Início » Ciência » Robôs batem em humanos para saber quanta dor aguentamos

Robôs batem em humanos para saber quanta dor aguentamos

Avatar Por

Se você já leu a obra de Isaac Asimov — ou já assistiu ao blockbuster holywoodiano Eu Robô, com Will Smith — deve se lembrar da primeira lei da robótica: que um robô nunca pode machucar um humano ou, por omissão, permitir que um humano se machuque.

Mas devemos nos lembrar que robôs são, em essência, computadores que controlam partes mecânicas. E computadores são, em essência, burros. Não sabem nada, a não ser que um programador o ensine explicitamente, passo a passo. Como então um robô saberia se estaria usando ou não de força desnecessária ao entrar em contato físico com um humano?

É para tentar sanar esse dilema que o professor esloveno Borut Povše desenvolve sua pesquisa. E que formar melhor de saber se um ser humano está sendo machucado do que bater nele cada vez mais forte até ele dizer que está doendo, não é?

“No pain, no gain”.

É precisamente isso que o Professor Povše está fazendo. Em seu laboratório na Universidade de Ljubljana um braço mecânico fica batendo no braço (humano) de seis voluntários, com diferentes intensidades e formatos de ferramentas (mais arredondadas ou mais pontiagudas). Depois da seção de porrada experiências o voluntário avalia cada um dos impactos como "sem dor", dor "suave", "moderada", "horrível" ou "insuportável”. A maioria deles avaliou a dor dos impactos como suave ou moderada.

“Estamos tomando os primeiros passos para definir os limites de velocidade e aceleração dos robôs, e o tamanho e formato ideais das ferramentas que eles usam, para que possam interagir com humanos de forma segura,” disse Povše.

O professor já apresentou seu trabalho em uma conferência da IEEE nesta semana em Istanbul, na Turquia, e deve continuar seus estudos com um modelo de braço humano artificial para testar colisões mais severas.

Com informações: New Scientist.

Mais sobre: ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João Pedro
E lá se foi a regra dos robôs não baterem em humanos!
Daniel Drumond
Alguém falou em futuros robôs espadachins em guerras? xD!
Marcell Almeida
Queria poder participar desses testes, esses estudos são fascinantes!
Alexandre
é o principio da era dos robos. quem aqui nao gostaria de ter um pet, quer dizer, empregado, quer dizer, cof cof, um robo escravo?
@bgkusanagi
Se não me engano é o "Tropas Estelares" o filme dos insetos!
Hernani
Um cara desse merece levar uns belos tapas para largar mão de ser besta XD
Renan A. Mendonça
Isso que você disse me lembra de um filme bem antigo (No qual não me lembro o nome) em que soldados tinham que combater insetos gigantes que estavam ameaçando acabar com a humanidade, e um desses soldados faz uma tatuagem com um robo bem parecido com esse ai. Da ate para imaginar, uma tatuagem sem erros, perfeita! Se fosse assim, eu não teria parado com as minhas das pernas.
Renan A. Mendonça
Claro que isso e de fato correto, mas você dizer para o robo não tocar o coração, é algo meio sem fundamento. No minimo para ele chegar no coração ele ja teria que desrespeitar umas várias regras, imagina tocar nele então. Eu não vejo isso acontecendo a não ser que ele realmente quisesse "pegar emprestado" o coração do sujeito ^^!
Bruno Gall
So nãoo pode chamar Chuck Noia se não ia destruir tudo #euri
Icaro94
Sim, estamos muito longe disso ainda, apenas estava dizendo como é no livro, já que ele foi citado na notícia.
Breno Brito
Isto é um robô de testes de impactos ou um robô tatuador?! Afinal, é da Epson =D
Breno Brito
Tá, mas pra chegar no tal nível avançado de IA, devemos, primeiro, aprimorar os ensinamentos de IA. E nós estamos Far, Far Away daquele livro. xP
@albert_dark
RSRSRS, Boa questão, más o certo é criar uma regra com pontos vitais que não podem ser de forma alguma tocados: Cabeça, Coração e Saco.
@adrikei
Aliás, quero ver quem vai oferecer o saco para fazerem testes...
kylefurtado
Sim, pouparia o trabalho de milhares de soldados americanos no Oriente Médio.
Icaro94
Mas como curisidade, no livro "Eu, Robô", do Isaac Asimov, os robôs obviamente já são dotados de uma inteligência artificial avançada, e as 3 leis fundamentais da robótica estariam gravadas nos seus cérebros como base para toda a programação, então as máquinas não funcionariam sem elas :D E essa é uma boa experiência, os estudos podem ajudar a reduzir acidentes e tornar o trabalho mais seguro.
@alexgoblin
Ensinar técnicas de tortura aos robos... Ótima idéia! o.o'
@adrikei
Tá ai, sem alguém pra mostrar pro robô o que dói, não tem como ele saber o quê dói... Mas eles tem que lembrar que uma pancada no braço pode não doer, mas a mesma pancada no saco pode acabar com o dia de muito cidadão por ae...
@marciohuser
Começou, a SkyNet já está dando os seus primeiros sinais! Run to the hills! Brincadeira à parte, bem interessante essa pesquisa. Afinal, se a intenção é ter robôs perfeitos, eles realmente precisam saber o quanto uma pancada é danosa ou não, para evitar acidentes, caso eles possam antecipá-los. Muito bom :)