Início » Internet » MP investiga como Google trata dados de crianças brasileiras no YouTube

MP investiga como Google trata dados de crianças brasileiras no YouTube

Paulo Higa Por

O YouTube Kids tem causado polêmica desde que foi lançado, em 2015: ele exibiu vídeos com conteúdo violento ou erótico, foi acusado de mostrar anúncios disfarçados e ganhou um filtro apenas com conteúdo aprovado por humanos após sugerir teorias da conspiração. Agora, o Google está sendo investigado pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pela forma como trata dados de crianças.

Em nota, o MP cita um artigo do Código de Defesa do Consumidor que “proíbe ao fornecedor de produtos e serviços aproveitar-se da fraqueza ou ignorância do consumidor devido a sua idade”. Informa ainda que a exibição de “publicidade que se aproveite da falta de julgamento e de experiência da criança” é considerada uma prática abusiva.

YouTube Kids

Por isso, a Comissão de Proteção dos Dados Pessoais quer descobrir como as informações do público infantil são tratadas pela empresa, já que “na prática o YouTube está tratando dados de crianças sem o consentimento dos pais ou responsáveis”, de acordo com o promotor Frederico Meinberg.

Isso porque, embora os termos de uso do serviço de vídeos afirmem que o usuário precisa ser maior de 18 anos, menor emancipado ou ter autorização legal dos responsáveis para acessar o YouTube, não existe nenhuma forma de verificação de idade por parte do Google, segundo o MPDFT.

Este é mais uma cruzada contra a relação do YouTube com o público infantil: nos Estados Unidos, a Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês) já recebeu pedido de investigação semelhante porque “o Google lucra imensamente entregando anúncios para crianças”. Além disso, a maior parte das crianças estaria acessando não o YouTube Kids, mas o YouTube convencional, que pode coletar dados como geolocalização, número do celular e identificação do dispositivo.

Procurado pelo Tecnoblog, o Google Brasil informou que "não comenta casos específicos".

Atualizado às 12h21 com o posicionamento do Google.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Renan Mendes

Rebati suas falácias ponto a ponto, em especial a que dizia que o MP não tem autoridade ou poder para monitorar pais relapsos que deixam os filhos em situação de vulnerabilidade. Usar essa notícia como cortina de fumaça para justificar a falta de ação estatal sobre esse problema de crianças se expondo na internet é uma coisa bem estranha. Mas qualquer um já notou suas intenções aqui. Boa sorte, pedoguy. Que aprenda a escrever corretamente na cadeia.

danielnbl

surtou toda. pelo visto você não leu o texto da notícia.
o escopo da notícia, nesse tipo de portal principalmente, não tem como pretensão mostrar todas as atividades que você julga prioritárias em detrimento dessa.

Renan Mendes

Não só tem capacidade, como tem obrigação de monitorar os pais dessas crianças que ficam se exibindo de forma inapropriada na internet. Ou você acha bonito essas crianças se upando vídeos com nudez e sexo? Acha que os pais são os coitadinhos e não devem ser responsabilizados pela falta de atenção? Leia sobre as atribuições do MPE/MPF antes de tentar dar uma "lacrada" dessas.

"não precisam ter essa expertise de saber quais dados deles e dos filhos
estão sendo monitorados e o que está sendo feito com isso."

Precisam sim. Isso é mandatório para qualquer pessoa com o mínimo de preocupação com os filhos. Parece que para o MP e alguns aí, o uso de dados por uma empresa, é pior e mais preocupante que milhares de crianças subindo vídeos com nudez e sexo, para milhões de pessoas verem. Eu consigo entender o motivo do MP se preocupar com apenas o Google e não com os pais ou crianças que fazem esse tipo de conteúdo, agora pessoas querendo diminuir uma coisa séria dessas, é no mínimo, intrigante.

danielnbl

Como se o MP tivesse essa autoridade, poder ou até mesmo capacidade de monitorar e examinar pais. Acho complicado pensar dessa forma. Sim, pais precisam ser atentos, mas pais não precisam ter essa expertise de saber quais dados deles e dos filhos estão sendo monitorados e o que está sendo feito com isso.

Uma coisa não exclui a outra.

Lucas Blassioli

Quero pegar esse comentário e emoldurar

Renan Mendes

MP entrou na brincadeira de foder o Google. A maioria desses pais mal
sabem fazer conta para o filho, criam uma conta de adulto e não fazem
supervisão. É no Youtube que todo dia tem criança subindo vídeos
dançando funk, subindo vídeo com nudez e até com sexo, porque os pais
são imbecis demais para fazer um controle parental. MP só quer aplicar
multa milionária, pois se ligasse mesmo para crianças, eles iriam atrás
desses pais relapsos...

marcos_5000

Pois é. Já faz uns 2 dias que não funciona. Que pena, é um serviço muito bom.

doorspaulo

Imagino essa molecada acessando a internet dos anos 90 e começo de 2000...

Gilson Kochhann

Achei que era só comigo. Mas deve ser algum problema com o TB, outros sites ainda funcionam normal

Venilson Carneiro

Poxa, as notícias não aparecem mais pra o 'Instant view' no Telegram. 😓