Início » Aplicativos e Software » Disney+ pode vender Mulan por R$ 112,90 exigindo assinatura

Disney+ pode vender Mulan por R$ 112,90 exigindo assinatura

Disney+ interrompe acesso a Mulan se usuário cancelar assinatura; serviço deve custar R$ 28,99 por mês quando chegar ao Brasil

Felipe Ventura Por

O Disney+ vai vender acesso ao novo filme Mulan nos EUA por US$ 30; no Brasil, o valor também deve ser bem salgado. E, como explica a Disney, será necessário permanecer como assinante para assistir à adaptação em live-action do desenho animado de 1998. O serviço de streaming será lançado no Brasil em novembro.

Mulan no Disney+

O jornalista cultural Léo Francisco, que comanda a conta não-oficial @disneybrasil no Twitter, publicou imagens da página de Mulan no Disney+. No Brasil, o aplicativo para iPhone e para TV avisa que o filme custará R$ 112,90 (cerca de US$ 20 na conversão atual). É caro: geralmente, lançamentos de cinema saem por até R$ 49,90 em lojas como o iTunes da Apple e o Google Play Filmes.

O caso de Mulan é peculiar, porque o filme não estreou nos cinemas brasileiros: ele estava previsto para março, mas foi adiado para julho devido à pandemia da COVID-19, causada pelo novo coronavírus. Agora, a Disney não tem uma data específica para levá-lo à tela grande no país.

Enquanto isso, a empresa aposta nas telas que temos em casa: ela anunciou que Mulan será lançado nos EUA em 4 de setembro, e vai exigir uma compra digital de US$ 29,99 dentro de uma nova área do Disney+ chamada Premier Access.

O problema é que você perderá acesso a Mulan se cancelar a assinatura. “O valor oferece acesso contínuo ao filme desde que você permaneça assinando o Disney+”, disse um porta-voz da empresa à CNN. O serviço deve custar R$ 28,99 por mês quando chegar ao Brasil; ele já conta com mais de 60 milhões de clientes.

Mulan no Disney+

Mulan custou US$ 200 milhões

Bob Chapek, CEO da Disney, explicou recentemente que Mulan terá um lançamento tradicional em países onde o Disney+ não estiver disponível, chegando a salas de cinema caso elas já tenham sido reabertas. A empresa está tentando reverter prejuízos: ela perdeu quase US$ 5 bilhões no segundo trimestre, por ter sido impactada fortemente pela pandemia.

A história de Mulan se passa na China imperial: a filha de um guerreiro se disfarça de homem para substituir o pai, que está doente, e defender o país dos invasores do Norte. O filme custou US$ 200 milhões para ser produzido, mais US$ 50 milhões em custos de marketing.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tech Nerd 🤓 (@technerd)

Provavelmente não verei Mulan, mas quanto custará lá no torresmo?

⠀ (@mdcosta)

A pior parte do Disney+ chegando no Brasil vai ser os filmes da Disney/Marvel saindo do catálogo do Amazon Prime Video. Poderia ter ficado por lá mesmo.

@ksio89

qBittorrent e Stremio mandam oi para a Disney.

Jacques (@fioda)

Pior que esse valor tá mais caro que alguns STEELBOOK no brasil, que geralmente vira entre 100 a 130 reais, é um produto de colecionador, muitas vezes com vários extras e brindes.

O Blu-ray normal pode achar por 50 a 60 reais, as vezes pouco mais dependendo do que vem, e os mais antigos na faixa de 30 reais ou até menos!

Mas enfim, 40 reais pela compra de uma cópia digital eu já acho caro, agora mais de 100 reais e ainda exigir assinatura é uma piada de mal gosto.

João Almeida (@Joao_Almeida)

Esse Disney+ vai flopar forte no Brasil kk na vdd ele nem é esses sucessos todos lá fora

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Conseguir 60 mi de assinantes em 8 meses, sem nem ter lançado o serviço em todos os países ainda, não é sucesso?

Mickey (@Mickey)

R$112,90 pra assistir Mulan? Beleza, champ.

Diego M. Viegas (@Diego_Viegas)

Como se a pirataria já não tivesse motivos de sobra para se fortalecer nesses ultimos anos. Já não bastava essa enxurrada de serviços de streaming de várias empresas, cada uma querendo a sua fatia do bolo, agora chega o Disney+ com essa cuspida na cara do consumidor.

Eu já estava com pouco interesse no serviço, agora que fiquei sabendo disso perdi o interesse completamente. O meu dinheiro eles não vão ver nem aqui e nem na China (desculpe o trocadilho).

Fernando Palho Ribeiro (@Fernandopalho)

Cara…se manter este valor de 112 pra eu não ir num cinema…acho ótimo…tá bom o valor
Pensa assim…quanto custa sair de casa, pagar estacionamento, valor do ingresso, um comes e bebes…se tiver em 2 já dá mais q isso
E ainda poderei ver ele vezes…e na hora q quiser…topzeira mesmo…

Eu (@Keaton)

anon31878329 (@anon31878329)

Eu normalmente não sou a favor de pirataria, mas se realmente a única forma de consumir for comprando o filme e ainda ter que assinar o serviço para assistir o que você já pagou, vou torcer para que o filme seja MUITO pirateado e obriga-los a rever essa prática.