Início » Negócios » Google Pay aceita pagamentos com cartões Elo do Bradesco e Banco do Brasil

Google Pay aceita pagamentos com cartões Elo do Bradesco e Banco do Brasil

Cartões de débito e crédito da bandeira Elo podem ser usados no Google Pay e Apple Pay para pagamento via celular com NFC

Felipe Ventura Por
16 semanas atrás

O Google Pay agora aceita cartões de débito e crédito da bandeira Elo emitidos pelo Bradesco e Banco do Brasil: é possível cadastrá-los no aplicativo para Android e, através de um celular com NFC, fazer pagamentos por aproximação em lojas físicas. Os cartões Elo também podem ser usados no Apple Pay, mas não são suportados pelo Samsung Pay.

Google Pay

Em comunicado, a Elo explica que o Google Pay aceita seus cartões de crédito e de débito. Para fazer o cadastro, é necessário abrir o aplicativo — ou instalá-lo a partir da Play Store — e inserir os dados solicitados, como o número do cartão e de seu celular. Depois, você terá que confirmar sua identidade. Feito isso, será possível usar o celular para pagamentos contactless.

Então, em vez de tirar o cartão do bolso, você poderá apenas desbloquear o smartphone e o aproximar da maquininha de pagamento. Se a transação for de até R$ 50, não será necessário inserir a senha, agilizando o processo.

Você também pode usar o Google Pay com cartões do Itaú, Caixa, Next, Banrisul, Brasil Pré-Pagos e outros; confira aqui a lista completa. Ele é compatível com celulares rodando Android 5.0 Lollipop ou superior que tenham NFC. Há algumas restrições: por exemplo, o dispositivo não pode ter acesso root nem ROM modificada.

Apple Pay aceita cartões Elo no iPhone e Watch

Desde maio, o Apple Pay aceita cartões Elo emitidos pelo Bradesco e Banco do Brasil, tanto de crédito como débito, permitindo realizar pagamentos via iPhone e Apple Watch. Por sua vez, o Samsung Pay oferece suporte apenas a cartões das bandeiras Visa e Mastercard.

Google Pay, Apple Pay e Samsung Pay usam algo chamado de tokenização. O celular não envia os dados do seu cartão para a maquininha porque isso seria inseguro. Em vez disso, ele transmite uma espécie de cartão virtual que é validado para autorizar o pagamento.

E se o celular for roubado? Ele precisa estar desbloqueado para fazer pagamentos, e só conseguirá fazer transações de até R$ 50 sem a senha do cartão. Além disso, Google, Apple e Samsung oferecem formas de bloquear o smartphone remotamente.

Mais sobre: , ,