Início » Negócios » Uber orientou funcionários a não relatarem crimes às autoridades

Uber orientou funcionários a não relatarem crimes às autoridades

Segundo funcionários, ordem é agir primeiro de acordo com os interesses da empresa

Victor Hugo Silva Por

A Uber tem criado alguns recursos de segurança para seu aplicativo, sendo o RideCheck o mais recente deles. Internamente, porém, a empresa orienta seus funcionários a não relatarem para as autoridades os possíveis crimes que tenham ocorrido nas viagens.

Aplicativo Uber

Segundo o Washington Post, que ouviu cerca de 20 funcionários e ex-funcionários da Uber, a ordem é agir primeiro de acordo com o interesse da empresa e depois pela segurança de quem fez a denúncia, seja passageiro ou motorista.

A determinação vale especialmente para a Unidade de Investigações Especiais (SIU, na sigla em inglês). Os integrantes do setor, que tem cerca de 80 funcionários, apuram incidentes nas viagens. E, mesmo quando notam algo de errado, são proibidos de encaminhar acusações à polícia ou de recomendar que as vítimas assim o façam.

As pessoas ouvidas pelo Washington Post afirmam que, se agirem desta forma, podem ser repreendidas ou até demitidas da empresa. A única exceção, segundo elas, é para as situações em que passageiros ou motoristas estão em perigo imediato, como um carro pegando fogo.

Além da polícia, os funcionários afirmam que a Uber não envia informações sobre incidentes para serviços concorrentes ou empresas de verificação de antecedentes. A medida, que ajudaria a evitar a repetição de incidentes, não é adotada nem mesmo em situações graves.

Para piorar, o sistema de três strikes, que bane usuários após três denúncias, nem sempre é respeitado. Um dos relatos aponta que a empresa fez uma exceção para um motorista usar o serviço mesmo depois de ser três vezes acusado de ter cometido assédio sexual. Ele só foi banido após ser acusado de estupro.

Uma ex-funcionária da Unidade de Investigações Especiais afirma que, em seu tempo na Uber, cerca de um terço dos casos eram relacionados a má conduta sexual, incluindo estupro e aproximações indesejadas. Muitas delas não eram investigadas pela empresa.

“No final das contas, não somos o juiz e o júri para determinar se um crime ocorreu”, afirmou a chefe global de segurança das mulheres na Uber, Tracey Breeden, ao Washington Post. “Estamos aqui para coletar informações, tomar uma decisão de negócios. Não somos agentes da lei”.

A Uber afirma que não compartilha as informações com terceiros porque tem uma política centrada na vítima. “Um sobrevivente deve ser capaz de possui sua história, deve poder escolher se fornece essas informações à polícia”, continuou.

Ainda ao jornal, a empresa afirmou que muitas das políticas descritas pelos funcionários estão desatualizadas. A companhia também lembrou que a grande maioria de suas 16 milhões de viagens diárias termina sem incidentes.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe Liʍa

Teve um caso na cidade de Osasco que um motorista Uber pm matou um assaltante no carro dele!

johndoe1981

Aqui no Brasil é utopia mesmo. Pior que pagamos altos impostos por essa utopia...

João Bortotti
Nessa semana reportei pro Uber um carro com a placa diferente do informado no app. Não me responderam até hoje se era erro de cadastro ou se era fraude, ou seja, até onde (não) sei, podem tb estar até agora sentados sem fazer nada. Enquanto não forem boicotados pelos passageiros, vão continuar optando por trocar nossa segurança por lucro.
João Bortotti

Nessa semana reportei pro Uber um carro com a placa diferente do informado no app. Não me responderam até hoje se era erro de cadastro ou se era fraude, ou seja, até onde (não) sei, podem tb estar até agora sentados sem fazer nada.
Enquanto não forem boicotados pelos passageiros, vão continuar optando por trocar nossa segurança por lucro.

Marcos oliveira

Coloquem no YouTube o título " Uberizacao "
Assista este vídeo de 7 minutos

R. Mar -SP

⚀ Afinal, o Estado já foi eficiente em algum momento de sua existência? Ou sempre doutrinou e alienou o povo pra crer nessa utopia de Estado protetor?

R. Mar -SP

⚀ Há policiais e ex polihiais que atuam vomo motorista ora uber, eles têm o direito de portarem arma, até após aposentadoria, que no caso de policiais, devido a periculosidade, se aposentam bem cedo, slguns aos 45 anos.

Douglas B

Motorista corre muito mais perigo que passageiro.

Flavio Dias

Amigos
Só no trimestre de 2019 a uber teve quase 6 bilhões de dólares de prejuízo ,

A uber foi abafando os casos, com muita grana.
Pesquisa uma matéria feita pela rede Record e ministério público, à cada 48 horas tem um passageiro fazendo boletim de ocorrência contra a uber ( só no Brasil)
Está matéria foi de novembro de 2018

Luiz Guilherme Facciolla
Resumindo, Vms manipular os dados e estatísticas, enganar os otários e assim transformamos a Uber na empresa totalmente 100% "Segura" de se Viajar.
Luiz Guilherme Facciolla

Resumindo, Vms manipular os dados e estatísticas, enganar os otários e assim transformamos a Uber na empresa totalmente 100% "Segura" de se Viajar.

Theo Queiroz

Massa, champs! Só esqueceu que a matéria fala da Uber dos EUA 👍

johndoe1981

Considerando a violência aqui em Fortaleza, daqui a pouco motoristas de aplicativo vão ter que andar mesmo armados, pois o desgoverno do estado é incapaz de garantir a segurança da população.

Wesley

Ou seja, todo esse papinho de segurança nas viagens de Uber não passa de balela. Eu mesmo já peguei viagem que o próprio motorista admitiu estar armado, e essa talvez tenha sido a única viagem que de fato eu estava seguro kkkkkkkk.

elliot filho de alder 🎃

ja que os motoristas nao sao funcionarios, entao podem relatar tudo, nao?

Exibir mais comentários