Início » Negócios » Wemobi é a reação da Catarinense e 1001 contra a Buser

Wemobi é a reação da Catarinense e 1001 contra a Buser

Grupo JCA (Cometa, Catarinense e 1001) anuncia plataforma online wemobi para viagens de ônibus mais baratas

Emerson Alecrim Por

Promovendo um modelo de negócio que ficou conhecido como “Uber dos ônibus”, a Buser balançou o setor de transporte rodoviário de passageiros no Brasil. Prova disso é que empresas tradicionais do ramo estão reagindo. O exemplo mais recente é a wemobi, plataforma online do Grupo JCA que vem para enfrentar a Buser em trechos como Rio de Janeiro x São Paulo.

Ônibus wemobi

O Grupo JCA controla diversas empresas do setor de ônibus rodoviário do Brasil, com destaque para a Cometa, a 1001 e a Catarinense. Juntas, essas companhias atendem a mais de 400 cidades dos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

As rotas atendidas pelo Grupo JCA estão entres as mais rentáveis do Brasil. A companhia atua, por exemplo, nos trechos Curitiba x São Paulo (Cometa), Rio de Janeiro x São Paulo (1001) e Curitiba x Porto Alegre (Catarinense).

Boa parte das linhas operadas pelo grupo passou a sofrer concorrência de plataformas como Buser e 4Bus. Ambas operam um tipo de serviço que monta grupos de viagens a partir de seus aplicativos ou sites oficiais e contrata empresas de fretamento de ônibus para cumprir as rotas quando um número mínimo de passageiros é alcançado.

Site wemobi

Para o usuário, o principal atrativo desses serviços é o preço: o valor cobrado por viagem nas plataformas Buser e 4Bus é até 60% mais barato do que o de passagens ofertadas por empresas que atuam nos mesmos trechos com linhas regulares.

Associações de empresas de ônibus, como a Abrati, que reúne as maiores companhias do setor, tentam impedir judicialmente a atuação dessas plataformas, mas, até o momento, não tiveram êxito com essas ações.

Para não perder ainda mais mercado, as operadoras regulares tentam se adaptar à nova realidade. Embora nenhuma das partes admita oficialmente, a wemobi faz parte desses esforços. Por meio de seu site, a plataforma promete oferecer viagens de ônibus em rotas operadas pelo Grupo JCA com passagens mais baratas que as cobradas pelos serviços regulares, mas sem abrir mão do conforto.

De acordo com o grupo, as viagens da wemobi serão realizadas por ônibus de dois andares com ar condicionado, banheiro, Wi-Fi, tomadas USB e poltronas espaçosas. As imagens de divulgação indicam que esses veículos pertencem à frota da Catarinense.

wemobi - operado pela Catarinense

Por causa da pandemia de COVID-19, os ônibus também contam com dispensador para álcool gel, higienização reforçada com produtos recomendados pela Anvisa e desinfecção do ar condicionado com ozônio.

Inicialmente, a wemobi irá ligar as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro (e vice-versa) com preços a partir de R$ 19,90. As operações terão início nesta quarta-feira (29). Outros destinos deverão ser incorporados à plataforma em breve.

Vale destacar que a wemobi não é a única iniciativa do tipo. O Grupo Águia Branca criou uma plataforma parecida batizada de Aguia Flex. Por lá, o usuário consegue realizar viagens em trechos como Rio de Janeiro x São Paulo e Rio de Janeiro x Vitória com preços a partir de R$ 29,90.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lugi lanzii (@Lugi_lanzii)

Espero que prospere, quanto mais concorrente melhor, enquanto isso empresas de linha entram na justiça contra novos concorrentes.

Matt (@hadtohear)

Usei a Buser e a economia vale a pena. O único porém é não ter a comodidade e segurança de uma rodoviária, mas o ônibus/motorista não deve nada para as outras empresas.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Na realidade elas estão atacando nas duas frentes, judicial e montando sistemas iguais, isso é uma jogada muito inteligente, pois independente do resultado judicial saem ganhando.

Raul H. (@raulxgang)

Aposto que a estratégia é montar um serviço pouco mais barato para quebrar a buser e, em seguida, desfazê-lo

Eu (@Keaton)

Viu como dava pra baixar os preços? hahaha

Eu (@Keaton)

Isso deve ser ilegal de alguma forma. hahaha

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Ah como é bom ver isso acontecer. É só a concorrência aumentar que os “donos do pedaço” começam a se mexer

Paulo Maciel (@pymaciel)

É isso que os consumidores querem. Concorrência e serviços a altura.