Início » Celular » Motorola Moto G9 Plus: telona e experiência premium

Motorola Moto G9 Plus: telona e experiência premium

Tela gigante de 6,8 polegadas e bateria de 5.000 mAh são destaques no Moto G9 Plus, mas preço sugerido é alto

Emerson Alecrim Por
Nota Final 9

A família Moto G mudou muito nos últimos anos. Se o primeiro modelo da linha tinha o apelo do preço acessível, hoje o foco está na experiência premium — ou algo perto disso. Pelo menos essa é a impressão inicial que o Motorola Moto G9 Plus transmite.

Lançado em setembro de 2020 no Brasil, o modelo traz uma tela grandalhona de 6,8 polegadas, chip Snapdragon 730G, 4 GB de RAM, 128 GB de armazenamento e bateria de 5.000 mAh, além de quatro câmeras na traseira, a principal com 64 megapixels.

Será que, por esse conjunto, vale a pena pagar o preço sugerido de R$ 2.499? E a tela, é tudo isso mesmo? A bateria dura bastante? O Snapdragon 730G oferece bom desempenho? É o que você vai descobrir a partir de agora.

Análise do Motorola Moto G9 Plus em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente de tecnologia que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises de produtos são opinativas e não possuem nenhuma intenção publicitária. Por isso, sempre destacamos de forma transparente os pontos positivos e negativos de cada produto.

Nenhuma empresa, fabricante ou loja pagou ao Tecnoblog para produzir este conteúdo. Nossos reviews não são revisados nem aprovados por agentes externos. O Moto G9 Plus foi fornecido pela Motorola por empréstimo. O produto será devolvido à empresa após os testes.

Design, acabamento e áudio

Não é que a Motorola aprendeu a fazer celulares bonitos? O Moto G9 Plus é um bom exemplo, embora o design em si não traga nenhuma novidade: o modelo tem visual limpo e segue a tendência das câmeras traseiras posicionadas dentro do um bloquinho alinhado à esquerda.

Motorola Moto G9 Plus - traseira

O que atrai os olhares é o acabamento metálico azul (também há uma versão na cor “ouro rosê”). Sério, ao vivo, essa cor é lindona! Mas que fique claro que a tampa traseira é de plástico e pode ser riscada facilmente, por isso, o uso de capinha é obrigatório — o aparelho vem com uma de silicone na embalagem.

Na lateral direita, encontramos os controles de volume e, mais abaixo, o botão de liga / desliga integrado com o leitor de impressões digitais que, aliás, é bem rápido. E como o Moto G9 Plus é grande, fica mais fácil alcançar o sensor na posição em que ele está. Esse botão também tem um função que eu vou abordar no tópico sobre software.

Motorola Moto G9 Plus - leitor de digitais

No outro lado está a gaveta híbrida de chips (para dois SIM cards ou um SIM card mais um microSD) e, de brinde, o botão físico que ativa o Google Assistente. Infelizmente, não é possível configurar esse botão para outras funções.

Motorola Moto G9 Plus - gaveta

Por outro lado, a Motorola não repetiu o erro cometido com o One Fusion, que traz a saída de áudio na traseira. No Moto G9 Plus, o alto-falante está lá embaixo, como manda a tradição, ao lado da porta USB-C.

Motorola Moto G9 Plus - parte inferior

Só não espere uma grande experiência sonora. O volume é bom, mas o som distorce no máximo. Fones de ouvido serão seus amigos aqui. O smartphone tem uma conexão do tipo na parte superior e é acompanhado de fones intra-auriculares que garantem a diversão.

Motorola Moto G9 Plus

Tela

Com 6,8 polegadas de tamanho, a tela cumpre o papel de item que mais chama atenção no Moto G9 Plus. Trata-se de um painel LTPS com resolução full HD+, formato 20:9 e HDR10 que exibe cores fortes e tem brilho máximo alto.

Consequentemente, assistir a vídeos ou jogar são atividades muito agradáveis aqui. Dá para notar alguma perda de tonalidade na visualização sob ângulos variados, mas muito discreta na comparação com painéis LCD mais simples.

Motorola Moto G9 Plus - notch

O aproveitamento de espaço também é bom. Mérito, em parte, do notch circular posicionado à esquerda. Ok, as bordas ao redor da tela são um tanto generosas, mas, como o aparelho é enorme, isso acaba não sendo um grande problema.

Software

Das marcas atuantes no Brasil, a que oferece o melhor software atualmente em celulares Android é a Samsung, na minha opinião. Mas o software da Motorola não é de se jogar fora, não. O Moto G9 Plus vem com o Android 10 e uma interface bem organizada e com pouca perfumaria.

Não é nada que a gente já não conheça, mas isso não tira pontos. O bom e velho Moto Ações, por exemplo, está aqui. Esse atributo permite acionar determinadas funções com gestos. A minha preferida é a que ativa a lanterna quando o celular é agitado duas vezes seguidas.

Outro recurso já clássico, mas bem-vindo é o modo que substitui os botões de navegação do Android por uma barra movida por gestos. No começo, você se perde um pouco com ela, mas logo pega o jeito e percebe que esse recurso é bastante prático.

Motorola Moto G9 Plus - software

Existe ainda uma função extra chamada Tela Interativa que pode ser bem útil: ela exibe uma barra com seis aplicativos (escolhidos por você) na lateral direita quando você toca duas vezes no botão liga / desliga (tem que tocar, não pressionar).

Eu disse anteriormente que esse aparelho tem pouca perfumaria. Mas o pouco que tem incomoda um bocado. Estou falando do Hello You, um aplicativo que recomenda notícias, vídeos, jogos e podcasts. É legalzinho até. O problema é que o app exibe notificações demais e não pode ser removido, só desativado.

Câmeras

O Moto G9 Plus vem com quatro câmeras na traseira. De cima para baixo, a primeira é uma grande angular de 8 megapixels e 118 graus, a segunda é a principal de 64 megapixels e a terceira tem um sensor de profundidade de 2 megapixels. Por fim, a câmera isolada ali do lado tem função de macro e, novamente, sensor de 2 megapixels.

Motorola Moto G9 Plus - câmeras

Definitivamente, quantidade de câmeras — e de megapixels — não é sinônimo de qualidade. As câmeras do Moto G9 Plus não são ruins, mas não impressionam em nada.

A principal cumpre bem o seu papel. As cores são realistas, o nível de detalhamento é alto, as áreas de sombra não são exageradamente escuras e o ruído é bem controlado. Provavelmente, isso é efeito da técnica de quad pixel, que combina quatro pixels em um. Gostei dos resultados.

Da grande angular, gostei um pouco menos. Ela faz um trabalho digno e gera imagens um pouco mais quentes em relação à câmera principal, mas a definição cai de modo perceptível, principalmente em pontos escuros.

Foto feita com o Moto G9 Plus

Principal

Foto feita com o Moto G9 Plus

Grande angular

Foto feita com o Moto G9 Plus

Principal

Foto feita com o Moto G9 Plus

Grande angular

Foto feita com o Moto G9 Plus

Principal

Foto feita com o Moto G9 Plus

Grande angular

Foto feita com o Moto G9 Plus

Principal

Foto feita com o Moto G9 Plus

Grande angular

Por sua vez, a câmera de profundidade trabalha com a principal no modo retrato. Ela também cumpre bem seu papel e consegue desfocar o fundo com relativa rapidez, embora o desfoque possa ficar com algumas falhas nas bordas se você aproximar o celular do objeto em primeiro plano, mesmo que só um pouco.

Foto feita com o Moto G9 Plus

Agora, devo avisar que a câmera de macro é sem graça. A focagem com ela exige paciência e os resultados não empolgam — quase sempre as fotos carecem de definição, mesmo em boas condições de iluminação.

Foto feita com o Moto G9 Plus - macro

Foto feita com o Moto G9 Plus - macro

Ainda no quesito câmera, a Motorola destaca o Night Vision, modo que melhora fotos noturnas ressaltando cores e detalhes — essa funcionalidade tem aparecido em vários aparelhos atuais da marca. Funciona, mas não espere resultados incríveis. Mesmo com esse recurso, imagens registradas à noite podem ter problemas de definição.

Foto feita com o Moto G9 Plus

Com Night Vision

Foto feita com o Moto G9 Plus

Sem Night Vision

Por último temos a câmera frontal. Ela conta com um sensor de 16 megapixels que não desaponta. Aqui, as selfies são bem detalhadas e a coloração é decente. Em ambientes fechados, esses parâmetros ficam um pouco prejudicados, mesmo assim, a câmera consegue entregar resultados satisfatórios.

Selfie feita com o Moto G9 Plus

Selfie feita com o Moto G9 Plus

Desempenho e bateria

Não ia ser (muito) estranho se a Motorola promovesse o Moto G9 Plus como um “smartphone intermediário gamer”. O dispositivo vem com o Snapdragon 730G, chip octa-core que traz uma GPU Adreno 618 ligeiramente “turbinada” para entregar até 15% mais desempenho na comparação com o Snadragon 730.

Mas a companhia não recorreu ao argumento “intermediário gamer”, talvez pelo fato de o aparelho vir com 4 GB de RAM em vez de 6 GB. Seja como for, o Moto G9 Plus é consistente no desempenho.

Todos os aplicativos testados (Chrome, redes sociais, Google Earth, Netflix, Spotify, entre outros) rodaram sem travamentos, demora na abertura ou lentidão na alternância entre eles.

Moto G9 Plus - tela

Nos jogos, dá para notar alguma diferença? Olha, o Snapdragon 730G deu sinais de que consegue encarar praticamente qualquer game, mas com configurações gráficas intermediárias ou automáticas. Jogos como Breakneck rodam bem com gráficos no máximo, mas outros, como Real Racing 3, têm redução na taxa de frame nas cenas mais movimentadas.

O Moto G9 Plus não é um aparelho fininho, não. ele tem 9,7 mm de espessura. Isso é consequência da bateria de 5.000 mAh, provavelmente. Graças a essa capacidade, o modelo pode ficar um dia e meio ou dois longe da tomada com certa facilidade.

Para os testes, executei um vídeo de 2h30min do Prime Video em tela cheia e brilho máximo, meia hora de Breakneck e Real Racing 3 (somados), 1h30min de redes sociais e Chrome (somados), uma hora de Spotify via alto-falante e uma chamada de 10 minutos.

Realizei os testes no decorrer de um dia. Por volta das 22:00, a bateria ainda tinha 54% de carga (comecei em 100%). É um resultado bem interessante para um celular com tela grande e resolução full HD+.

Tem mais: graças ao carregador de 30 W que acompanha o Moto G9 Plus, o tempo de recarga de 9% para 100% foi de apenas 1h10min. Para uma bateria de 5.000 mAh, é uma ótima média.

O Moto G9 Plus vale a pena?

Testar o Moto G9 Plus foi uma experiência deveras tranquila. O aparelho tem tela ampla, o desempenho é consistente, o acabamento é apresentável, a bateria faz bonito na autonomia e o software é interessante, apesar de trazer poucas novidades.

Dava para o modelo entregar mais? Dava. Seria ótimo encontrar um painel OLED aqui, por exemplo, mas tenho que reconhecer que o Moto G9 Plus tem um LCD muito bom. 6 GB de RAM fariam o modelo seguir a tendência atual das categorias premium, porém, os 4 GB disponíveis dão conta do recado.

Motorola Moto G9 Plus - capa

No resumo da ópera, o que compromete o Moto G9 Plus não é nenhum fator técnico, mas o preço sugerido de R$ 2.499. Esse é um valor muito elevado, mesmo com o atual cenário de dólar nas alturas. Por esse preço, é muito mais negócio levar o Galaxy S10 Lite, por exemplo. O modelo da Samsung ganha nas câmeras, tela e processamento.

Fica valendo então a velha regra de esperar por preços “menos piores”. Nas circunstâncias atuais, eu não desembolsaria mais de R$ 2.000 por este intermediário da Motorola. E olha lá.

Motorola Moto G9 Plus

Prós

  • Baita tela
  • Desempenho consistente
  • Belo acabamento
  • Bateria com ótima autonomia
  • Vem com carregador rápido (30 W)

Contras

  • Câmera de macro fraquinha
  • Alto-falante apenas ok
Nota Final 9
Tela
9
Design
9
Câmera
8
Bateria
10
Software
8
Desempenho
9
Conectividade
10

Especificações técnicas

  • Tela: LTPS LCD de 6,8 polegadas com resolução Full HD+ (2400×1080 pixels), HDR10 e formato 20:9
  • Processador: octa-core Qualcomm Snapdragon 730G de até 2,2 GHz com GPU Adreno 618
  • RAM: 4 GB
  • Armazenamento: 128 GB expansíveis com microSD de até 512 GB
  • Câmera frontal: 16 megapixels (f/2,0)
  • Câmera traseiras:
    • Principal: 64 megapixels, f/1,8
    • Grande angular: 8 megapixels, f/2,2 e 118 graus
    • Macro: 2 megapixels (f/2,2
    • Profundidade: 2 megapixels, f/2,2
    • Macro: 2 megapixels, f/2,2
  • Bateria: 5.000 mAh com carregamento TurboPower de 30 W
  • Conectividade: 3G, 4G, Bluetooth 5.0, Wi-Fi 802.11ac, GPS, Glonass, Galileo, conexão para fones de ouvido, rádio FM e NFC
  • Sensores: impressão digital na lateral, proximidade, giroscópio, acelerômetro, luminosidade
  • Outros: botão físico para o Google Assistente, cores azul índigo e ouro rosê
  • Sistema operacional: Android 10
  • Dimensões: 170 × 78,1 × 9,7 mm
  • Peso: 223 gramas

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Islan Oliveira (@Islan_Oliveira)

Já vi o Moto G9 Plus em umas promoções por 1800, o que é um preço razoável considerando o conjunto da obra. Ainda assim fica meio difícil desembolsar tanto num celular que só vai ter uma atualização de Android. Uso os smartphones da Motorola desde 2014 e fiquei interessado, mas essa questão das atualizações tem pecado muito ultimamente.

@RODRIGO

@Islan_Oliveira, G9 Plus por preço atual está caro, ainda mais sem som estéreo! Poco X3 NFC pode ser uma opção legal(sem propaganda)!

@RODRIGO

Existir modelo de 6GB RAM?! Acho que não! Melhor partir aos intermediários de marcas chinesas — Oppo, Xiaomi, Huawei, Vivo, OnePlus, Poco etc.

Wagner Silva (@HeadMaster)

Só de graça !

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Fica valendo então a velha regra de esperar por preços “menos piores”. Nas circunstâncias atuais, eu não desembolsaria mais de R$ 2.000 por este intermediário da Motorola. E olha lá.

Mesmo por 2 mil reais fica difícil considerar um Moto G9 Plus. O Galaxy A71, por exemplo, é facilmente encontrado nesse mesmo valor e entrega um processador similar, tela e conjunto de câmeras melhores, aliados a uma maior quantidade de memória RAM e 3 anos garantidos de atualizações de software ¯\_(ツ)_/¯