Início » Celular » Asus deve lançar no Brasil o primeiro smartphone com Qualcomm QSiP

Asus deve lançar no Brasil o primeiro smartphone com Qualcomm QSiP

Asus vai anunciar produto "exclusivamente para o Brasil", desenvolvido em parceria com a Qualcomm

Felipe Ventura Por

A Asus convidou a imprensa para anunciar um produto "exclusivamente para o Brasil", desenvolvido em parceria com a Qualcomm. O evento será realizado em 13 de março. Acredita-se que ela vai lançar um smartphone com QSiP, módulo tudo-em-um que deve ser fabricado futuramente no Brasil.

Asus Zenfone 4

Fontes dizem ao Ztop que este futuro smartphone da Asus vem com QSiP, sigla para Qualcomm System in a Package. Trata-se de um módulo que engloba mais de 400 elementos eletrônicos — incluindo processador, RAM, armazenamento flash e GPS — para facilitar a fabricação de celulares.

A ideia é simplificar a montagem dos smartphones: a Qualcomm oferece uma peça tudo-em-um, então a fabricante não precisa adquirir e instalar as peças individualmente; ela pode se concentrar em outras especificações, como tela e bateria.

Além disso, o QSiP promete economizar espaço interno nos celulares. Isso abre a "possibilidade de fabricação de aparelhos mais finos, com apenas 6 milímetros, e o uso de baterias maiores", explica Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm para a América Latina, à Revista Pesquisa FAPESP.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Mario Nagano (@mnagano_zumo) em

Protótipo da Qualcomm tem QSiP e câmera dupla

Steinhauser demonstrou na feira Futurecom do ano passado um celular com QSiP. O protótipo tinha uma traseira parcialmente transparente, onde era possível ver o código "QSIP450".

Pelo nome, é possível que ele seja baseado no processador Snapdragon 450, lançado em 2017. Ele possui oito núcleos Cortex-A53 de 1,8 GHz e chip gráfico Adreno 506 (o mesmo do Snapdragon 625). Há suporte a câmera dupla — presente no protótipo da Qualcomm — e a carregamento Quick Charge 3.0.

A ideia da Qualcomm é fabricar o QSiP no Brasil. Ela pretende inaugurar uma fábrica de semicondutores na região de Campinas (SP) em 2020. Até lá, os componentes serão importados, segundo o Mobile Time. Eles estão atualmente sendo produzidos em parceria com a taiwanesa USI.

Vale notar que o QSiP não é um sistema-em-um-chip, no qual os componentes — processador, chip gráfico, modem etc. — são fundidos em uma pastilha de silício. Em vez disso, a solução da Qualcomm é composta por vários chips: eles ficam soldados em uma placa de circuito que, por sua vez, é encapsulada por uma capa de metal. A peça é então montada na placa-mãe do celular.

Com informações: Ztop.

Mais sobre: , ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sugga-Ponc
Pena profunda das pobres almas que comprarem um Asus, parcelando em 12x uma das piores tecnologias do mundo.
Sugga-Ponc
Exatamente, afinal falamos de Asus.
Sugga-Ponc
Claramente como é ASUS será um problema gigantesco
Sugga-Ponc
óbvio sinal de alerta que terá problemas para caralho, assim como na fase Intel experimental.
Celso
Baseado no Snapdragon 450, componente que barateia os custos de produção...Só falta ser um novo Zenfone Live, com Android Go...
Jean Veiga Rodrigues
acredito que quando ele falou minoria se referia ao tanto de pessoa que procura esse tipo de conserto e não quem o faz
Leonardo
Depois de possuir um Asus Zenfone 2 com um processador Intel concordo plenamente com as hashtags.... #asusnuncamais
Maxnoob
Sinal que ainda dá pra ganhar uma grana com isso
X-Tudãoᴳᴼᵀ
Um belo trampo, mas é minoria que faz isso.
Maxnoob
http://instagram.com/manoraay veja aí
Anderson Morais
Mas convenhamos, produto para pais de terceiro mundo, desempenho pífio baseado no 450 e provavelmente será vendido como inovação e preço ruim.
Ed
#asusnuncamais #asusnevermore
Hemerson Silva
é interessante para mercados emergentes e aparelhos de baixo custo, que é o grande volume de vendas por aqui, por exemplo (lembrem-se: alta tecnologia só mesmo para quem vive na bolha tecnológica).
X-Tudãoᴳᴼᵀ
Como se alguém consertasse componentes da placa.
Diego Oliveira
trabalho na área e posso dizer uma coisa, não vai mudar nada, pois são poucos os profissionais que reparam a própria placa, a maioria somente troca ela completa por uma nova, com a tecnologia apresentada nada muda no exemplo que citei
Franco Luiz
Só em a asus abandonar o mediatek de vez ja é um bom sinal, sobre o produto exclusivo pro brasil ..... com certeza sera baixo ou medio custo
Jean Veiga Rodrigues
falam isso como se as pessoas realmente consertassem processador, memoria ram e outros componentes desse tipo rs hoje em dia só consertam se for tela ou bateria e olhe lá
Jefferson Rodrigues
Ou mais caro para consetá-lo?
Felipe Teodoro
Mas sempre foi assim, sempre que dá zica na placa vc troca ela toda.
Felipe Teodoro
Tá, agora a pergunta, isso poderia deixar o aparelho mais barato?
Jairo ☠️
Interessante , agora teremos celular 100% descartável caso de alguma zica na placa.
Benício Pereira
Excelente para as linhas de produção. Agora é ver como se sai a qualidade na hora do mercado.