Início » Celular » Huawei P40 Pro+ é lançado fora da China sem apps do Google

Huawei P40 Pro+ é lançado fora da China sem apps do Google

Huawei P40 Pro+ chama atenção pelo conjunto traseiro de câmeras, mas segue sem acesso à Google Play Store

Emerson Alecrim Por

Os smartphones Huawei P40, P40 Pro e P40 Pro+ foram anunciados em março, mas apenas os dois primeiros estavam sendo vendidos fora da China. Em breve, vai ser diferente: o Huawei P40 Pro+ está prestes a ser lançado em outros mercados, embora sem a Google Play Store.

Huawei P40 Pro+

Equipado com tela OLED de 6,58 polegadas, chip Huawei Kirin 990 5G, 8 GB de RAM e 512 GB para armazenamento de dados, o Huawei P40 Pro+ é um topo de linha de respeito. Mas isso se considerarmos o conjunto de hardware. No software, a ausência do ecossistema do Google pode deixar os usuários frustrados.

Essa ausência é fruto das sanções que o governo dos Estados Unidos direciona à Huawei, como você deve saber. Para piorar, as restrições foram renovadas neste ano. Por conta delas, o Google não pode licenciar softwares ou serviços para a companhia.

Na China, a falta da Play Store não é problema, afinal, esse mercado é muito diferente do ocidental: os chineses usam uma série de aplicativos e serviços que não dependem ou não têm ligação com o ecossistema do Google.

Huawei P40 Pro+

Não dá para dizer o mesmo de outros países. A Huawei sabe disso, mas arrisca. Sem os serviços e aplicativos do Google, a companhia tenta emplacar a sua própria loja de apps e ferramentas de terceiros.

Essa troca não tem agradado muito, mas talvez o Huawei P40 Pro+ consiga atrair compradores por conta do seu conjunto de câmeras. A principal, com 50 megapixels e lente de abertura f/1,9, promete capturar até 40% mais luz que a média. Ela é acompanhada de uma câmera de 40 megapixels (f/1,8) com maior campo de visão e foco em gravação de vídeos.

Huawei P40 Pro+

Complementam o conjunto uma câmera com zoom óptico de 3x e outra com 10x graças a um mecanismo periscópio. O P40 Pro+ traz ainda um sensor de tempo de voo (ToF) para efeitos de profundidade.

Na Europa, o Huawei P40 Pro+ está disponível em pré-venda com preço sugerido de € 1.399. Ainda não há informação sobre lançamento oficial no Brasil.

Com informações: Android Police.

Huawei P40 Pro+ — ficha técnica

  • Tela: OLED de 6,58 polegadas com resolução de 2640×1200 pixels e taxa de atualização de 90 Hz
  • Processador: Huawei Kirin 990 5G octa-core de até 2,86 GHz com GPU Mali G76
  • RAM: 8 GB
  • Armazenamento: 512 GB com expansão via nanoSD (proprietário)
  • Bateria: 4.200 mAh com carregamento SuperCharge de 40 watts
  • Câmera frontal: 32 megapixels (f/2,2)
  • Câmeras traseiras:
    • Principal: 50 megapixels (f/1,9) com estabilização óptica de imagem
    • Ultrawide: 40 megapixels (f/1,8)
    • Telefoto 1: 8 megapixels (f/2,4) com estabilização óptica de imagem e zoom óptico de 3x
    • Telefoto 2: 8 megapixels (f/4,4) com estabilização óptica de imagem e zoom óptico de 10x
    • Sensor de tempo de voo (ToF)
  • Conectividade: 4G, 5G, Wi-Fi 6 (802.11ax)
  • Peso: 226 gramas

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@LeandroCSC

Bela máquina. Mas é isso. Não há mais muito o que discorrer sobre o que significa um aparelho vir sem o ecossistema do Google. É muita incoveniência por algo que não sairia barato pra quem ousa importar.

Em tempo: quando a China vai começar a colocar em prática um revide à altura? Apple?

Estou vendo realmente que cão que ladra muito ( governo chinês) não morde.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Faria sentido criar uma brica se o mercado interno sofresse com a falta desses apps, mas não é o caso, e pra exportar eles continuam fabricando os componentes para a maioria das outras marcas, perde na venda do produto final mas compensa na venda de componentes.

@LeandroCSC

Verdade ,@Felipe_Silva . A pujância do mercado interno chinês compensa esses contratempos,digamos assim. Mas os embargos não mudam o fato de representarem um claro ataque ( e que causam danos querendo ou não) à imagem de uma grande potência. Obviamente que não estamos falando de 2 inocentes do capitalismo mundial. Mas assim como prefiro sempre olhar os chineses com ressalvas, tbm não me agrada ,em pleno século XXI ,os EUA achando que seus atos unilaterais devem ser ignorados e impassíveis de consequências,como se ainda fossem a polícia do mundo e detentores da palavra final. Sem falar na hipocrisia. Sou à favor de uma retaliação chinesa,sim. Mesmo que isso resvale aqui no Brasil.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

A retaliação vira o dia que os embargos custarem mais para China do que a retaliação vai custar, estão deixando os EUA brincarem de valentão porque o prejuízo não é grande.
Imagino que a saída do Trump na próxima eleição vai resolver essa briguinha de ego, e talvez seja o que a China esteja esperando também.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

A China a muito tempo tem sérios embargos a empresas americanas e de outros países.

O que o Tramp quer é pressionar a China a assinar um acordo que seja benéfico para a balança comercial. A huawei foi o novelo de lã, nessa briga de gato e rato.

Com esse cenário político atual, de ânimos exaltados, o tramp pode cair. Mas a julgar pela recuperação de mais de 2 milhões de postos de trabalho, em plena crise, o jogo não está ganho. Não fosse a pandemia, os US estavam indo muito bem.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

A pandemia eu acredito que o Trump tivesse alguma chance de superar, já os protestos atuais pelas questões raciais me parecem ter um impacto mais direto na politica dele.