Início » Negócios » Apple “não quer ser empresa elitista”, diz diretor de operações

Apple “não quer ser empresa elitista”, diz diretor de operações

Jeff Williams, diretor de operações da Apple, fala sobre os preços altos dos produtos e sobre os tempos de Steve Jobs

Por
25 semanas atrás

Jeff Williams, diretor de operações da Apple, deu uma palestra para alunos da Elon University (EUA) sobre sua carreira na área de tecnologia. Ele falou sobre os tempos de Steve Jobs, sobre os custos de pesquisa e desenvolvimento, e sobre os preços altos de seus produtos. Ele diz que a empresa não quer ser “elitista”, e sim “igualitária”.

iPhone XS Max

iPhone XS Max

Durante a palestra na última sexta-feira (22), um dos alunos perguntou sobre os custos altos dos produtos da Apple. Segundo o jornal The Times-NewsWilliams respondeu: “estamos muito cientes disso, não queremos ser uma empresa elitista. Queremos ser uma empresa igualitária e temos bastante trabalho acontecendo nos mercados em desenvolvimento”.

De fato, o CEO Tim Cook prometeu baratear o iPhone fora dos EUA, mas só depois que as vendas não atingiram a meta e o faturamento da empresa caiu. “Decidimos voltar a ser mais condizentes com nossos preços locais praticados há um ano, na esperança de ajudar as vendas nessas áreas”, ele disse.

A Apple cortou o preço do iPhone em US$ 50 através de suas revendedoras na China; as vendas quase dobraram no país, mas o efeito foi temporário.

O aluno perguntou para Williams se a Apple tinha planos de reduzir seus preços, citando um relatório de que o iPhone X custa US$ 370 para ser fabricado; ele foi lançado por US$ 999. Trata-se de uma estimativa da consultoria IHS Markit para o valor das peças, que não leva em conta os gastos com P&D (pesquisa e desenvolvimento), software, salários, publicidade ou impostos.

Williams, então, destacou o papel da P&D no custo: ao desenvolver o Apple Watch, a empresa construiu um laboratório de fisiologia, contratou 40 enfermeiros e recrutou 10 mil participantes para descobrir a melhor forma de medir as calorias queimadas durante exercícios.

Jeff Williams, COO da Apple

Williams trabalha na Apple desde 1998

Para Williams, a Apple tem um desafio enorme porque cresceu bastante, mas precisa manter seu nível alto de sucesso. Ele disse que acorda todas as manhãs “pressupondo que basta apenas um golpe para nos colocar na irrelevância”.

O executivo explicou que, no Vale do Silício, “muitas pessoas bem-sucedidas começam a acreditar em uma narrativa sobre coisas que elas normalmente não aceitariam; eu chamo de ‘respirar do seu próprio escape’ e não tenho muita tolerância para isso”.

Williams trabalhou na IBM entre 1985 e 1998. Ele cogitou ir para a Dell, mas seu ex-colega de trabalho Tim Cook pediu que ele entrasse na Apple. Na época, a empresa estava quase falida, e seu cofundador Steve Jobs tinha o plano de transformá-la na “Sony da indústria de computadores”, com dispositivos elegantes e voltados para consumidores (não empresas).

“Eu pensei: ‘esta é uma das estratégias mais idiotas que já ouvi’, e essa é uma das razões pelas quais eu achava que [a Apple] iria falir”, disse Williams. “Dá para dizer que [Jobs] talvez estivesse certo.” O executivo lidera o desenvolvimento do Apple Watch desde 2013.

Com informações: The Times-News, MacMagazine.

Mais sobre: