Início » Telecomunicações » Google vai expandir cabo submarino exclusivo de 72 Tb/s nas Américas

Google vai expandir cabo submarino exclusivo de 72 Tb/s nas Américas

Google usará cabo submarino Curie para fornecer serviços como Gmail, YouTube e Cloud na América do Sul

Felipe Ventura Por

O Google revelou mais detalhes sobre o cabo submarino Curie que conecta os Estados Unidos ao Chile para fornecer serviços como Gmail, YouTube e Cloud na América do Sul. Além disso, a empresa anunciou que está preparando uma ramificação até o Panamá, a fim de melhorar sua conectividade na América Central.

Cabo submarino Curie do Google

A instalação do Curie foi finalizada pela SubCom em abril. Desde então, foram concluídos os testes necessários, mas o Google só planeja integrá-lo à sua infraestrutura no segundo trimestre de 2020, quando ele passará a transmitir dados exclusivamente para os serviços da empresa, incluindo Gmail, Busca, YouTube e Google Cloud.

Com 10.500 km, o Curie é o primeiro cabo submarino a se conectar ao Chile em 19 anos, indo da região de Valparaíso até Los Angeles, Califórnia. Ele tem largura de banda de 72 Tb/s, composta por quatro pares de fibra ótica de 18 Tb/s.

O Curie vai ganhar uma ramificação até Balboa, no Panamá. A ideia é “aumentar a conectividade e a largura de banda para a América Central”, segundo o Google. Este cabo também será instalado pela SubCom, mas não foi divulgado um prazo para isso acontecer.

Cabo submarino Curie do Google

Google tem três cabos submarinos exclusivos

O Google tem outros dois cabos submarinos exclusivos: o Dunant, que ligará os EUA e a França em 2020; e o Equiano, para conectar Portugal, Nigéria e África do Sul até 2021. A empresa diz que, com isso, pode “adicionar uma camada de segurança além do que está disponível na internet pública, e planejar com eficiência as necessidades futuras de capacidade de nossos clientes e usuários em todo o mundo”.

Cabos submarinos podem transmitir dados até 8 vezes mais rápido que satélites, por isso têm a preferência da maioria das empresas. Na verdade, 99% do tráfego internacional de telecomunicações é transportado por cabos submarinos; isso inclui dados de internet, ligações e mensagens de texto. Por isso o Google diz que “a [computação na] nuvem não está nos céus, está no oceano”.

Cabo submarino do Google

Com informações: Google.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno Silveira

sim. a maioria dos provedores brasileiros, mesmo os regionais ja possuem CDN do google dentro de sua infra-estrutura.

Miguel Martins

oxe. kkkk

Fernando Silva

Pra que cabo se existe tantos satélites. Kkkkk
Ou será que não existem os satélites que tanto divulgam nas mídias, que crescemos vendo na TV em jornais, filmes, revistas e na internet. "Pseudo satelites" e nossa "pseudo ciência" só lamento!

Não é papo não, está. Conheço alguns casos no ABC paulista.

Abraão Caldas

Uma hora o cache vai ter que ser sincronizado.

Wellington Gabriel de Borba

Não tinha um papo que o Google estava instalando CDNs nos backhall dos provedores nos países para diminuir o tráfego internacional? Não seria mais barato?