que o Grafeno no Brasil pode ser o segundo ouro depois do nióbio, e que isso pode fazer precisar que abram uma fábrica em cada esquina , quer seja pra extrair , sintetizar ou fabricar a bateria final ... Traduza isso em dinheiro que a depressao passa.
Daniel Ribeiro
Eu não sei se entendi direito... Não é o NIÓBIO que tem reservas no Brasil? Grafeno pelo que sei é o produto gerado pelo processamento de carbono... Ele não é encontrado na natureza, mas sim fabricado.
Dario Goya
É melhor Jair se acostumando
Catena's Beauty Atelier
Eu não quero uma bateria que carregue em doze minutos. Até quero, mas primeiro eu quero uma bateria que dure 7 dias no meu celular.
Catena's Beauty Atelier
Lítio era usado até pra combater a depressão antigamente. O bixo era foda e servia pra tudo. Quero ver o grafeno combater depressão.
Exibir mais comentários