Início » Brasil » Novo presidente dos Correios não confirma privatização da estatal

Novo presidente dos Correios não confirma privatização da estatal

Floriano Peixoto Neto assumiu presidência dos Correios; general diz que venda da ECT ainda não é o foco

Felipe Ventura Por

O general Floriano Peixoto Neto assumiu nesta segunda-feira (24) a presidência dos Correios: ele substitui o general Juarez Aparecido Cunha, demitido por Jair Bolsonaro após criticar a privatização da estatal. No entanto, o novo presidente diz que a venda da ECT (Empresa de Correios e Telégrafos) ainda não é o foco; isso também precisará ser aprovado pelo Congresso.

General Floriano Peixoto Neto

General Floriano Peixoto Neto, novo presidente dos Correios

“Não estamos ainda falando em nada de privatização, nada. A minha intenção é ir para lá trabalhar para fortalecer, para fazer a empresa crescer, ficar mais gigante ainda do que ela é”, disse Peixoto, segundo o TeleSíntese.

O novo presidente da ECT complementa: “uma coisa de cada vez, vamos trabalhar para a empresa crescer, é isso que todos nós queremos; o Correio é do Brasil, é uma empresa nossa, e que nós temos muito orgulho”.

Bolsonaro substituiu o presidente dos Correios por criticar a privatização em uma audiência na Câmara. Cunha disse que os brasileiros vão pagar a conta, por acreditar que somente a parte lucrativa da ECT iria para a iniciativa privada. O serviço de encomendas seria vendido, enquanto o Estado iria arcar com a entrega de cartas e correspondências.

Privatização dos Correios deverá passar pelo Congresso

A privatização de estatais controladas pela União — incluindo os Correios — precisa ser antes analisada e aprovada pela Câmara e pelo Senado; essa decisão foi tomada pela maioria dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) no início do mês. Alguns deputados fazem oposição à venda da ECT.

O governo federal tem atualmente 134 estatais, incluindo 46 empresas de controle direto e 88 subsidiárias. A maioria delas está no programa de desestatização e desinvestimento realizado pelo Ministério da Economia. Em 2017 e 2018, vinte estatais foram privatizadas ou liquidadas, a maioria delas subsidiárias da Eletrobras e Petrobras.

A Secretaria Especial de Desestatização e Desinvestimento criou uma apresentação para justificar a privatização dos Correios. Uma cópia foi obtida pelo site O Antagonista: ela menciona os rombos no fundo de pensão Postalis e no plano de saúde dos servidores, além do histórico de interferência política e casos de corrupção.

Correios e privatização

Com informações: TeleSíntese.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ

Só quem teimou foi vc e o Qohen. O cara praticamente precisou desenhar. Mas tá bom, eu quem não perco meu tempo como ele.

danielnbl

Ele não tinha argumento desde o primeiro comentário.. Mas continuou a teimar.

João

Reclame com o congresso. No brasil presidente é só simbólico.

ochateador

Em minha casa o Correios nunca deu problemas nos últimos 20 anos (quando a casa foi construída).
Já as outras transportadoras, é 1 acerto para 1 problema (fora o preço).

Moro no interior de SP em zona rural.

Daniel R. Pinheiro

Entre "os centros urbanos funcionando à mil maravilhas, enquanto os subúrbios sofrendo com falta de infraestrutura", e "todo mundo sofrendo com falta de infraestrutura", a primeira opção é mais logica. E então, a mudança dos leitores aconteceu, ao passo que os Correios só pioraram, ou os leitores são "masoquistas", ou não sei o que...

E detalhe: quando se fala em "vender a preço de banana", parece algo negativo, quando não é. Vale foi "vendida a preço de banana", e hoje é uma das maiores empresas do ramo do mundo. Patamar que eu duvido que tenha alcançado se tivesse continuado nas mãos do governo, utilizando-a como pano para a corrupção, tal como aconteceu com a Petrobrás.

Entenda: é o nosso dinheiro que tá lá. Os prejuízos para a população, direta e/ou indiretamente, se fôssemos calcular tudo, são muito maiores quando uma empresa está nas mãos do governo que quando ela é privada.

Antony

Meu comentário é justamente sobre essa mudança nos leitores do tecnoblog. E o seu texto tem muitos "Para mim", "onde eu moro", etc. É importante pensarmos no todo nesse tipo de decisão, não adianta os centros urbanos funcionando tudo à mil maravilhas enquanto os subúrbios sofrem com falta de infraestrutura.
Entendo a necessidade de mudanças na forma como os correios funcionam, porém é muito mais fácil consertar os erros do que vender a preço de banana.

José Vieira

desabilita o javascript, rs...

Daniel R. Pinheiro

Ah, meu amigo, meia dúzia de pessoas? Oras, quando viajo ao interior do estado, meu celular fica fora de área várias vezes, justamente próximo a comunidades bastante pequenas ou recentes. Como levar infraestrutura de qualidade pra esses locais? Onde não tem TIM, tem Claro, onde não tem Claro tem Oi, onde não tem Oi, tem Vivo, e por aí vai... Não acho lugares bastante populosos sem área nenhuma. E por falar em qualidade, bom, já não tinha quando era estatal. E sinceramente? Embora eu tenha tacado o pau várias vezes nas operadoras, onde eu moro não tenho do que reclamar dos serviços, pelo menos não das operadoras que uso.

E sobre o Correios já ter sido a melhor do ramo: não estamos mais em 2008. O assunto da privatização é justamente no período em que ela tem mais reclamação: atualmemte.

Interessante é que todo mundo falava mal dos correios nas matérias aqui do Tecnoblog, mas atualmente não vejo nenhum. Interessante mesmo...

Caleb Enyawbruce

Porque diabos não escolheram uma pessoa que entende a óbvia necessidade de privatização e a colocaram para trabalhar foçada nisso??? Não faz o menor sentido...

Antony

Sim, sofrem. Ainda hoje tem vários locais, mesmo aqui na Grande Florianópolis, onde algumas operadoras de telefonia não funcionam, por exemplo. O serviço é péssimo no Brasil todo e campeão de reclamações, você realmente acredita que a privatização da telefonia é um case de sucesso?

Quanto ao péssimo serviço dos correios, não sei se tem idade pra lembrar, mas até algum tempo atrás o serviço dos correios brasileiro era tido um dos melhores do mundo. Acontece que pra privatizar, precisa sucatear antes.
[2008

Antony

Essa matéria, de 2016, está disponível somente para assinantes, então deixa quieto (e não vou me dar ao trabalho de passar essa paywall pra entrar em discussão)

ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ

Ele listou cinco argumentos, tu é cego? Os adjetivos foram de brinde por você não saber argumentar. Espantalhos everywhere...

Qohen Leth

huahauahu Não tem argumento logo partiu para o ad hominem. ;)

José Vieira

Conte mais sobre isso: https://www.jota.info/paywa...

"Véi", na boa... Informe-se antes, mas informe-se bem. rs

Daniel R. Pinheiro

Aposto como o número de pessoas que são prejudicadas pelo serviço péssimo dos correios é muito maior que os das pessoas que vivem na loca do final da rua do seu Chico.

Me pergunto se essas pessoas hoje sofrem com falta de serviço com a privatização de empresas de telefonia e energia...

Mas com os Correios é o fim do mundo neh?

Exibir mais comentários