Início » Negócios » Amazon destrói anualmente milhões de produtos que não consegue vender

Amazon destrói anualmente milhões de produtos que não consegue vender

Denúncia foi feita após investigação em depósito na filial francesa da Amazon; itens descartados vão de fraldas a caixas de Lego

Por
39 semanas atrás

Imagine que você entra em uma loja online, olha um produto e desiste de comprá-lo por não ter dinheiro. Agora imagine esse mesmo produto sendo destruído algum tempo depois simplesmente por ter encalhado no estoque. Revoltante, não? Mas é exatamente isso o que acontece na Amazon.

Amazon - caixa

É o que revela uma reportagem exibida recentemente pelo canal francês de televisão M6. Um jornalista conseguiu ser contratado como auxiliar e, com uma câmera escondida, gravou o interior de um dos depósitos que Amazon mantém na França. No local, ele presenciou diversos tipos de produtos sendo descartados: máquinas de café, TVs, pacotes de fraldas e até caixas de Lego.

Apesar de questionável, essa prática não é ilegal. A Amazon tem contratos com fornecedores para devolver ou descartar produtos que não foram comercializados. Estima-se que, só na França, 3 milhões de itens são destruídos todos os anos mediante esses acordos. Há evidências de que o descarte de produtos também ocorra em outros países, incluindo os Estados Unidos.

A pergunta que vem à mente é: por quê? O fator custo é a base de tudo. Para os fornecedores, fica caro manter os produtos nos armazéns da Amazon por muito tempo. Entre devolvê-los e destruí-los, muitos preferem a segunda opção também por conta dos custos: frequentemente, é mais barato destruí-los do que enviá-los de volta à origem. É o caso de itens que são fabricados na China.

Procurada, a Amazon declarou que faz o possível para reduzir a quantidade de produtos que precisam ser devolvidos ou descartados. A companhia diz, por exemplo, que trabalha com organizações para doar itens que podem ser aproveitados por pessoas necessitadas.

Mesmo assim, a quantidade de produtos jogados no lixo periodicamente é grande. De acordo com especialistas, isso se deve, em parte, ao fato de as doações serem caras para a Amazon por conta dos impostos.

Horas após a exibição da reportagem, o governo francês manifestou indignação com o assunto. Brune Poirson, secretária de Estado do Ministro da Transição Ecológica e Inclusiva (amém), declarou que o Parlamento francês irá aprovar uma lei para coibir essa prática.

Não é só por lá que a Amazon poderá ter problemas: no ano passado, a companhia esteve no centro de uma grande polêmica na Alemanha por conta de denúncias de descarte de produtos devolvidos por clientes, mas que estavam em perfeitas condições de uso ou tinham apenas pequenos defeitos.

Com informações: BBC, RTL.

Mais sobre: