Início » Telecomunicações » Anatel vai decidir regras para leilão do 5G sem restringir Huawei

Anatel vai decidir regras para leilão do 5G sem restringir Huawei

Edital do leilão de 5G será decidido na próxima segunda-feira; Huawei não terá restrições no Brasil

Lucas BragaPor

O Conselho Diretor da Anatel marcou uma reunião extraordinária na próxima segunda-feira, 1º de fevereiro, para debater a minuta do edital do leilão de frequências para o 5G. Com a expectativa de realizar a licitação ainda no primeiro semestre de 2021, a agência não deve impor restrições para equipamentos fabricantes de origem chinesa, incluindo a Huawei.

5G (Imagem: Reprodução/Google)

5G (Imagem: Reprodução/Google)

De acordo com a Folha, o relator Carlos Baigorri apresentou um resumo prévio do edital para o ministro das Comunicações, Fábio Faria. O jornal aponta que a minuta não traz barreiras para fornecedores de países específicos, numa sinalização contrária aos Estados Unidos.

No passado, membros do governo e filhos de Jair Bolsonaro se posicionaram favoráveis ao banimento de equipamentos chineses: Carlos Bolsonaro e o general Augusto Heleno já se manifestaram publicamente a favor do projeto americano “Rede Limpa”, que acusou (sem provas) a Huawei e o governo chinês de espionagem. Um secretário do Itamaraty também afirmou apoio à iniciativa.

A fabricante chinesa também conta com o ex-presidente Michel Temer para elaborar um parecer jurídico que indique que a oferta dos produtos da Huawei não traz riscos para o Brasil.

Banimento da Huawei prejudicaria operadoras

O que muitos não sabem é que, ao construir uma rede de uma nova geração, muitos dos equipamentos de tecnologias anteriores são aproveitados para o novo padrão com atualizações de software. Um levantamento das operadoras de telefonia móvel divulgado pelo Telesíntese diz que 50% das torres instaladas no Brasil utilizam soluções da Huawei

Isso significa que se a empresa chinesa fosse banida, os investimentos para construir a quinta geração seriam muito maiores pela necessidade de migrar diversos equipamentos Huawei utilizados atualmente nas redes 2G, 3G e 4G para soluções de outros fornecedores, como Nokia e Ericsson.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando