Início » Aplicativos e Software » Firefox vai adotar mudança polêmica do Chrome para bloqueadores de anúncios

Firefox vai adotar mudança polêmica do Chrome para bloqueadores de anúncios

Mozilla vai oferecer suporte à Manifest v3, mas continuará permitindo a API webRequest para os desenvolvedores a que preferirem

Ana Marques Por

A Mozilla anunciou que o Firefox irá adotar a interface de programação Manifest v3, com maior foco em segurança, a partir de 2022. Trata-se da mesma solução usada para as extensões do Chrome, e que gerou polêmica ao ser anunciada pelo Google por afetar a execução de bloqueadores de anúncios no browser.

Mozilla Firefox (Imagem: reprodução/Firefox)

Mozilla Firefox (Imagem: reprodução/Firefox)

Uma das mudanças mais significativas da Manifest v3 diz respeito à API declarativeNetRequest (DNR) em substituição à API webRequest que, de acordo com o Google, “dá acesso a dados potencialmente confidenciais do usuário”. A DNR oferece funcionalidades semelhantes à API webRequest, mas exige que o desenvolvedor envie a sua lista de filtros de bloqueio ao navegador sob o argumento de maior segurança.

A dona do Firefox explica que está oferecendo suporte às extensões Manifest v3 para “manter um alto grau de compatibilidade para suportar o desenvolvimento entre navegadores”, mas que sua implementação terá divergências da do Chrome “onde [a Mozilla] achar importante”.

Na prática, a solução consiste em continuar permitindo a API webRequest enquanto adiciona suporte à DNR para que os desenvolvedores possam “escolher a abordagem que funciona melhor para eles e seus usuários”.

“Apoiaremos o bloqueio de webRequest até que haja uma solução melhor que cubra todos os casos de uso que consideramos importantes, uma vez que a DNR, conforme implementado atualmente pelo Chrome, ainda não atende às necessidades dos desenvolvedores de extensão”, afirma a Mozilla em seu blog oficial.

Além de incluir suporte à API declarativeNetRequest, a Mozilla vai ativar proteções de origem cruzada para ajudar na privacidade dos cookies e pretende implementar um sistema semelhante ao do Chrome que permita aos usuários controlar as extensões ativas.

Microsoft Edge também aderiu à Manifest v3

A Microsoft também optou por adotar a interface Manifest v3. A dona do navegador Edge, que é baseado em Chromium, reconheceu o valor dos ad blockers, mas acredita que a maioria das preocupações dos desenvolvedores foram resolvidas.

Segundo os desenvolvedores, a Manifest v3 impediria o funcionamento dos bloqueadores, já que ela poderia barrar a execução completa de ações necessárias para a filtragem de publicidade em uma página da web.

Na época, o Google chegou a aumentar o número de regras permitidas inicialmente, mas manteve o posicionamento de que as restrições são necessárias para evitar o comportamento abusivo de determinados plugins.

Além disso, as extensões que utilizam Manifest v2 ainda funcionarão por pelo menos mais um ano.

Com informações: Mozilla e 9To5Google

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eu (@Keaton)

Se não dá para bloquear ads intrusivos e chatos? Simples…